domingo, 23 de outubro de 2011

A EXPRESSÃO POÉTICA DE CIRO JOSÉ TAVARES - BRASILIA/DF

BALADA DA RESSUREIÇÃO - PARTE 1

Ciro José Tavares

“ir aos poucos subindo, subindo

Até encontrar a boca

E escutar num arpejo o universo parar

Na síncope de um beijo.”

Menotti Del Picchia, in Máscaras

Ressuscitar, mulher, é redescobrir o amor.

Primeiro abraço apertado partindo a lâmina de gelo

Que afoga receios e abre algemas do passado.

Depois deixar que livres, mãos pousem no teu colo

e despida a blusa dedos agitados corram

nos teus seios como rios caudalosos.

Estarás pronta, afinal, para sentir

no teu corpo o calor do amado que te cobre

entre beijos loucos e gemidos vindos da garganta.

Não escutarás sequer as palavras incompreensíveis

Atropeladas pelas nossas vozes convulsivas.

Mas eu ouvirei teu grito lancinante

no momento do encontro do êxtase divino,

e no silêncio posterior o compasso da respiração.

Como lençol diáfano a paz virá sobre teu leito

Para embalar o sono construindo, sonhos

Fênix renascida, mulher redescoberta.