quinta-feira, 5 de abril de 2012

FALANDO DE FRANCISCO MACEDO - O VATE MACEDO

Repassando mensagem da Bete:

Escrevo a todos os contatos de Francisco para agradecer todas as manifestações de amor pela sua pessoa. Falar de Macedo é dicotômico, fácil pela sua transparencia de alma, difícil pela alta complexidade de sua inteligência. Porém para resumir sua existência, digo apenas que, MACEDO FOI, É e SERÁ um GRANDE EXEMPLO DE COMO SE CONJUGAR O VERBO AMAR. Ele viveu o AMOR em toda sua plenitude, em todas as suas formas, no indicativo, subjuntivo, no gerundio, em todos os tempos: no passado, no presente e no futuro e principalmente no infinitivo onde o AMOR não se conjuga, ele apenas é!
Apesar da perda não sinto dor, sinto uma PAZ ETERNECIDA ao falar sobre Ele, é algo inexplicável, mas é como se a sua partida fosse provisória. Após ter me despedido dele pela última vez, cheguei em casa e re-visitando seus arquivos descobri que Ele tinha tudo representado em trovas e sonetos. Alguns parecem ter sido inscritos após os acontecimentos, pois descreviam como seria sua morte, seu velório, seu enterro e todas as homenagens que deveriam acontecer. Foi tudo como Ele queria e nem sabíamos que assim seria.
Desculpe-me o tamanho do texto, mas estou sentido necessidade compartilhar convosco um pouco desse momento que a todos pegou de surpresa.
Manterei o e-mail dele ativo para correspondências, trocas de informações.
Aos inquilinos de Trovápolis, já entrei em contato com algumas editoras e pretendo publicar este tão sonhado livro. Para isso vou precisar de todos vocês na divulgação, quando chegar a hora da publicação.
Obrigada! Bete a mulher que Ele amava e que o amava mais que Ele.
Quem puder repassar aos amigos, por favor o faça, pois não consegui enviar a todos os contatos de uma vez. Ainda estou aprendendo...
Obs.: respostas e comentários favor encaminhar para o email da Bete: vatemacedo@yahoo.com.br
Abraços do
Pedro Ornellas
--