segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

ACADEMIA DE TROVAS DO RN EMPOSSA NOVOS MEMBROS.

DETH HAAK, ROSA REGIS E LUIS
DETH HAAK E CHICO MACEDO


JOALMIR MEDEIROS, DETH HAAK, PRESIDENTE DA ACADEMIA DE TROVAS,
DR. JOSÉ LUCAS DE BARROS, POETA ADEMAR MACEDO E A CORDELISTA ROSA REGIS


DETH HAAK E ROSA REGIS,



DUAS HISTÓRIAS, DUAS GUERREIRAS,



MEMBROS DA SPVA, NO SANGUE CORRE



MUITOS VERSOS, AGORA PRA COMPLETAR



ELAS TAMBÉM ESTARÃO PRODUZINDO



ALÉM DE VERSOS GRANDES, MUITA TROVA.









NA ÍNTEGRA O DISCURSO DE POSSE DA CONFREIRA DETH HAAK, A POETISA DOS VENTOS.








Imortalidade no Reino da Trova.
Eis que mais uma vez a ATRN-Academia de Trovas do Rio Grande do Norte esta em festa. Três novos Poetas desembarcaram na “Imortalidade Acadêmica” confirmando a força das Mulheres que a muito orgulha este pedaço do Brasil. Desde Clara Camarão uma Indigena brasileira da tribo Potiguar do bairro de Igapó na Cidade do Natal, então Capitania do Rio Grande do Norte (hoje o estado do Rio Grande do Norte), nascida na metade do século XVII é considerada uma das precursoras do feminismo no Brasil ela rompeu barreiras acabando com a divisão de trabalho da tribo ao se afastar dos afazeres domésticos, para participar de batalhas junto ao seu marido durante as invasões holandesas. Clara também liderou um grupo de guerreiras nativas na luta contra os holandeses durante a colonização em1637. Em 1927, no dia 25 de outubro, A Lei n° 660 foi aprovada e várias mulheres requereram suas inscrições eleitorais e, a professora Celina Guimarães obtém seu registro e se torna a primeira eleitora do Brasil. No dia 5 de abril de 1928, foi eleita a primeira mulher escolhida para ocupar um cargo eletivo: Alzira Soriano, eleita prefeita de Lajes. É... Os tempos mudaram Vilma Maria de Faria Governa o Estado, Rosalba Ciarline no Senado Federal, Micarla de Souza a Prefeita da cidade, Na Câmara dos Vereadores, Julia Arruda e a Sargento Regina, Mulheres que fazem história reafirmando as conquistas do feminino na província Potiguar. E sobre as bênçãos do Vento, que soprou veementemente como se coroando a nossa indicação, essa feita pelo Vate Francisco Macedo, a ATRN inova seus quadros, desta feita dando posse a duas Mulheres, Deth Haak “A Poetisa dos Ventos” e Rosa Régis, ‘ Rosa do Cordel, Poetas Del Mundo e ao Bardo Luis Cláudio da cidade de Macau-RN. Dr. José Lucas Presidente da ATRN , convida a composição da mesa essa composta pelas autoridades presentes, e eis a minha surpresa: o Cônsul Poeta Del Mundo Silvino Potêncio de Portugal representando a entidade, e não para ai, como Sócio Correspondente, o Cônsul Poeta Del Mundo, Luis Antonio Cardoso de Taubaté São Paulo, A Presidente da Academia de Feminina de Letras Zelma Furtado, Abaeté ( Casa do Cordel) Joamir Medeiros UBT, A presidente da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do RN, Senhora Geralda Efigênia, Todos Poetas Del Mundo! Após o juramento do Trovador, lido pela Poetisa Cordelista e Imortal Rosa Régis em nome de todos os empossados, eis o Discurso de Posse de Deth Haak:
Boa noite Senhoras e Senhores, autoridades presentes.
Saúdo a mesa em nome do Secretário Geral de Poetas Del Mundo Senhor Luis Árias Manzo, e da Secretaria Geral do Brasil, Embaixadora Deslasnieve Daspet.
Senhor Presidente da ATRN; Poeta Del Mundo José Lucas de Barros, Confrade Ademar Macedo Cônsul Poeta Del Mundo, por Santana dos Matos, Confrade Joamir Medeiros Cônsul da cidade do Natal. Pedro Grilo Neto Cônsul Poeta Del Mundo, amigos que me são caros. Permita-me iniciar minhas palavras expressando meu sentimento de gratidão A Academia de Trovas do Rio Grande do Norte, saudando as mulheres presentes. Em nome da Confreira Clevane Pessoa de Araújo. Potiguar de São José do Mipibú membro desta Academia e minha madrinha literária, e aos homens em Nome do Mestre da Trova Luis Otávio. É com muita honra que passo ocupar nesse momento a Cadeira N. 10, antes ocupada pelo Jurista Giovane Xavier da Cunha, Um potiguar nascido na Cidade de Martins, em 1º de março de 1923, Foi Juiz de Direito em Natal, membro da ATRN, da Academia Diocesia e da UBT. No biênio 1985 / 1986 da ATRN. Prometo honra-lo mesmo sem ser Jurista Pois a muito venho advogando por Justiça Social, pelas causas do Planeta e Preservação da vida, Bênçãos Poeta! E por acreditar que nada poderia ser diferente, recito uma de suas Trovas:
Na vida em sua grandeza,
há um só sistema a seguir
:- preservar a natureza,
usando-a sem destruir.
Ele disse em poucas linhas a verdade maior!
E em Poesia louvo ao Vento.
Moinhos ao Vento! Eiras! Solares!
Antepassados! Rios! Luares!
Tudo isso eu guardo, aqui ficou:
Ó paisagem etérea e doce,
Depois do Ventre que me trouxe,
A ti devo eu tudo que sou!
Assim cantou o menino triste que se chamou Antônio Nobre, em um dos mais belos poemas do Só.– não em beleza, claro, mas em candura – digo eu das paisagens da cidade do Natal: principalmente das que se acham mais vivas e ligadas à minha infância que longe vai. Areias dunares que o luar prateia refletindo nos mares, inspirando a poesia que reveste de rimas as causas e as coisas dos humildes: Casas dos pobres que o luar, à noite, caia... Contudo Mais viva a presença do Vento que sopra vindo do mar que em muitos dias a noite cala, quando busca o poeta refugio para as dores da Natureza que o homem achincalha. Nasci na beira da praia, Armação dos Búzios RJ, terra de meus ancestrais e aqui homenagem póstuma a meu pai, Manoel Custódio Alves, que precocemente alfabetizou essa que vos fala. E com esta frase, que de tanto repetir acabei por decorar “Procuremos por todos os meios fazer da vida um bem.” “A vida é boa; os homens a fazem má.” Desafiada por Orfeu a fazer um pronunciamento pequeno como são pequenas as Trovas que dizem tanto em nome da família que adotou, a Poetisa dos Ventos” a Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do Rio Grande do Norte, me pareceu bastante difícil, dado a diversidade de escolas que representamos na sociedade literária, mas, como todos somos Poetas, comecei, então, me perguntando: Você gosta de discursos longos? Não, a parti deste dia, Cinco de dezembro de 2009, prometo muito dizer em quatro linhas!
O que me fez Poesia? Deus me dotou de curiosidade incomum, um gosto especial pelo desafio, e excepcionalmente perseverante, diferiu-me dos três irmãos com uma criatividade especial e difícil de definir: curiosa, todas as crianças o são. Criativa, um mais do que os outros, mas muitas pessoas são criativas, e nem por isso optam pela missão de ser Poeta. Assim, entendo que a criatividade de todos nós, busca encontrar um ambiente favorável se estimulado, como a menina que fui para que a minha vocação pudesse desabrochar. Cada um de nós aqui presente, independente da área do conhecimento que escolhemos embora diferentes, compartilhamos algumas singularidades e similaridades. Em algum lugar, em algum momento sofremos influências de outras escolas, adicionadas a algumas características inatas (o que o Poeta não pode deixar de considerar)
0 que me trouxe até aqui neste momento extremamente honroso para qualquer Vate?
Talvez o que nos una, seja que tenhamos em comum um pouco de cada uma das características acima referidas, mas acima de tudo, certamente tivemos a sorte de encontrar um ambiente propício ao desenvolvimento de nossas potencialidades, grandes mestres, grandes mentores. Mais que tudo, tive grandes exemplos! Nesse ambiente favorável, nossos talentos inatos tiveram a oportunidade de se desenvolver. E em nome dos Poetas Del Mundo, e do Círculo Universal dos Embaixadores da Paz da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do RN Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, dos Movimentos sociais Sos Ponta negra, Filhos de Ponta entre outros... Entidades agraciadas com esta honraria, que os Bardos ora empossados, venho agradecer ao Mestre dos mestres, que habita no coração de todos nós, Jesus Cristo o maior Poeta que pela terra andou.
Deth Haak
“A Poetisa dos Ventos”
“Cônsul Poeta Del Mundo – RN”.
Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do RN
Círculo Universal dos Embaixadores da Paz
E minhas Trovas hão de ficar!
Se meu verso fosse arma
guerreando dia a dia.
O estopim era a palavra
Explodindo em Poesia...
A brisa me beija mansa,
arrepia o corpo inteiro.
A inspiração em mim dança,
escrevo o verso primeiro.
Vou dizendo no caminho;
a poesia é meu exemplo.
Poema procura o ninho,
Orfeu diviniza o templo.
A este vento que me inspira
digo voejando contente,
é triste quem não admira
traços que tecem a gente.
Do vento sou marketeira,
guerreira se for preciso.
O vento insufla a poeira
e eu me arrisco num improviso.
Não há dor nem há tortura
no meu sonho realizado,
que vento pela cultura,
não é triste, é o meu legado!
No Orbe desenho o meu dia,
aos poetas, meu recado:
Execrem a hipocrisia
no seu acorde riscado.
Brisa que aqui é soprada,
no rimar mais de repente.
Poesia chega alentada,
a toda gente que a sente...
Se um só Poeta trovar,
como as ondas no oceano.
Viria à paz pelo mar,
liberando amor humano!...
Amor chega de repente,
a Paz habita na vida.
A sorte que brinda gente
traz a amargura devida...
Encanta-me essa magia,
do ente que muito padece.
Escrevendo em poesia
o amor que a Deus agradece...
O Vento passa ligeiro
que mal consigo tocá-lo.
E logo eu, seu escudeiro,
Poeta por tanto amá-lo!
Diz-se sábio o ser humano,
para Deus isso é loucura!
Saber tudo é um grande engano
que a convicção amargura...
Se me desse Deus, saber,
dia que a morte viria...
Sorvia no amanhecer,
sereno e sabedoria.
Descobri, vou retirar,
todo o cisco de meus olhos.
Ao amor vou me entregar
sem mais temer os abrolhos.
O vento na areia escura,
marola de meu porvir.
Nele sinto que perdura.
Meu desejo de ir e vir...
Seque a brisa doravante,
o pranto da despedida.
Acena paixão errante...
Adeus não, amar é vida!
Meus versos criaram asas,
voando aos olhos do mundo.
São poemas, - vivas brasas -
de um coração vagabundo...
A vocês, vai meu recado:
Na voz que afugenta as dores,
no nordeste abandonado,
rendo ao Cordel, meus louvores...
A bênção, Luis Otavio!...
Poeta que trova ensina.
Com doce sabor Batávio,
para trovar minha sina!
Obs. Batavia era uma região da Holanda
"Mandou, pois o Senhor Deus um profundo sono a Adão; e, enquanto ele estava dormindo, tirou uma das suas costelas, e pôs carne no lugar dela. 22 – E da costela, que tinha tirado de Adão, formou o Senhor Deus uma Mulher; e a levou a Adão. 23 - E Adão disse: Eis aqui agora o osso de meus ossos e a carne da minha carne; ela se chamará Virago, porque do varão foi tomada. 24 – Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa só carne. 25 - Ora um e outro, isto é, Adão e sua mulher, estavam nus; e não se envergonhavam (porque ainda eram inocentes)."