terça-feira, 19 de abril de 2011

A EXPRESSÃO POÉTICA DE FRANCISCO CÂNDIDO DE SOUZA/CURRAIS NOVOS-RN


Poeta Francisco Cândido

Trazia a paz na pureza de uma roseira
E a calmaria dos ventos do vale, a brisa;
Naquela manhã nascente e estradeira,
O amor em mim renasce e se eterniza.

O seu encanto delimitou o meu mundo
No equilíbrio profundo, racional e finito,
Desracionalizei o sentimento mais fecundo
Para viver o instante de amor mais infinito.

O sol da manhã desabrochou a flor,
Espalhando pétalas sobre o espelho do lago
E o sereno, serenando, a cobriu de amor
No calor abrasador daquele afago.

Havia algo mais naquela flor!
Em suas formas macias e singelas,
A personificação de flor e amor
Em suas expressões raras e tão belas...

Fui possuído pelo amor daquela flor
Na ternura de seu penetrante olhar.
Aquela noite não conheceu a dor,
Só as caricias do amor de te amar.

Era uma flor mulher no alvorecer,
Emoldurando o amor e a natureza
E eu estava ali, mergulhado no prazer,
Acariciando a flor que seria minha mulher.