segunda-feira, 9 de agosto de 2010

DR. VALDECY ALVES E A LEI MARIA DA PENHA EM CORDEL....



Iluminai-me nessa hora
Deuses da Grécia e do Egito
Afiem meu saber agora
Que responsabilidade
É fazer este cordel
Para traduzir a norma
.
E ao popular ser fiel
Ser claro ao agricultor
E agradar ao bacharel
Passando a linguagem técnica
Para o idioma popular
Decifrando uma charada
.
Para lei poder chegar
Da essência carregada
E em cada mente habitar
Lei boa mais que no papel
Sem mistério ou qualquer senha
A que está dentro do povo
.
Cada um no coração tenha
Cada mente sendo um código
Eis a Lei Maria da Penha
Criada em dois mil e seis
No dia sete de agosto
A Lei Maria da Penha

Veio ocupar o seu posto
Fim à violência doméstica
Às relações novo rosto
Objetivando proibir
A violência familiar
Conforme a Constituição

.
Impõe estando a ditar
Também violência doméstica
Na busca de erradicar
Existe a violência física
Violência patrimonial
Violência psicológica

.
Violência sexual
Mais um tipo de agressão
Que é a violência moral
É um não à negligência
Qualquer discriminação
É um basta à crueldade
A qualquer exploração
.
Um jamais à violência
Toda forma de opressão
É dever do cidadão
Observar seu mandamento
Da família e Sociedade
Zelar a todo momento
.
Sobretudo o Poder Público
Cuidar do seu implemento
Já dizia Jesus Cristo:
“ – Ama o outro igual tu te amas!”
Perdoando quem o matou
Quem o vendeu e as tramas
.
Crime, homem outro agredir
Imagine agredir damas?
Bem todos estão cientes
Mito a versão da costela
Não se está na pré-história
É fantasia Cinderela
.
Findo o direito da força
Abriu-se nova janela
Tu tens todo o teu direito
Mas eu também tenho o meu
Nunca devo te agredir
Nem agredires meu eu
.
Seja homem, seja mulher
Paga quem não entendeu!
Sobre todas as vontades
Paira toda e qualquer lei
Eis o Estado de direito
Tu bem sabes, eu bem sei

.
Não pecar, nem violar
Diz o sábio: - Aprendei!
Tantos bateram nas caras
Chutes, socos, empurrões
Nariz quebrado, sangrando
Hematomas, arranhões...
.
Na frente do delegado
Medo, horror, terror, versões
Lesões perenes , sem curas
Tantos são os homicídios
Loucura, dor e tristeza
Falsas quedas, suicídios

Tantas são as vitimadas
Que se beiram genocídios
Filho que agredir a mãe
Neto que bater na avó
Irmão que açoitar irmã
Vítima maior, menor...
.
Tem-se violência doméstica
Deve-se apertar o nó
Protegida está esposa
A noiva e a companheira
Também se inclui namorada
Seja casada ou solteira
.
Enfim protege a mulher
Da agressão traiçoeira
Se vivem no mesmo teto
Com companheiro ou marido
Se separados há anos
Bastando ter agredido
.
Violência contra ex-mulher
O mesmo será punido !
Há aqueles que declaram:
- Mas ela é a minha amante
Eu posso nela bater
Quem é o que me garante
.
Que assim não posso agir
E se quiser vou adiante!
Primeiro a Religião
A filosofia, a moral
E toda a sabedoria
Tudo que combate o mal
Basta usar o teu bom senso
.
Ou o Código Penal
Numa escalada do horror
Tudo só tem piorado
Sangue escorre da TV
Marido aprisionado
Corpo no chão, filhos órfãos
Mãe morta, pai capturado
.
No meio desse flagelo
Vítima Maria da Penha
Ela ficou paraplégica
E atualmente se empenha
Em busca da paz, do amor
E que o pavor se contenha
.
Quis matá-la o seu marido
Por briga, questão de casa
Em vão buscou a justiça
Que não tem perna nem asa
Só encontrou desamparo
Que a qualquer pessoa arrasa
.
Denunciou o Brasil
Do carnaval e Pelé
O judiciário lento
O crime contra mulher
O Brasil foi condenado
Por sua luta, força e fé
.
Como país violador
Dos direitos humanos
Omisso frente à violência
Sem punir os seus tiranos
Crianças, velhos, mulheres...
Vítimas dos abandonos
.
A partir do triste fato
Da condenação do País
Que não pune o criminoso
Tornou-se réu infeliz
Teve que criar a lei
Buscar nova diretriz
.
Com nome Maria da Penha
Assim nova lei surgiu
Busca fazer prevenção
Punir o que agrediu
Proteger, dar garantias
O juiz trabalhando a mil
.
Diz a Lei que a mulher
Seja o nível cultural
Sexo, renda, cor ou crença
Orientação sexual
Goza de todos direitos
E de respeito integral
.
Direito à vida condigna
Saúde, alimentação
Acesso ao Judiciário
Também à Educação
Esporte, lazer, trabalho
Salva a qualquer violação
.
Tais políticas públicas
Deveres dos governantes
Não fiquem só no papel
Tal já aconteceu antes
Com velhos e adolescentes
Só promessas dos falantes!
.
A violência doméstica
Qualquer ato ou omissão
Que cause sofrer ou morte
Dano moral ou lesão
Prejuízo patrimonial
Toda e qualquer agressão
.
O local de convivência
Que todos chamam de Lar
É divisão geográfica
Da unidade familiar
Tem-se a violência doméstica
Quando o fato ocorre lá
.
Mulher pode ser esposa
A companheira ou marido
Filha, avó, cunhada, mãe
Bastando ter ofendido
Sofrendo qualquer violência
Responde quem tenha sido

.
Existe a mulher marido
Ou marida se quiser
Um casal vivendo juntas
E adotar filhos até
Caso uma agredir a outra
Violência contra mulher !
.
Define-se a violência
Aquilo que causar mal
Toda forma de agressão
Ao físico, ao corporal
Também não fica de fora
O Que lhe agrida a moral
.
Fofoqueira, frágil, vil
Falsa, covarde, invejosa
Má motorista, inferior
Indigna, burra, chorosa
A mulher é ofendida
De forma tão injuriosa

.
Conduta que causar dano
De ordem emocional
Ameaças, humilhações
Exploração sexual
Chantagens, constrangimentos
Tudo que for imoral
.
A violência sexual
Tem muitas variações
Fazer sexo ou presenciar
Mediante quaisquer coações
Casar ou engravidar
Mediante imposições
.
O homem é macho puro
Força bruta, caçador
Maior porte, corre mais
Sempre armado e matador
Desde os tempos da caverna
Na floresta reinador
.
Nos tempos imemoriais
Com toda beleza e graça
Ficava a mulher no lar
Livre de toda desgraça
Zelando pelas crianças
No lar, primitiva praça

De forma que todo avanço
Desde o descobrir do fogo
Dos dois é patrimônio
Do lazer, trabalho ao jogo
Toda a Civilização
Dos dois sexos sem rogo

Nenhum superior ao outro
Por mera questão de sexo
Nem o de maior força física
Mais sábio, útil e complexo
Igual oportunidade
Terá vez o maior nexo
.
Prefere-se Joana D`arc
A Judas Iscariote
Também se prefere Sócrates
À má Dalila um Calote
Faz-se história com caráter
Não com violência a magote
.
A diferença dos sexos
Da estrutura corporal
São apenas fisiológicas
Mesma a força intelectual
Total loucura embasar
Discriminação social
.
Mulher não é uma caça
Não mais se vive na mata
Força vez deu ao saber
A violência só maltrata
Vez da lei e do diálogo
Pra ambos igualdade exata
.
Deve ser a violação
No gênero baseada
Que é relação de poder
Entre sexos desvirtuada
Difere o macho da fêmea
Não pra ser discriminada
.
Toda política pública
De proteção à mulher
Deve envolver município
As oenegês até
Também o Estado e a União
E todos órgãos que houver
.
Integrar os órgãos públicos
Amplo estudo da questão
Priorizando o educar
Meios de comunicação
Delegacias da mulher
Investir na formação

.
Casa-abrigos pras mulheres
De todas classes e cores
Garantindo segurança
E minimizando dores
Centro-reabilitação
Pra tratar os agressores

.
Quando pensar na mulher
Não pense na má patroa
Pense em sua mãe, sua filha
Sua tia, na avó doce e boa
Na irmã, na neta, na que ama
Tal lei, não é coisa à-toa

.
O Ministério Público
A assistência social
O Poder Judiciário
O atender policial
Prevenir, erradicar
Por fim punir o que é mau !
.
Campanhas educativas
Para toda Sociedade
Parceria, ajuste, convênios
Educação, liberdade
Construir novas consciências
Paz, solidariedade
A mulher em situação
.

De violência familiar
Terá proteção do juiz
Tirando o agressor do lar
Ou deslocando a mulher
Pro agressor não alcançar
Pode ser preso em flagrante

.
Ou ter prisão preventiva
Obrigado a sair de casa
Medida que é protetiva
Pagar pensão de alimentos
Por dias ou definitiva
Pelo prazo de seis meses

.
Se necessário for
O vinculo trabalhista
Mantido com tal fervor
Voltando à vida normal
Volte a trabalhar sem dor
Denunciada a violência
.
Encaminhe-se a ofendida
Ao perito, ao hospital
Garantias à sua vida
Polícia tudo fazer
Para ser bem atendida
Deve logo abrir o inquérito

.
Ou boletim de ocorrência
Colher os fatos e provas
Tudo com a maior urgência
Comunicar logo ao juiz
Usar de toda prudência
Juizados da violência

.
Doméstica e familiar
Poderão ser logo criados
Pra tais violências julgar
Processo com rapidez
Deve à sentença chegar
O juiz pra julgar a causa
.

É escolha da mulher
Será no seu domicílio
Do local que lhe aprouver
Da morada do agressor
Onde segura estiver
Porém a maior Justiça


Nunca virá da sentença
Mas do comportar humano
Calcado na consciência
Agindo-se com toda ética
Sem nenhuma violência
Não há melhor tribunal

.

Nem a mais pura Justiça
Que nunca agredir ninguém
Postura sempre castiça
Cada um se policiar
Não praticar injustiça
Respeito para o amigo

.
Carinho para mulher
Indiferença aos insultos
Conquiste o quanto puder
Com charme, com competência
Dois só brigam se um quer !
Um pai jamais perdoará

.

Um agressor de sua filha
Irmão não fica contente
Com quem sua irmã humilha
Pense sempre na mulher
Como alguém de sua família
Pra que violência física
.

E a violência moral ?
Seja o teu próprio juiz
Seja teu policial
Teu defensor, promotor
Violência é irracional !
Não deve pois a mulher

.
Imitar o que combate
Do opressor brutalidade
Que toda razão abate
De quem é injusta vítima
De todo mal que a destrate !
Deve o juiz despachar

.

Com a maior rapidez
As medidas protetivas
Até mais de uma por vez
Se lento for seu agir
Pode causar viuvez
O que ganha o triste viúvo
.

Caso assassine seu bem ?
No caso do amor perdido
O morto não é ninguém
Não passa de corpo inerte
De que nada se obtém
Se vai causar ferimentos

.
Com um revólver ou faca
Lembra-te da boca e rosto
Quem deu prazer não se ataca
Encontrarás novo amor
Não um cadáver à maca
Todos têm mesmo direito

.
Buscar ser feliz e amar
Que é totalmente impossível
Na bala ou no esfaquear
Lei nenhuma deu direito
De ferir ou de matar
Amigo, se por acaso

.
Num conflito passional
Surgir o triste desejo
De assassinato brutal
Vai ao padre, ao advogado
Não aja feito animal !
Que me perdoem os bichos

.
Dos terreiros , da floresta
Nunca vi qualquer um deles
Fazer o ruim que não presta
Bater, ferir ou matar
Seu par, ação desonesta !
Amar não dá propriedade

.
Nem gera usucapião
Casar não é compra e venda
Nem o macho é um gavião
Poder de vida ou de morte
É de trato da criação
Se é delito ambiental
.

Matar um bicho, uma planta
Difamar, caluniar
Alguém com honra de santa
Então matar, estuprar
Toda maldade suplanta
Entra logo com processo

.
Separação judicial
Traça nova alternativa
Não pratica nenhum mal
Lei que pode proteger
Será teu chicote e sal
A Lei Maria da Penha
.

Não prioriza punição
Erradicar a violência
E a sua prevenção
Se for para punir pune
Não terás a salvação !
Se o Poder Judiciário

.
Já não funciona bem
Com novas atribuições
E as limitações que tem
Pode fazer desta Lei
Nova vítima também
Cada um deve-se vigiar

.
Nunca praticar violência
Família vigia seus membros
Pra que ajam com consciência
Sociedade olha a família
Para agir com sapiência
O Ministério Público

.
Por demais é curador
Do meio ambiente sofrido
Do idoso, menor, da dor
Não cura nem seus limites
Nem cura o violador !
Onde estão as religiões

.
Com todos seus pregadores
Pra que serve então escola
Diante tantos horrores
Não educam nem pra vida
Temos reais educadores ?
Cadê as associações

.
Ensinamentos morais
Cadê o respeito à vida
Das gentes, dos animais
Sociedade de presídios
Seremos e nada mais !
Polui-se o mar que deu chuva

.
E água ao rio de beber
Eleitos desgostos causam
Ficando no prometer
Ainda se mata a mulher
Que dá família e prazer !
Feminina, doce, meiga

.
.Sorriso, batom vermelho
Sexo, amor, prazer, paixão
Vaidade frente ao espelho
Filha, amiga, mãe, amante
Nunca sofrer de joelho !
A lei que é inovadora


.
Não veio piorar a guerra
Entre os homens e mulheres
Do Japão à Inglaterra
Mundo de paz e diálogo
Busca construir na terra
Queremos a paz no globo

.
Em cada povo e nação
Em cada país, cidade
No barraco e casarão
Tudo será utopia
Diante qualquer agressão
O mundo da paz não cai

.
Como a chuva vem do céu
Nem é produto de mágica
Não pode ter raiz no fel
É a soma de cada um
Formando um só mundaréu
Tendo paz em cada casa

.

E nada de violência
O bairro será tranqüilo
A cidade nada tensa
O mundo rumo ao paraíso
E a Sociedade compensa !
Se em toda e qualquer família
..

Paz infinita reinar
Na mente de cada humano
A paz também reinará
E todos compõem o mundo
O mundo de paz será
Viva a quem cultua a paz


.
Infinito amor contenha
Quem odeia a violência
Dizendo ao diálogo venha
Que aplicar seja exceção
A Lei Maria da Penha !

---------------
www.valdecyalves.blogspot.com