domingo, 4 de outubro de 2009

O TROVADORESCO DO POETA ADEMAR MACEDO

O poeta Ademar Macedo, estará sendo cirurgiado mais uma vez, o Deus que fez o céu e a terra, o Deus de Isaac, Abraão e Jacó é o mesmo de ontem, e sempre e ainda opera maravilhas, com certeza tudo sairá conforme a vontade de Deus, Mazinho é um homem temente a Deus e em breve estará trazendo suas décimas, versos e trovas para nos alegrar. Abaixo a coluna dele, o trovadoresco. Recebi do seu irmão grande poeta alecrinense MACEDO.
Oi amiga...
O mano vai ser submetido à uma cirurgia, nesta 2ª a
marinha vai decidir se ele se opera em Natal ou no Rio
vai a coluna dele, que interinamente estou fazendo.
Hoje com este "bilhete" dele.
Mensagens Poéticas
(Por Macedo <> Interino)


<<<>>> 04.10

Por esse mundo de Deus,
meus versos, prestos, se vão;
nem sei mais, se anjos meus,
ou pássaros na amplidão...
(Débora Novaes de Castro / SP)

<<<>>>
Do realismo oriundo
surge um conceito preciso:
infelizmente, no mundo,
há mais pranto do que riso!
(Reinaldo Aguiar / RN)

<<<>>>
2008 > Maranguape / CE
Tema > PAZ > 2º lugar
Irônica hipocrisia
dos poderosos da terra:
com promessas de harmonia
pregam paz e fazem guerra.
(Zeni de Barros Lana / MG)

<<<>>>
O tempo é bom conselheiro,
do tempo eu não me desgrudo.
Quem faz do Tempo um parceiro,
encontra um tempo pra tudo!...
(Ademar Macedo/RN
)

...E Suas Trovas Ficaram:
A biblioteca vazia,
sem livros e sem leitores,
não tem nenhuma valia,
é igual a jardim sem flores!
(Edmilson F. Macedo / MG)

<<<>>>
Farei um comentário dos mais sérios,
para mim, muito mais que uma verdade,
em mim mesmo vivo essa realidade:
“A justiça de Deus tem seus mistérios”.
Eu conheço demais os seus critérios,
tenho certeza!... Deus não pode errar.
Se sentir o teu Deus te castigar,
eu revelo a partir de uma premissa:
É a colheita... Princípio, da justiça,
e eu não posso e não devo protestar!
(Macedo, Francisco Neves /RN)

<<<>>>

F U G A.

Fugindo à solidão, a largos passos,
nos braços da ilusão fui por aí,
fingindo a exatidão com que senti
a túrgida emoção de outros abraços.

Burlando a perdição, feito um saci,
ergui nova paixão sem embaraços,
forjando a frouxidão dos nervos laços
depois da ebulição que consegui.

E gozo em cada corpo, em cada cama,
o autêntico prazer que só quem ama
conhece, e só acontece isso, porque

em cada boca estranha eu bebo um pouco
do fel com que matei, num gesto louco
o louco amor que eu tive por você.
(Divenei Boseli / SP )