domingo, 6 de maio de 2012

BOLSAS DE PESQUISA EM CONGRESSO SERÃO REAJUSTADAS EM JULHO: CNPq E CAPS



Após uma campanha intensa pelo reajuste das bolsas de pesquisa, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) anunciaram reajuste de 10% a partir de 1º de julho deste ano. Uma nova correção deve ser feita em janeiro de 2013, mas ainda não se sabe de quanto. O anúncio foi feito durante o 23º Congresso Nacional de Pós-Graduandos, nesta sexta-feira (4), em São Paulo.

“A verba sairá exclusivamente da CNPq e acredito que isso ocorra também com o Capes, pelo fato de que não recebermos reajustes em nosso orçamento. Esperamos chegar em breve a um aumento de 40% , como os estudantes reivindicam e como é justo, mas precisamos de pelos menos 120 milhões na conta. Vamos trabalhar juntos para que isso ocorra e para que a ciência e tecnologia recebam os holofotes que merecem”, avaliou Glaucius Oliva, presidente do CNPq.

Oliva participou, na manhã desta sexta da atividade “Pesquisa e Pós-graduação: desafios para a construção de uma universidade sem fronteiras”, que também contou com a presença do presidente da Capes, Jorge Almeida Guimarães; e de Gustavo Balduino, da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

O encontro faz parte do Congresso, que é promovido pela Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), e acontece desde a quinta-feira (3), na unidade da Vila Clementino da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Estima-se que cerca de mil pesquisadores devam passar pelo local.

Não foi detalhado qual o período que foi levado em conta o reajuste. Mas, a ANPG, que vem promovendo campanhas pelo aumento das bolsas, comemora o fato:

“É uma vitória. Afinal estamos há quase 4 anos sem reajuste. Mas, já avisamos que continuaremos na luta pelo reajuste maior, que gira em torno de 40%. Nós levamos em conta o cálculo sobre o PNPG [Plano Nacional de Pós-Graduação] entre 2005 e 2010, cuja correção não foi feita”, declarou ao Vermelho a presidente da ANPG, Elisangela Lizardo.

A partir de 1º julho o valor das bolsas vinculadas ao CNPq e à Capes, atualmente no valor de R$ 1.200 para mestrado e R$ 1.800 para doutorado, passarão a ser de R$ 1.320 e R$ 1.980, respectivamente.

O Ministério da Educação (MEC), a quem a Capes está submetida, confirmou o reajuste, mas não adiantou detalhes. O CNPq, que está ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), também foi procurado mas não soube dar detalhes além do que já havia sido anunciado pelo presidente Jorge Guimarães.

A bolsa de pesquisa é fundamental para viabilizar a execução de projetos científicos e tecnológicos nas pesquisas subordinadas, vinculadas e supervisionadas pelo MCT e pelo MEC. Na última avaliação trienal realizada pela Capes, no ano de 2010, registrou-se um crescimento de cerca de 20% no número de cursos de pós-graduação em relação à avaliação anterior (em 2007). Atualmente, existem mais de 2.700 cursos de mestrado e 1.600 de doutorado no país.

No dia 29 de março, a Campanha de Bolsas da ANPG mobilizou pesquisadores de todo o país, que paralisaram suas atividades em torno da bandeira do reajuste. “Sem a valorização do pós-graduando, o desenvolvimento da ciência no Brasil não se efetivará plenamente”, reforça Elisangela Lizardo, que enfatiza que a garantia da meta do PNPG é o que norteia o reajuste pleiteado pela ANPG.

com base no que diz o plano nacional, os cálculos levam ao resultado de um reajuste das bolsas de mestrado dos atuais R$ 1.200 para R$ 1.672,16 (39,34%) e as bolsas de doutorado passariam de R$ 1.800 para R$ 2.479,78 (37,76%).

Deborah Moreira
Da redação do Vermelho São Paulo

UJS/RN