terça-feira, 8 de novembro de 2011

A VOZ LITERÁRIA DE PEDRO SIMÕES - CIDADÃO DO RN - PARTE 1

A LONGA NOITE SEM LUA
Olhava para o céu negro, negro, sem esperança de luar - nem mesmo o sorriso triste ou alegre, côncavo e convexo da lua - quando me lembrei de uma obra que li nos anos sessenta escolhida dentre os livros do meu pai, e que me atraiu pelo título poético e pelo escritor que formava com John dos Passos, Hemingway e John O'Hara, um quarteto do jazz literário americano.
Tratava-se de " Longa Noite sem Lua" de John Steinbeck, que reli na Quinta dos Pirilampos há dois anos atrás.
Publicado em 1942, aborda um tema que permanece contemporâneo: a vitória inexorável da liberdade humana sobre a violência. O romance relata o cotidiano dos habitantes de uma pequena cidade portuária ocupada por tropas invasoras na Segunda Guerra Mundial. A obra circulou na época da guerra entre os participantes da Resistência e outros movimentos subterrâneos, em cópias mimeografadas. Os nazistas levavam ao fuzilamento quem fosse flagrado com ela.
Felizmente, as traças o pouparam, pois é um livro brochurado, publicado no Brasil no final dos anos quarenta.
Portanto, BOA NOITE, AMIGOS E AMIGAS, UMA LONGA E TRANQUILA NOITE SEM LUA.
Inté.