quinta-feira, 7 de abril de 2011

A EXPRESSÃO POÉTICA DA BARONESA DE CEARÁ MIRIM, ESCRITORA LÚCIA HELENA



AMO O AMOR

O amor que se derrama sobre o mar

Na breve chuva ou tempestade

Amo o amor que desce da gota do orvalho

Na pétala macia de uma flor amanhecida

Amo o amor que vem do sol,

Distante, no além-horizonte!

O amor que engravida o coração

E se multiplica.

Amo o amor da musicalidade das emoções

Inebriantes! Retumbantes!

Amor de homens que se respeitam

E se ajudam mutuamente,

Jamais desferindo golpes

Sobre o semelhante humilhado e pobre.

Amo o amor de quem sabe ser grande,

Grande! Mas grande sem saber!

Amo essa sensação abundante,

De ser amada, protegida e acarinhada,

Com palavras lindas e gestos largos.

Amor generoso e bom.

O amor qque faz chama dentro de mim

E se encarrega de aquecer o frio

Que às vezes me invade!

Amo a grandeza das palavras gentís,

Dos sorrisos alegres, cheios de rictos!

Amo você, nesta manhã embriagada de sol

Beijando o lírio que se abre, belo e aromático,

No jardim venturoso do meu coração!

-----------------------

DEIXE A MINHA DOR EM PAZ


E QUANDO O SANGUE DESSA DOR ESCORRER,

E ESSA FERIDA N´ALMA GRITAR,

DEIXE, MESMO ASSIM, A MINHA DOR EM PAZ.

NÃO SUBESTIME A LÁGRIMA QUE ROLA,

O SORRISO QUE SE ESCONDE,

A JUVENTUDE QUE VAI SE ESVAINDO EM MINHA FACE.

AJUDE-ME A RESPIRAR E VER A LUZ DO SOL

SE ANIMANDO POR TRÁS DOS MONTES

E O AZUL DO MAR EXPANDINDO-SE NA CANÇÃO DOS MEUS OLHOS.

QUERO SALVAR A DOR DO SEMELHANTE - TÃO MINHA,

ESQUECER QUE O MUNDO O ABANDONOU

E EMPOBRECEU!

QUERO BEIJAR AS CHAGAS D´ALMA DOS QUE SOFREM

VARRER AS CICATRIZES

MAQUIÁ-LAS COM MIL TERNURAS.

MAS...DEIXEM A MINHA DOR EM PAZ,

DOR PUNGENTE D´ALMA...,

DOR QUE A SOLIDÃO VAI CASTIGANDO, SEM PIEDADE.