quinta-feira, 30 de junho de 2011

INFORMATIVO POETAS DEL MUNDO!

APPEL:
Anthologie de Poètes du Monde Chili (PPdM-Chili) Sans limites dans le temps et sans date de fermeture.

http://www.poetasdelmundo.com/img/noticias_2659.jpgCHILE- Santiago: Poètes du monde est une organisation qui nest lié a aucun gouvernement ou institution politique, ni religieuse, ni daucun type. En ce qui concerne son financement elle est totalement indépendante ; pour son fonctionnement reçois de temps en temps des aides de ses membres, des aides qui sont volontaires. Participer de Poètes du Monde est totalement gratuit. Pour maintenir cette dindépendance nous avons élaboré ce projet dédition dune anthologie des poètes du monde.

Cest en association avec Apostrophes Editions (Chili) que nous convoquons a cette anthologie qui sera divisé en TOMES consacré a un volume par pays. La participation est partagée en deux catégories :

Catégorie A= avec 2 pages par poète.

Catégorie B= avec 4 pages par poète.

Dans ce volume consacré au Chili, peuvent participer des poètes dautres pays mais sans dépasser le 50% des participants. Le même principe sera adopté pour les volumes consacrés à dautres pays.

Objectifs :

Intégrer les cultures intercontinentales a travers la poésie et de cette manière intégrer les peuples des différentes régions de la planète a travers lart de la parole.

Créer un registre historique des poètes membres de Poètes du Monde.

Appel :

Nous appelons a tous les poètes membres de poètes du monde du Chili et du monde qui souhaitent participer du Volume consacré au Chili (cela ne veut pas dire que les poèmes son sur ce pays, le thème est libre).

[Lire Plus]

CALL
Anthology of World Poets Chile (PPDM-Chile) No limits in time or deadline.

http://www.poetasdelmundo.com/img/noticias_2657.jpgCHILE-Santiago: Poets of the World is an organization that is not linked to any government or political institution, nor religious, nor any kind. Economically, it is totally independent, not receive any help to work, self-financed with the support of some poets who do so voluntarily. Participating in the World Poets no cost. And we want to remain economically independent and capable of being self-sufficient. This desire was born the next call, which we believe is attainable for most of our members.

http://www.youtube.com/watch?v=fdyk21-Z8SY

Poets of the World Movement in association with Ediciones Apostrophes (Chile), calls for an anthology to be divided by volume devoted to a country by volume. Participation is divided into two categories:

Category A = 2 pages per poet.

Category B = 4-pages per poet.

In this anthology, the volume is devoted to Chile to participate poets of other countries, but can not exceed 50% of its participants. The same will be with respect to the volumes devoted to other countries.

Objectives:
Integrating intercontinental cultures through poetry and thus integrate people of different regions of the world through art of the word.

Create a paper trail and history of the Movement poets of the world.

Call:
Invites all members of poets in the world, Chile and abroad who wish to participate in volume devoted CHILE.

[Read More]

CONVOCATORIA:
Antología de Poetas del Mundo Chile (PPdM-Chile) Sin límites en el tiempo ni fecha de cierre...

http://www.poetasdelmundo.com/img/noticias_2657.jpgCHILE-Santiago: Poetas del Mundo es una organización que no está ligada a ningún gobierno o institución política, ni religiosa, ni de ningún tipo. En lo económico, es totalmente independiente, no recibe ayuda alguna para funcionar, se autofinancia gracias al apoyo de algunos poetas que lo hacen de manera voluntaria. Participar en Poetas del Mundo no tiene costo alguno. Y queremos seguir siendo independientes en lo económico, capaces de ser autosuficientes. De este anhelo nace la siguiente convocatoria, la que creemos, es alcanzable para la mayoría de nuestros miembros.


El Movimiento Poetas del Mundo en asociación con Apostrophes Ediciones (Chile), convoca a una Antología que se dividirá por TOMOS consagrados a un país por VOLUMEN. La participación estará dividida en dos categorías:


Categoría A= con 2 páginas por poeta.

Categoría B= con 4 páginas por poeta.

En esta antología, cuyo volumen está consagrado a Chile pueden participar poetas de otros países, aunque no podrán sobrepasar el 50% de sus participantes. Lo mismo será con respecto a los volúmenes consagrados a otros países.

[Leer Más]

Luis Arias Manzo
[Fundador - Presidente Mundial]

لويس أرياس مانثو
路易斯·阿里亚斯·曼佐
C h i l e

Este mensaje se envía a su correo con base en el Art. 28b de la ley 19.955 que reforma la ley de derechos del consumidor, y los artículos 2 y 4 de la ley 19.628 sobre protección de la vida privada o datos de carácter personal, todo esto en conformidad a los numerales 4 y 12 de la constitución política. Su dirección ha sido extraída manualmente por personal de nuestra compañía desde su sitio Web en Internet, o ha sido introducida por usted al aceptar el envío de mensajes publicitarios al inscribirse en alguno de los sitios o foros de nuestra Red de trabajo. Para ser removido escriba aquí: info@apostrophes.cl


terça-feira, 28 de junho de 2011

MANÉ BERADERO, UM SHOW!

LEITURINO FARÁ ENCERRAMENTO DO OANSE EM CAPIM MACIO

O Palhaço Leiturino estará na noite de sexta-feira próxima, 1 de julho, às 19 horas, na Igreja Batista de Capim Macio (Natal-RN) levando às crianças daquela instituição alegria e brincadeiras, com enfoque ao evangelismo. A apresentação de Leiturino (leia-se Francisco Martins) acontece dentro do encerramento do OANSE. Para quem nunca ouviu falar sobre OANSE é um movimento de estudo bíblico, para crianças e jovens, que acontece dentro das Igrejas. A palavra é formada pelas iniciais da citação de 2 Timóteo 2:15: Obreiro Aprovado Não Se Envergonha.

domingo, 26 de junho de 2011

Ubuntu

Ubuntu

AMIZADE SE CONQUISTA, E QUANDO ISSO ACONTECE VIRA UM CÉU NA NOSSA VIDA - PARABÉNS BARONESA QUE SABE FAZER AMIGOS, TEM AMIGOS - UM CHEIRO!

VERINHA - AMIGA DE INFÂNCIA - QUE ME AMA E CUIDA DE MIM QUANDO SAÍMOS JUNTAS. FAZ COMO MINHA NEGUINHA SIMONE SILVA QUE FICA OBSERVANDO SE COMO AÇÚCAR!

VERA LÚCIA MEDEIROS
AFEIÇÃO, CARINHO, SOLIDARIEDADE E MUITA LEALDADE. TRÊS ADJETIVOS QUE VERINHA, MINHA AMIGA DE INFÂNCIA, SEMPRE USA COM PRECISÃO E HARMONIA.
ELA ME TELEFONA, CHAMA PARA SAIR, MAS COMO HOJE, PRECISAVA FICAR EM CASA E REVER O LIVRO DE UM SENHOR QUE LOGO O AUTOGRAFARÁ EM TEREZÓPOLIS/RJ, FIQUEI MESMO EM CASA, O QUE ADORO, PORQUE APROVEITO PARA RESPONDER OS E-MAILS E ETC.
BOM, MAS HOJE, VERINHA LOGO DEDICOU-ME PALAVRAS AMENAS, PALAVRAS DE IMENSO CARINHO - COMO FAZEM AS PESSOAS DE BEM - OFERECENDO-SE PARA LANCHAR COM MEU NETINHO E LEVÁ-LO A BRINCAR NOS GAMES DE QUALQUER SHOPPING.
FIQUEI AGRADECIDA E MUITO CONTENTE, AFINAL, VERINHA VÊ MEUS BLOGUES TODOS OS DIAS, E VEM ACOMPANHANDO OS PASSOS DE RENATO JOSÉ, DESDE O DIA 20, QUANDO CHEGOU EM NATAL, PARA MINHA ALEGRIA.

AGRADEÇO, AMIGA E TE AMO MUITO. VALEU!

ANTOLOGIA MIL POEMAS PARA NERUDA - GRANDE MOBILIZAÇÃO NO CHILE!

É GRANDE A MOBILIZAÇÃO PARA O LANÇAMENTO DA ANTOLOGIA "MIL POEMAS PARA NERUDA" IDEALIZADA E ORGANIZADA POR ALFRED ASIS, NO CHILE, EM JULHO PRÓXIMO.

EM JULHO O CHILE ENCHE-SE DE FESTA PARA AS HOMENAGENS AO POETA IMORTAL - PABLO NERUDA.
ALFRED ASIS - FERVOROSO E LEAL ADMIRADOR DO POETA PABLO NERUDA, MOBILIZANDO-SE PARA MAIS UM EVENTO DE GRANDE SUCESSO HISTÓRICO E LITERÁRIO, NO CHILE.
A ANTOLOGIA - "MIL POEMAS A PABLO NERUDA" CONTA COM PARTICIPANTES DE TODO O PLANETA, INCLUSIVE BRASILEIROS QUE SERÃO REPRESENTADOS PELA ESCRITORA MARANHENSE, NA QUALIDADE DE EMBAIXADORA - DRA. DILERCY ADLER.
COM MUITA HONRA PARTICIPO DA SEGUNDA EDIÇÃO DA REFERIDA ANTOLOGIA, COM TRÊS POEMAS A NERUDA, SOLICITADOS PELO QUERIDO ALFRED ASIS.

JULHO LEVA FESTA À LITERATURA E À MEMÓRIA DO CHIE, COM PABLO NERUDA!

VIVAS A POETA IMORTAL!
www.outraseoutras.blogspot.com
Baronesa Lúcia Helena

sábado, 25 de junho de 2011

Geraldo Amancio e Sebastião da Silva-mourao perguntado.

Xangai - Galope à Beira Mar Soletrado

ANTOLOGIA NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO JORNALISTAS ESCRITORAS DO BRASIL/AJEB

DRA HILDA AGNES HÜBNER FLORES COMEÇA A SE ARTICULAR PARA EDITORAÇÃO DA ANTOLOGIA NACIONAL DA AJEB.

DRA. HILDA AGNES HÜBNER FLORES

A Dra. Hilda Agnes Hübner Flores é professora da PUCRS, aposentada, historiadora, 16 livros editados. Pesquisadora temática de gênero. Em 1999 lançou o Dicionário de Mulheres, com 3.300 verbetes de autoras do Brasil , obra premiada, referencial da produção feminina no país.

A 2a edição do Dicionário de Mulheres foi autografado, com absoluto sucesso, no dia 02 de maio do corrente, no Teatro Alberto Maranhão, com inúmeras figuras brasileiras e do Rio Grande do Norte.

A mais recente obra autografada pela Dra. Hilda Flores, foi em Porto Alegre/RS: "Mulheres na Guerra do Paraguai", com absoluto êxito.

**********************************************************************

QUAISQUER INFORMAÇÕES, ESCREVER PARA A DRA. HILDA FLORES O QUANTO ANTES:

HILDA FLORES- hildahflores@gmail.com
fonte: www.letrasecanaviais.blogspot.com

sexta-feira, 24 de junho de 2011

TRIBUTO A JOSÉ MILANEZ - MEU PAI

Há 24 anos assassinaram um repentista
Pela maldade que ainda reina entre os povos
O
Seridó e também toda Currais Novos
Choraram a morte do seu maior sindicalista
Saiu nas rádios, nos jornais e nas
tevês
Que uma bala emudeceu Zé
Milanez
Calando a voz, suas lutas e os seus
brilhos
Hoje ele canta lá do céu para seus filhos
e
Pra Nenzinha, na sua eterna viuvez.
.
Poeta Ademar Macedo/RN

----------------------

José
Milanez...Símbolo de honestidade, humildade, resignação.
Foi feliz! Fez história... linda a sua
trajetória, sua maneira de ser.
Sua luta não foi em vão. Despertou consciências ajudou o irmão,
foi amado, admirado, invejado... provocou emoção! Deu poesias
e amor. Seu sonho: Um mundo mais justo para o trabalhador.
.
Poetisa Darci Macedo/RN

---------------------------

Meu pai, meu exemplo, meu
herói.
Autor da minha vida.
Inspiração de toda uma geração,
Poeta... mestre no repente,
na cantoria embalava sonhos,
alimentava corações!
No sindicalismo, homem de força,
garra, coragem.
Enfrentava tudo e todos em prol
do homem do campo
o trabalhador rural,
objeto de sua luta!
Meu pai, ceifaram a sua vida,
mais suas
ideias ficaram,
seus ensinamentos perpetuaram-se,
fez escola, fez
discípulos e fez memória.
Eu sou a sua
trajetória,
trago muito de ti.
.

Geralda Efigênia

------------------------

JOSÉ MILANEZ permanece vivo, pelo reconhecimento de seu trabalho, pela sua luta em prol
do Trabalhador Rural.

.
ALGUMAS HOMENAGENS PRESTADAS.
.
nome de Rua em Currais Novos/RN - Decreto nº 576 de 11/08/1987.
.
nome de Rua em Cerró Corá/RN - Projeto de nº 03/88 de 23/03/1988 - autora Vereadora Ana Maria.
.
nome de turma do Curso de Ciências Sociais da UFRN - 1988.
.
nome do Projeto Editorial da Associação dos Anistiados Politicos do RN - 2004
.
nome de troféu - embolada de cantadores - 1987
.
nome de concurso da Associação Estadual de Poetas Repentista/RN - 2009

Tema de poema coletivo, no facebook - José Milanez: poeta da minha terra
autores: José Ivan Pinheiro, Francisco Cândido de Souza

-------------------------------
Muitas Homenagens, em prosa e verso.
.
Cronica do Saudoso Monsenhor Auzonio de Araújo " intitulada: José Milanez, ontem levaram-no da vida"
.


Folhetos (Literatura de Cordel)

Tico Teixeira
José Omar Ribeiro
Luiz Rodrigues de Souza
Salomão Martiniano Gomes - Salim Gomes
José Saldanha de Menezes
José Antonio de Melo
Expedito Jorge de Medeiros
Alice Eunice Dantas.
-----------------------------
.
Sarau Literário - Tributo a José Milanez pela Sociedade dos Poetas Vivos e Afins/SPVA-RN
2005

--------------------------

POETA NÃO MORRE,
é um sol que se põe. A voracidade sangrenta do verme não te destruiu.
.

Geni Milanez

TRIBUTO AO ESCRITOR BARTOLOMEU CORREIA DE MELO

TRIBUTO AO AMIGO BARTOLOMEU - POR ORMUZ BARBALHO SIMONETTI - PRESIDENTE DO INSTITUTO DE GENEALOGIA DO RN.

BARTOLOMEU CORREIA DE MELO
ORMUZ BARBALHO SIMONETTI

TRIBUTO AO AMIGO BARTOLOMEU
Ormuz Barbalho Simonetti (*)



Nos últimos dias tenho lido e ouvido muitas histórias sobre o escritor, o pai de família, o poeta, o contista, o professor, o lutador obstinado, enfim o meu amigo Bartolomeu Carreia de Melo, o meu amigo Bartola. Por minha vez, quero deixar registrado apenas a história de nossa amizade, que teve seu começo num dia de carnaval.

Corria o ano de 1962 e ao entardecer do dia 7 de março, a Av. Deodoro se enchia de alegria. Apinhada de foliões, vestidos de rei, piratas ou de jardineira. Desfilavam, também, os tradicionais pierrôs, colombinas e arlequins, além dos conhecidos papangus, cobertos com trapos coloridos. Esses personagens perambulavam pelas ruas de então, num frenético vai e vem, alegrando e divertindo os espectadores que tomavam as calçadas ao longo de toda a avenida. Grandes máscaras com motivo carnavalesco pendiam presas aos postes de ferro que iluminavam a cidade daquela época, enfeitando o corredor da folia. Os pés de ficus benjamim, iluminados com lâmpadas coloridas e cobertos por serpentinas de todas as cores, davam uma visão lúdica aquele ambiente que se preparava para mais uma noite de folia.

Foi nesse ocasião que voltei minha atenção para um dos foliões que por ali passava. Aquela figura me chamou a atenção “pelo conjunto da obra”. Alto, magro, óculos fundo de garrafa, calças faroeste e camisa bem colorida, típica da ocasião. Com passos miúdos e arrastados, acompanhava no andar, a cadência que vinha das troças e bandinhas de frevo que passavam na ocasião. Usava um chapéu de abas curtas e no canto da boca pendia um cachimbo à moda Sherlock Holmes, de onde retirava, a todo instante, grandes baforadas de fumaça que enchiam o ar com o cheiro característico do fumo Bulldog, coisa muito chique para os padrões da época. Aquela figura era o amigo Bartola, que misturado a multidão acompanhava as inúmeras “troças” que enchiam a avenida. Não sei por que, mas nunca me esqueci daquela cena. Aquele dia ficou gravado para sempre em minha memória. Certa vez tive oportunidade de lhe falar sobre esse dia e demos boas risadas. Ele, naturalmente, não se lembrou da ocasião.

Daí por diante, passei a encontrá-lo com mais freqüência. Naquela época, nossa aldeia ainda muito pequena, as pessoas tinham mais facilidade de se conhecerem. Mesmo que não se cumprimentassem, sabiam de quem se tratava. Não obstante ser ele um conhecido professor, profissão que amou durante toda sua existência, logo fizemos os primeiros contatos. Por ser cinco anos mais velho que eu, via-o com certa reserva, pois quando se é jovem, esses anos significam uma considerável distância, principalmente no trato intelectual. Com o passar dos anos, essa diferença tende e se extinguir. Daí por diante passamos a nos encontrar pelas ruas da cidade, bares, sorveterias, cinemas e outros pontos, para onde convergiam os jovens daquela época.

Após sua formatura na UFRN, mudou-se para São Paulo onde fez mestrado em química, disciplina que elegeu para sua carreira profissional, só retornando a Natal, alguns anos depois. Como um abnegado e apaixonado pelo que fazia, passou anos a fio repassando seus conhecimentos a várias gerações de estudantes em nossa cidade. É difícil encontrar um colegial daquela época que não tenha tido o privilégio de um dia ter sido aluno do professor Bartola.

Na década de 80, voltamos a nos encontrar. Dessa vez, em virtude da amizade do casal Bartola eVerônica, com minha cunhada Glicia Galvão Damasceno, que também fazia parte do departamento de Química da UFRN. Desde esse dia, cresceu e se afirmou entre nós, o mais puro sentimento de amizade fraternal. Tive oportunidade de passar momentos em agradáveis conversas, onde a tônica era o humor. Nunca conseguimos conversas por mais de meia hora sem que surgisse uma piada ou uma história pitoresca que tivesse acontecido com alguém.

Na praia da Pipa, onde nos visitou por muitas vezes, passávamos horas escutando suas piadas. Quando se tratava dessa arte, era imbatível. Tinha na ponta da língua, uma anedota para cada situação que alguém abordasse. Se não as tinha, criava na hora, pois sendo inteligente e espirituoso, nunca perdia a oportunidade de dar boas risadas.

Certa vez, me deslocava pela Rua João Pessoa e ao passar na calçada do Centro Cearense, vi que Bartola caminhava bem à minha frente. Com passos largos e braços em franco movimento como se quisesse voar, andava com a cadência de um dobrado militar. Na sua frente, nessa mesma passada, também caminhava uma jovem senhora de quadris avantajado que balançava feito um pudim, ao sabor de suas firmes e elegantes passadas. Vendo aquela cena, não resisti. Apressei o passo e perguntei: “Bartola, prá onde você está indo??” E ele com aquele sorriso maroto respondeu de chofre: “eu vou aqui no vácuo dessa jamanta, até onde, não sei!”. Dito isso foi uma risada só, tanto dele como a minha e dos passantes que ouviram o diálogo entre nós. Assim era ele, espirituoso ao extremo e sempre pronto a provocar risos com suas tiradas maravilhosas.

De outra feita, quando ele estava internado na UTI do Hospital do Coração, onde convalescia de mais uma de suas constantes crises respiratória, tivemos o seguinte diálogo. Ao me aproximar do seu leito, ele olhou pra mim e com visível dificuldade na voz perguntou: Ormuz, você pensa quando vai respirar? Eu ainda surpreso pela pergunta respondi: Não! Ninguém pensa! Então ele me disse: pois eu penso. A todo instante eu penso se vou conseguir respirar mais uma vez. Foi aí que me dei conta de sua pergunta e entendi o sofrimento pelo qual ele estava passando.

Vendo meu constrangimento, deu mais uma prova de sua grandeza e de humor apurado, virtudes que manteve até o fim de seus dias, e relatou um acontecimento hilário. Contou-me que no dia anterior, a enfermeira cumprindo sua rotina de trabalho, chegou para medir sua pressão. E manteve o seguinte diálogo. - Bom dia seu Bartolomeu!. - Bom dia, essa menina. - O senhor dormiu bem? - Assim, assim! Após os movimentos característicos do tensiômetro, a moçinha, olha pra mim com ar de preocupação, e disse: seu Bartolomeu sua pressão esta muito alta!! E ele pra não perder a oportunidade, saiu-se com essa: também essa menina! Você fica o tempo todo alisando meu braço, e ainda não quer ela suba? Talvez esse diálogo na realidade nunca tenha acontecido, mas foi a maneira gentil que encontrou de me deixar mais à vontade e tornar mais alegre aquele ambiente de sofrimento.

Recentemente quando fundamos a ACLA – Academia Cearamirinense de Letras e Artes, fui convidá-lo para participar da Instituição, pois dela faziam parte grandes amigos de sua época de adolescente em Ceará-Mirim, todos ligados a arte e a literatura. Esses amigos se propunham a iniciar um grande movimento em prol da cultura daquela cidade. Novamente ele fez uso de seu humor, dizendo: “Ormuz, eu estou muito mais para patrono”- risos.

Era imbatível, mesmo nas piores situações que enfrentou durante todos os anos que lutou contra a doença devastadora que aos poucos lhe tirava as forças, mas não conseguia lhe tirar o humor, nem a vontade de viver. Sempre esteve pronto a transformar a dor e o sofrimento em esperança e alegria. Nesses últimos anos que lutou bravamente contra sua enfermidade, nunca vi em seus olhos o menor sinal de medo ou desespero. Pelo contrário, sempre o encontrei com um semblante sereno e pronto pra dar uma gostosa risada ao menor sinal de uma boa piada.

Por natureza, sempre foi um vencedor. Amigo de todas as horas nunca se furtou a ajudar aos que lhe procuravam. Quando me iniciei na literatura, já cinqüentão, como foi o seu caso, encontrei nele a força necessária de um grande colaborador sempre disposto a me ajudar, orientando-me para melhorar, cada vez mais, aquilo que me propunha escrever.

Quase que diariamente nos falávamos por telefone e com freqüência eu lhe visitava em sua casa. Durante esse período, jamais deixou transparecer qualquer sentimento de revolta em virtude de sua precária saúde ou o mais tênue sinal de medo do que estava por vir, pois sendo católico fervoroso sabia que o amanhã pertence ao Criador.

Perdi um grande amigo, e o país perdeu um excelente contista que fez história, pois conseguiu recuperar para sempre, grafada em suas obras, como: Lugar de Estórias, e Estórias Quase Cruas, com linguagem característica do caboclo do nordeste do Brasil, principalmente da regido canavieira do século passado.

Todos sabem que sua ausência será muito sentida. Entretanto, ficam presentes as boas lembranças guardadas no lado esquerdo do peito, como diz a canção.

Pipa, madrugada de 23 de junho de 2011.

__________________________________________________
(*) Escritor, membro da ACLA e Presidente do Instituto de Genealogia do RN.

www.ormuzsimonetti.blogspot.com



N O T A
Hoje completam 7 dias da partida do amigo Bartolomeu Correia de Melo. As missas serão realizadas em Ceará-Mirim as 9:00H na Igreja Matriz e em Natal na Igreja N.S. do Líbano à 18:00H.
www.letrasecanaviais.blogspot.com

quinta-feira, 23 de junho de 2011

DIAS CAMPOS - CONTO

NUNCA DESÂNIMO...

- Estamos aqui reunidos para tratar de um assunto de extrema importância e
máxima urgência! Um verdadeiro escolho aos nossos legítimos interesses. – Havia
apenas mais três integrantes nessa reunião. Por isso, a altiloquência da mediadora era
um tanto desnecessária.
- Eu detesto quando ela começa com essa “ladainha ufanista”. – Comentava
Marte com o parceiro da direita e a baixa voz.
- Ora, ora... Desde o último embate entre vocês, lá em Tróia, que você detesta
tudo o que diga respeito a Minerva. – Respondia Ares, o seu equipotente grego, no
mesmo tom e com picardia, relembrando ao deus da guerra sangrenta a derrota dos seus
protegidos, face à epopeica vitória dos exércitos resguardados pela deusa da guerra
justa.
- Quietos! A hora é de somarmos forças e não de nos dividirmos. – Cariocecus, o
deus lusitano da guerra, interveio e pôs fim à quase celeuma. Minerva continuou:
- A humanidade cada vez mais se une em torno do pacifismo... E isso tem que
ser revertido. Onde, o nosso proveito? Onde, o nosso prazer? – E a camarilha
concordava em uníssono.
- É notório que os movimentos a favor da paz estão se organizando dia a dia e
por toda a Terra. E, o que é pior, ampliam os seus tentáculos por meio das mais variadas
formas, indo de discursos empolgantes, passando pelas passeatas e chegando à solta de
balões brancos. – Prosseguia Minerva, em seu introito.
- Ora, não sei por que tanto alarido – desdenhava a divindade lusitânica. Quero
recordá-la de que nunca abandonamos os nossos postos. Aliás, lembra de Heráclito?
Pois não foi você, Ares, que bem soube deturpar a Luta dos Contrários, levando os
contemporâneos do filósofo e os que se lhes seguiram a justificarem a guerra, pois dela
resultariam a harmonia e a justiça?
- E olha que nem precisei de sacrifícios humanos para me estimular. – E os três
riram a breve tempo, lembrando os prisioneiros que, volta e meia, eram ofertados a
Cariocecus.
- Não questiono, aqui, os nossos feitos pretéritos – intervinha Minerva –, mas
coloco à prova o nosso futuro, a nossa sobrevivência! – De repente, o silêncio se
sobrepôs aos gracejos... e a circunspecção tomava conta das mentes beligerantes.
Passados alguns segundos, Marte questionou:
- E o que mais poderíamos fazer para atacar essa onda pacifista? O que sugere?
- “Uma grande parte dos males que atormentam o mundo deriva das palavras”,
disse Burke certa vez. Ora, lembrando que, na atualidade, praticamente não há mais
fronteiras para a literatura, já pensaram no malefício que faríamos se conseguíssemos
minar os espíritos de quantos tentam usar a palavra escrita em prol da paz? Ataquemos
os escritores, e o estrago se multiplicará.
- E por acaso essa ideia é original? Também quero lembrá-la, oh querida irmã,
de que jamais negligenciamos essa área do pensamento humano; tanto que bem
soubemos inspirar muitos autores. Aliás, já que hoje estamos para as citações, recordo o
americano Oliver Wendell Holmes: “A guerra é a cirurgia do crime. Por má que ela
seja, significa sempre a extirpação de qualquer coisa pior.” – Marte não perdia nenhuma
oportunidade de alfinetar a rival.
- E eu, o brasileiro Tobias Barreto: “Cada guerreiro que por nós combate é a ira
de Deus que se faz homem.” – complementou Ares, aderindo à zombaria.
- Sempre a impulsividade sobrepondo-se à racionalidade... Não quis fazer alusão
a esse ou àquele escritor, propriamente dito. Referia-me ao Concurso Mundial de
Cuento y Poesía Pacifista, e que, pelo que fui informada, ganha adesões a cada minuto.
- Esclareça melhor o seu plano, Minerva. O que você pretende realmente? –
Carioceus falava por todos.
- Eu explico: é notório que as palavras, sobretudo as escritas, sempre foram mais
fortes do que as espadas ou canhões. Chegam a milhões e se perpetuam na história. Ora,
indaguei a mim mesma, como contra-atacar os nossos inimigos e conseguir com que
sejam derrotados?
- Como?! – Perguntaram, a uma só voz, os três armipotentes.
- O segredo está em convencer-lhes os espíritos de que são incapazes de mudar o
ser humano. De que seus esforços, suas palavras serão sempre inúteis; uma luta em vão,
uma tola utopia. – Um leve sorriso, misto de maquiavelismo e prazer, formava-se
espontâneo nas fácies bestiais.
- Agora entendo aonde quer chegar, Minerva. Tratemos de convencer os
participantes de que são impotentes diante da beligerância inata dos mortais e esse
concurso será o maior fiasco de todos os tempos! – Era a primeira vez que Marte
concordava com a parenta.
- É claro!... Com isso, toda a Terra reconhecerá que, se até seus poetas e
prosadores deixaram-se levar pelo desânimo, do que valeria ao povo que os toma como
exemplos perseverar no ideal pacifista? – Ares somava-se em entusiasmo.
- Brilhante, oh deusa da guerra diplomática! É como eu sempre digo: as boas
ideias se revelam simples e eficazes. Sendo assim, proponho um brinde – e a potestade
lusitana levantava a taça –: ao malogro desse concurso!
- Ao malogro! – E beberam, e riram, e celebraram por toda a noite.
Era preciso agir rápido. Cada divindade ficou encarregada de atuar em uma parte
do globo. Marte, por exemplo, não abriu mão das Américas; Cariocecus, de toda a
Europa... Minerva e Ares não se opuseram e dividiram o restante de comum acordo.
No dia seguinte ao refestelo, e mesmo sob a viva lembrança de Baco que bem
lhes pesava ao raciocínio, os potentados partiram com seus exércitos rumo às casas dos
concursandos. E o cerco teve início, implacável, impiedoso...
- Ah, como é nobre a sua intenção. E quão bela a sua veia artística! – Comentava
Ares, consigo, junto a uma promissora poetisa. – Pena que tudo farei para tolher-lhe o
ânimo. Que tal...? as últimas investidas da Coréia do Norte? Lançam uns mísseis aqui,
outros ali... e a boa e velha Guerra Fria está mais viva do que nunca.
- Vejo que seu conto está prestes a acabar, pretenso aprendiz de best-seller. –
Sussurrou Marte, em tom desdenhoso, a um romancista consagrado. – Quem sabe eu
possa desencorajá-lo, enfatizando que o homem continuará a não dar ouvidos à história,
pois os campos de concentração, que pensavam estar para sempre enterrados, ainda
ardem nos corações bósnios, face ao extermínio perpetrado em Srebrenica?
- Nada como reinar aquém da Taprobana... – Cariocecus deleitava-se ao
regressar a Lisboa. Nunca se desapegara do seu antigo Condado Portucalense... –
Percebo vigor e idealismo neste jovem ensaísta. Seu currículo só tende a florescer.
Bem... que tal se eu o lembrar do comércio escravagista que os nossos patrícios
desenvolveram? Ou então... Dos arbítrios que seu avô salazarista cometeu? Certamente
essa breve retrospectiva o envergonhará e o desalentará, pois o levará a crer que os
mortais continuarão a se chafurdar no erro, século após século, mesmo que admitam a
história como uma espiral ascensional.
- Que otimismo na terceira idade! Não pensei que chegando aos oitenta e dois
anos ainda houvesse esperança dentro desse coração velho e cansado. Quer dizer que a
literatura infantil é o seu passatempo? Curiosa coincidência... pois o meu é, justamente,
desvirtuar a juventude! – Nunca viram Minerva tão pérfida! – Vejamos... Idade
provecta, vida sofrida... Pois eu pergunto, senhora, se tem tão pouco tempo de vida; se
viu guerras e até viveu comoções intestinas... será que ainda há tempo para ensinar algo
de bom aos pequeninos, pois, mais cedo ou mais tarde, engrossarão as fileiras de
soldados, revolucionários ou terroristas?
E os meses foram passando... A cada dia, os comandantes divinais eram
informados por seus generais sobre as investidas aos participantes do concurso.
Romancistas, poetas, contistas, sonetistas, ensaístas, novelistas... todos os que, com sua
arte, procuravam contribuir para a prosa ou para poesia pacifistas eram acossados das
mais variadas formas; nunca olvidando dos objetivos e dos meios traçados por Minerva.
E toda vez que o quarteto divino se reunia para avaliar a ofensiva, era difícil saber qual
deles cantava maior vantagem sobre o outro. Os semblantes, no entanto, camuflavam a
realidade dos fatos, escamoteando-os nos torreões do orgulho...
E o concurso continuava... e por mais que os deuses guerreiros afirmassem que
os resultados que obtinham eram satisfatórios, ou que os relatórios apresentados por
seus comandados fossem, como diziam, positivos, o número dos participantes não
diminuía; pelo contrário, mais e mais escritores se inscreviam!
- Eu não consigo entender o que aconteceu! – bradou Marte num arroubo de
cólera, pois que encantoado pela angústia. Mas antes que algum dos demais ousasse
uma justificativa, um general se aproximou e disse:
- Oh altipotentes, um nosso espião conseguiu uma cópia de um dos poemas
finalistas. Tentará nos enviar o outro, bem como o conto selecionado, assim que a
oportunidade lhe for favorável. – E o entregou à mentora belicosa.
Minerva estava trêmula e envergonhada; muito distante da genialidade que um
dia inspirara Odisseu a imaginar um grande cavalo de madeira... Ares, então, tomou-lhe
o papel e, em voz alta e pausada, começou a ler um soneto.
E a cada verso, em que se entrosavam perfeitamente decassílabos e alexandrinos,
mais um quê de originalidade, revelava aos demais que o esforço que tanto
despenderam, esse, sim, tinha sido em vão:
Um só caminho.
Em meu reino, de onde posso tudo ver,
conta bendita a que me doei,
só vejo a luz que de mim criei,
nunca desânimo, em que não quero crer.
E se muitos há que te levam a arder,
pecadores por quem sempre roguei,
avatares alhures enviei.
.
Segue-lhes os passos! Isso, sim, é viver.
Mas o homem insiste em se desviar...
e não se detém. Conquista; mata; erra.
Enloda-se no poder que o faz cegar.
Destarte, retorna ao pó pela guerra...
Mas, não duvides, nasceste para amar.
Faze, pois, o que te cabe! Paz na Terra!

7º BELÔ POÉTICO - 14 A 16 DE JULHO DE 2011, PARTICIPE




7º Belô Poético
14 a 16 de julho de 2011

Ações/Reflexões
Reflexões/Ações

Poéticas

no Universo
da Cultura Popular


Local: Sesc Laces JK
Rua Caetés, 603 - 3º andar

(Esquina com Rua São Paulo)

Belo Horizonte – MG

Exceto as atividades Sarau Lítero Musical e Exercício Poético de Cidadania, verifiquem local na programação.


folder_cartaz_belo2011_FRENTEweb.jpg

Inscrições Abertas até 30 de Junho de 2011

Valor da Inscrição: R$ 15,00 (Quinze Reais)

Como se inscrever:

Deposite o valor da inscrição na conta corrente do organizador do evento:

Rogério Salgado da Silva

Banco Bradesco - Agência: 081

Conta Corrente: 091915-2

Após o depósito enviar e-mail para inscricoesbelopoetico@yahoo.com.br informando nome completo, nome artístico (se houver), endereço, telefone, data e horário em que foi feito o depósito bancário (vide no recibo de depósito).

Obs.: Os Poetas En\Cena V e demais apoiadores que constam na programação estão automaticamente inscritos no 7º Belô Poético .

folder_cartaz_belo2011_externo.jpg

Mais Informações:
(31) 3464-8213 - (31) 8421-6827

A EXPRESSÃO POÉTICA DE MAIRAN DE SOUSA SILVA LAURENTINO- MACAU/RN

AS AGUAS QUE BANHAM MACAU

.

Macau terra acolhedora
embalada pela brisa do mar
começando pela sua entrada
atá ao alagamar.
.
Aguas maravilhosas
que nos deixam a deslumbrar.
.
Boca de Camboa, Praia de Camapum
sem falar do Porto da pescaria
que só vem a complementar.
.
Presente da mãe natureza
que com sua delicadeza
veio nos presentear.
.
Macau e as aguas que a banham!

CLEVANE PESSOA INFORMA! NÓS DA POESIA ACONTECEU EM GRANDE ESTILO - VEJAM

NÓS DA POESIA EM BELO HORIZONTE- MG

http://hana-haruko.blogspot.com/2011/06/lancamento-do-nos-da-poesia-aconteceu.html-


Lançamento do Nós da Poesia aconteceu em clima de confraternidade e emoções em Belo horizonte-MG.














Adicionar legenda





A editora é a All Printe, o selo é do IMEL; a capa é trabalho do artefinalista Beto Ferris, sobre concepção de Iara Abreu, que também fez a primeira capa ; caricatura de Luiz Lyrio por Begê (do Portal do ilustrador).a contracapa foi feita sobre poemagem de Jaak Bosmans (Representante da FALASP em Belo Horizonte) que também expôs algumas no evento, prefácio de Lucas Guimaraens (neto do famoso poeta simbolista Alphonsus de Guimaraens) ; texto de abertura sobre Mercedes Sosa, de Rosa Helena Pimentel.

Quando cheguei, Brenda Mars e Bilá Bernardes diziam poemas dos vários autores e de sua própria autoria.Levei um vaso de lírios para a familia do homenageado , poemas, fotos e capas e livros de Luiz Lyrio.

Presentes muitos amigos e autores, dentre os quais, Tânia Diniz, editora de Mulheres Emergentes e Poeta, Eurides lemos Moraes da Cunha, autora de Prosa Para Gente Grande, José Estanislau(, autor , entre outros, de Todos Os Dias São Úteis-que prefaciei , Virgilene Araújo Autora de Brincando de Representar, que prefaciei e ilustrei;co-autora entre vários, com o esposo Rogério Salgado,de Tipo Exportação, que também prefaciei ) e sua irmã, a dentista Virgínia .

Aos poucos, irei falando mais a respeito.

O evento foi encerrado com Brenda Mars cantando um poema de Luiz Lyrio, "Que Descanses em Paz" -musicado por sua banda (Cáustico) , onde é baterista.
Clevane pessoa
poetisa de Belo Horizonte
mais detalhes? www.vivicultura.blogspot.com

ATENÇÃOOOOOOOOOOOOO! SINTE TRANSMITIRÁ ASSEMBLEIA DA PROXIMA SEGUNDA AO VIVO!

PARABÉNS DIRETORIA, VOCÊS SEMPRE INOVANDO!

Transmitiremos ao vivo a próxima assembleia do SINTE





Da Redação

Nós estamos procurando inovar para avançar. É com esse lema que estamos procurando melhorar cada vez com o nosso site.

Nós estamos recebendo muitos e-mails no sentido de colocar alguns eventos do SINTE ON-LINE e hoje com todos os recursos disponíveis para todos nós fica bem mais fácil avançarmos nesse processo.

Estaremos fazendo a nossa primeira experiência que será com a transmissão ao vivo da assembleia na próxima segunda-feira (27), às 14h30, se tudo der certo estaremos transmitindo ao vivo através do nosso site.

Bem vamos esperar que esse novo recurso de fazer com que você acompanhe ao vivo.

MAIS DETALHES:www.janeayesouto.com

EDUCAÇÃO DO CAMPO: A EXPERIÊNCIA DE QUIXABAS/MACAU-RN

ALUNAS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UVA, POLO MACAU/RN VISITA A ESCOLA RURAL DE QUIXABAS, ZONA RURAL DE MACAU.










A VIAGEM...

JESUS VAI ARREBATAR A IGREJA FIEL: Rachel Malafaia em Florianópolis (Poderoso) Oficia...

JESUS VAI ARREBATAR A IGREJA FIEL: Rachel Malafaia em Florianópolis (Poderoso) Oficia...

A EXPRESSÃO POÉTICA DE ED SANTOS


A FORÇA DO ABRAÇO

Levanta o astral
Deixa alguém de pé
Pergunto o que é?
...É sonho? Ou real?
É fenomenal
Toca-te profundo
Mudaria o mundo
O transformaria
Traz paz, harmonia
E tranqüilidade
Na realidade
Eu uso, eu faço
A fórmula é segura
É um bem que cura
A FORÇA DO ABRAÇO


Ed Santos

quarta-feira, 22 de junho de 2011

EVENTO DE CEICINHA CÂMARA EM VILA DO BISPO - SUCESSO TOTAL

TRÊS TEMAS, TRÊS AUTORES,

AS PRIMEIRAS FOTOS DO COLÓQUIO CULTURAL IDEALIZADO E ORGANIZADO POR CEICINHA CÂMARA, NO CENTRO CULTURAL DE VILA DO BISPO/PORTUGAL, COM APOIO DA CÂMARA MUNICIPAL E PATROCÍNIO DE DIVERSOS ESTABELECIMENTOS.
SOCIEDADE BRASILEIRA DE DENTISTAS ESCRITORES, SPVA E COLÓQUIO CULTURAL
CEICINHA CÂMARA ABRE O EVENTO COM AGRADECIMENTOS À CÂMARA MUNICIPAL DE VILA DO BISPO, ATRAVÉS DO SEU PRESIDENTE ADELINO SOARES E DEMAIS REPRESENTANTES, AGRADECENDO A PRESENÇA DOS EXPOSITORES BRASILEIRO E PORTUGÊS, BEM COMO, A PRESENÇA DOS ARTISTAS.
CEICINHA CÂMARA DANDO INÍCIO AOS TRABALHOS, CONVOCA AO PALCO, O EXMO. PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE VILA DO BISPO - ADELINO SOARES.
O PRESIDENTE DA CÂMARA FAZ BREVE EXPOSIÇÃO E AGRADECE A INICIATIVA DE EVENTO DE TÃO GRANDE E IMPORTANTE PORTE PARA A CULTURA E A LITERATURA DA CIDADE.
DR. CARLOS MORAIS DOS SANTOS (PORTUGUÊS) EM SUA BRILHANTE EXPOSIÇÃO
DR. RUBENS BARROS AZEVEDO - EM SUA MAGISTRAL APRESENTAÇÃO DE TEMA DE SUMA IMPORTÂNCIA, CONFORME VENTILADO VÁRIAS VEZES NO BLOG DA BARONESA LÚCIA HELENA, DENTRE OUTROS, INCLUSIVE ESTE.
MALU - A PORTUGUESINHA QUE MORA EM NATAL (BRASIL) E É UMA SIMPATIA!
A DRA. SELMA CALAZANS RODRIGUES FAZENDO A SUA BELA E OPORTUNA EXPOSIÇÃO
A ARTISTA DÉBORA EXECUTANDO UM FADO DE AMÁLIA RODRIGUES
DR. CARLOS MORAIS (PORTUGAL) E A VEREADORA RUTE, CONVIDADOS POR CEICINHA PARA A ENTREGA DOS BRINDES DOADOS PELA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA DO BISPO.
CEICINHA E MALU
CEICINHA COM O TROFÉU A SER ENTREGUE À ARTISTA DÉBORA
A MUSICISTA DÉBORA, COM CEICINHA, APÓS RECEBER O TROFÉU DAS MÃOS DO PAPAI ROGÉRIO E DA MAMÃE ROSA.
EXPOSITORES E CONVIDADOS NA HORA DO COFFEE BREAK
MALU (A QUERIDA PORTUGUESA CASADO COM RUBENS)
E MARIA DE DEUS, RESPONSÁVEL PELA LANCHONETE DO CENTRO CULTURAL DE VILA DO BISPO.
ANA PAULO (SP), CEICINHA (C.M./RN) E ADÍLIA (PORTUGAL)