segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

ESCRITORA JÂNIA SOUZA - POEMA DA DESPEDIDA


POEMA DESPEDIDA, HOMENAGEM DA POETISA/ESCRITORA JÂNIA SOUZA A FÁTIMA MACEDO. JÂNIA, VOCÊ É GRANDE E PESSOAS GRANDES PENSAM COMO VOCÊ. UM ABRAÇO DE AGRADECIMENTO DA NOSSA FAMÍLIA.

Despedida por Jania Souza


Sempre amarga é a despedida


mesmo que essa seja bênção


alívio para o ser dantes padecido


combalido nas agruras da dor


persistente, impiedosa, má.




Mesmo que seja a elevação


ao maior plano sideral


a partida entristece os que ficam


embora para o que parti


seja o reencontro com a fonte


criadora da sua energia inicial.




A saudade é eterna e também


certeza do reencontro em novo estágio


no cosmos basta em terra


alimentar os dias felizes


as brincadeiras, as conversas,


as trocas a amizade, a partilha,


os carinhos, os afetos


espantar o lamento com o rejubilo


de que a felicidade continua na liberdade


que há nos braços do Criador


para degustar novos


momentos de bondade,


paz e amor.


A dor da despedida sempre será insuportável


mas os dias são rosas permanentemente perfumadas


lembranças e promessa da glória


que haverá no momento do reencontro


depois da passagem.