quarta-feira, 1 de junho de 2011

A EXPRESSÃO POÉTICA DE CIRO JOSÉ TAVARES

OS PÁSSAROS

Há sempre boas lembranças dos nossos dias,

recordações permanentes que só a morte abandona.

Regresso à antiga praça no meio das tardes estivais,

Meninos de calças curtas, suas bicicleta e patins.

Éramos muitos sem dar conta do avanço das horas.

Um dia, desses que não fogem, houve a magia do momento,

Que ficou na melancolia das retinas.

Súbito silêncio nos rondou, depois a ventania o pó das ruas

Finalmente a algazarra dos pássaros assombrando.

A revoada acinzentou o espaço onde o balé acontecia

por minutos incontáveis nosso alumbramento.

Foram-se com medo do poente que chegava,

e nunca mais voltaram aos saudosos olhos que voaram.