quinta-feira, 15 de março de 2012

A VOZ POÉTICA DE AFONSO GOMES - NATAL/RN


Outras palavras

Sabe aquela palavra

presa ontem na garganta?

Caducou.

Não sabe mais dizer.

Expirou intraduzível

e já não germina.



Vazia que ficou

é preciso recriar-se

para unir-se outra vez

à experiência da vida

– palavra-ser-vivo...



Que a palavra

assim nomeada,

na sublime experiência de ser,

recrie o homem.



E este,

movido pela re-experiência do sentido

e engendrando as cadeias do mundo,

reinvente

ele mesmo

o sonho da própria existência,

traduzindo sua vida

sobre a vida toda na terra.



E num sobrevoo da sua alma

na alma de toda a humanidade

espalhe sementes aos quatro ventos

nos cantos todos do planeta

que atinjam o ventre da terra

e a fecundem.



Saiba o homem:

assim como as sementes

buscam o aconchego da terra,

as palavras-vivas criam asas

e se disseminam.

Nas ondas do tempo mundo afora

buscam o abrigo último dos mortais,

germinando esperanças no coração humano

e fazendo brotar frutos da terra íngreme.

Frutos prenhes de sentido,

que inspirem vida

e calor,

trazendo à tona outras palavras

que transformem por fim

a fabulosa invenção da humanidade.



Afonso Gomes

Que as palavras semeiem vida.