quarta-feira, 1 de junho de 2011

A EXPRESSÃO POÉTCA DA POESTISA DOS VENTOS - DETH HAAK

Insone Poesia ou livre versejar?

Resmunga no ser lanhando entes

A mover véus dos cômodos vazios

E no breu cônscio aqui repousado

O coxim aflito assim vai cingindo...

Pesares que latem como cão danado

Fatigam o corpo no leito que medra

Contristado viver no adeus acenado

A tingir de pranto os versos doridos;

Dedos insones de alento extirpado

Ao ver cochilar nos papeis mofados

Os vultos da noite deserta de anjos

Revelam as bestas sem asas voando.

Deth Haak

“ A Poetisa dos Ventos”

1/6/2011