segunda-feira, 15 de novembro de 2010

CRONISTA JULIANA SARMENTO, FALANDO DE DISTÂNCIA

distante de quem amamos é uma verdadeira prova de amor

Hoje resolvi falar de um assunto que conheço muito bem, a distância.
Desde criança moro longe de pessoas importantes como: avós, primos e tios.
Mas o interessante é que minha mãe nunca deixou que a distância de fato nos dominasse, acho que ela soube fazer isso muito bem, sempre contando as histórias e nos fazendo lembrar de quem estava longe...
Mas o que me leva a falar da distância desta vez, não são essas lembranças, muito pelo contrário, hoje já adulta e com algumas vivências, posso assegurar quem é importante para mim.
E foi uma destas pessoas que ultimamente me faz pensar nesse assunto, uma amiga muito querida que vai mudar de estado, Deise Cunha, um das melhores pessoas que conheci nesta vida, uma das minhas melhores amigas, ela voltará a morar no Rio de Janeiro, sabia que isso aconteceria, mas não imaginei que fosse tão rápido, antes do previsto, confesso que comecei a chorar ao pensar que "perderia" mais uma pessoa querida para a distância, até que minha irmã me disse: "Ela só vai se mudar Ju, você não vai perder a amizade dela."
E de fato é verdade, nunca perdi meus tios, avós e primos para a distância, eles sempre foram certezas em minha vida, com diferença que não tínhamos datas concretas para nos vermos, mas quando isso acontecia sabíamos aproveitar o momento, hoje com tantos meio que nos aproximam, a distância parece que consegue "minimizar" um pouco.
Outra coisa que me faz compreender que a distância não é um "bicho de sete cabeças" é fato de conviver com amigos que moram em outros estados em perfeita harmonia, e confesso que alguns deles conseguem se tornar mais presentes do que muitos que moram na mesma cidade que eu.
É por saber disto que tenho a certeza que a mudança da Deise não interfirá na nossa amizade, mesmo porque tenho certeza que nem vou dar a chance dela se distanciar de fato, vou dar meu 'jeitinho' para mantê-la informada sobre os acontecimentos da minha vida, sempre queremos dividir bons e maus momentos com pessoas queridas!
Hoje vivo distante de pessoas que amo muito, minha mãe, minhas irmãs e sobrinha, mas sei que elas nunca deixarão de ter a importância que tem em minha vida, mesmo porque nem damos muito espaço para a distância, a tecnologia nos aproxima muito, ah, tudo isso tinha que nos trazer benefícios, né?
Mas se não compreendermos as razões que nos distanciam das pessoas, estaremos dando vazão ao egoísmo, mas acredito que quando há amor numa relação, temos a capacidade de torcer pela felicidade do outro, e é por este motivo que aprendi a conviver longe de tantas pessoas que admiro e fazem diferença pra mim.
Aprendi que a distância não é assim tão ruim quanto parece, nos faz pensar mais sobre a vida e principalmente sobre as pessoas que são importante pra nós.
Hoje sei que não perderei a amizade da Deise só por se mudar para o Rio, assim como não perdi a da Mariana Alvarenga que lá também está, do Ângelo Dias em Minas Gerais, Roberto Dymenor em São Paulo, Alciram Duarte no Ceará, e tantos familiares que estão em São Paulo, Ceará, Paraíba, Brasília...
Quem diria que a distância pudesse nos ensinar algo, na verdade nunca imaginamos que as coisas que julgamos "ruins" possam nos trazer benefícios, melhor dizendo, acho que tem um ditado que traduz bem essa sensação: "Há males que vem para o bem."