sexta-feira, 9 de setembro de 2011

DEPOIMENTO DA ESCRITORA FLAUZINEIDE NEIDINHA MOURA, SOBRE MEU PAI - ZÉ MILANEZ/SAUDOSA MEMÓRIA.


Foi com essa frase de saudade que a biografia desse homem imortal foi concluída no texto abaixo. “ZÉ MILANEZ VIVE!“ E eu ratifico: Vive mesmo, na garra de Geralda e provavelmente dos demais filhos e filhas para os quais ele deixou como legado: o senso de justiça, solidariedade, complacência, amizade e fidelidade. Mas também, ele nasceu dois dias após o famoso grito: “Independência ou Morte” ainda por cima nasceu em um sítio chamado “Boa Vista” que lhe ampliou a visão. E um dia após o “Dia Mundial da Alfabetização” para já nascer em consonância com as letras, assim sendo já nasceu alfabetizado. Nasceu no ano da “Primeira greve geral do Brasil”, que resultou na morte de um jovem chamado José Martinez. “José Milanez” era do signo de virgem e para os que acreditam em signo, o virginiano traz (como ele) características positivas de ser trabalhador, crítico, intelectual, prestável e organizado. Verbo que gosta de usar “Eu sirvo” . Zé Milanez foi para Deus no “Dia do soldado” dia esse criado para homenagear o famoso Duque de Caxias (por ser seu aniversário) que lutou com garra para defender o Brasil em todas as instâncias. Quantas coincidências... A história de vida desse cidadão chamado Zé Milanez é tão bonita que eu não poderia deixar de homenageá-lo nesse dia nove de setembro, dia de seu nascimento. Ah Geralda! Agora eu posso entender com uma luz focada em você, porque você brilha tanto e tem tanto orgulho do seu pai, sempre diz aos quatro ventos: Sou filha de Milanez... pudera, com um pai desses tem mesmo que anunciar.

E eu encerro minha homenagem dizendo:
Viva a família Milanez! Viva Geralda Efigênia! Poetisa, cordelista e herdeira das letras e da veia poética de Zé Milanez.
mais detalhes no blog:
www.divulgadoraliterocultural.blogspot.com