sexta-feira, 22 de junho de 2012

AS TROVAS DAS MENSAGENS POÉTICAS DO ADEMAR MACEDO - NATAL/RN

< Uma Trova de Ademar >>>
  
<<< Uma Trova Nacional >>>
O que mais queres, querida,
se já te dei tudo, enfim?
Até minha própria vida
não pertence mais a mim.
Clênio Borges/RS 

<<< Uma Trova Potiguar >>>
O fogo faz seus horrores,
queimada é devastação;
onde havia vida e cores,
há tristeza e solidão!...
Fabiano Wanderley/RN
 
<<< Uma Trova Premiada >>>
1999 > Rio de Janeiro/RJ
Tema > TREM > 1º Lugar
Partiste e, num desatino,
teimando em partir, também,
meu coração, clandestino,
viajou no mesmo trem...
Edmar Japiassú Maia/RJ
 
<<< ...E Suas Trovas Ficaram >>>
Quanta prodigalidade!…
Em poucos meses, querida,
gastamos felicidade
que dava pra toda vida!
J. G. de Araújo Jorge/AC
 
<<<  U m a    P o e s i a  >>>
Quando a seca castiga o sertanejo
o fantasma da fome bate a porta,
um cachorro devora uma rês morta
que um abutre deixou como sobejo,
o matuto se muda num cortejo
revelando que ali a coisa é séria,
e a coruja zombando da matéria
sobre a cruz esquecida de um pagão;
palmilhando as veredas do sertão
deparei-me com cenas de miséria...
Hélio Crisanto/RN
 
<<< Soneto do Dia >>>
      SILÊNCIO.
 
                  –Sônia Sobreira/RJ
 
No silêncio de um momento encantado,
onde o clarão dos astros conheci,
vem a noite em seu vestido brocado
lembrar-me um sonho lindo que vivi.
 
Nesse momento belo e apaixonado,
as lágrimas e as mágoas esqueci
e o mistério do universo estrelado
me traz a calma... então, adormeci.
 
Mas quando o sol clareia os meus cabelos,
a brisa sopra e teima em desprendê-los,
o vento já não ri, o vento chora.
 
Desperto então do instante apaixonado
e os sonhos que voltaram do passado, 
ficam perdidos pelo mundo afora.