sexta-feira, 31 de agosto de 2012

SÓ MUDAR O CURRÍCULO NÃO MELHORA O ENSINO MÉDIO


apreprendizagem
Republico matéria do site da Rede Brasil Atual, 28/08/12
Para especialista, a solução do problema para o déficit de aprendizado dos alunos envolve medidas mais abrangentes
Por: Cida de Oliveira, Rede Brasil Atual
São Paulo – Até o final de outubro, um grupo de trabalho formado pelo Ministério da Educação (MEC) deverá apresentar propostas para o ensino médio. O pacote, que inclui reforma curricular e adoção da jornada ampliada, é uma resposta às médias sofríveis desse segmento na edição 2011 do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
Desde que a avaliação começou a ser realizada, em 2005, as médias das séries iniciais do ensino fundamental evoluíram praticamente três vezes mais rápido do que as do antigo colegial. Conforme declarou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, as principais razões são o excesso de disciplinas e a oferta das aulas no período noturno, na maioria dos casos, com estudantes defasados em relação à idade e serie.
Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao MEC e responsável pelo Ideb, o ensino médio praticamente não avançou como deveria. Em comparação com 2009, as médias de 2011 caíram em nove estados (Acre, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Pará, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Sul e Rondônia) e o Distrito Federal (DF).
Ficaram abaixo da média estabelecida para o ano em cinco estados (Alagoas, Espírito Santo, Pará, Rio Grande do Sul e Sergipe), além do DF. Houve melhora em 11 (Amapá, Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins). Na avaliação em geral, a média nacional do ensino médio ficou em 3.7, enquanto a dos anos iniciais foi de 5.
Para Ocimar Munhoz Alavarse, professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FE-USP), especialista em temas como avaliação e gestão educacional, as mudanças em estudo são inócuas. “Se o currículo for mudado, quem vai dar essas aulas?”, questiona.
“Antes de quaisquer mudanças que venham a ser feitas os professores precisam ser preparados. E não é o que está acontecendo”, diz o especialista, alertando para o fato de o ensino médio ser responsabilidade dos estados, e não da União. Na comparação que ele faz, modificar o currículo, com redução das disciplinas, é como trocar a colher com que se administra o remédio sendo que o ideal é passar a dar um medicamento adequado, prescrito conforme a doença.
Alavarse, aliás, discorda do ministro Mercadante também quanto ao suposto excesso de disciplinas. Segundo ele, português e matemática compõem a maioria da grade curricular, sobrando pouco espaço para outras matérias pedagógicas obrigatórias. “É preciso repensar o que está sendo ensinado e como isso está sendo feito, muitas vezes em escolas que nem banheiro têm.”
O especialista critica também a proposta de ensino médio ampliado, de difícil implementação. “Mais de 45% desses alunos estudam à noite ou porque precisam começar a trabalhar ou porque já são trabalhadores que não puderam estudar quando adolescentes. O ideal seria terminar o ensino médio aos 17 anos”, diz. “E se a tendência for de acabar com o ensino noturno, como esses alunos vão fazer para poder estudar?”
Mudanças no Ideb
Por causa do lento avanço do ensino médio no Ideb, o MEC estuda também substituir as provas de português e matemática pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A medida, segundo o ministério, é aumentar a amostragem dos alunos desse nível de ensino.  Por meio de sua assessoria de imprensa, o MEC afirmou não haver ainda nenhuma decisão tomada a respeito. E a Prova Brasil, um dos componentes do Ideb – o outro são as taxas de aprovação – continua a ser aplicada no 5º e 9º anos do Ensino Fundamental, para avaliar o desempenho dos estudantes em leitura e cálculos básicos.
Seja como for, Ocimar Munhoz Alavarse critica a possibilidade de inclusão do Enem. “Os objetivos são diferentes. A Prova Brasil deveria ser mantida para preservação da série histórica. Essa mudança me parece o caso do gordo que quer trocar a balança na esperança de estar mais magro em outra.”

CONCERTO ESPECIAL DA OSRN


AS MENSAGENS POÉTICAS DE ADEMAR MACEDO - SANTANA DOS MATO/RN

 
<<< Uma Trova de Ademar >>>
Toda dor deixa sequela,
mas devido eu sofrer tanto,
minha dor só se revela
na angústia triste do pranto.
Ademar Macedo/RN
 
<<< Uma Trova Nacional >>>
Nas noites claras de lua,
no desenho da calçada,
vejo a silhueta sua
à minha sombra abraçada.
Olympio Coutinho/MG
 
<<< Uma Trova Potiguar >>>
A lua cheia de agosto
é de uma beleza infinda...
nos olhos de um lindo rosto
é duas vezes mais linda.
Djalma Mota/RN
 
<<< Uma Trova Premiada >>>
2006 > CTS/Caicó/RN
Tema > PONTE > 6º Lugar.
No seco botão da rosa
que me deste em tenra idade,
vejo a ponte afetuosa
que me conduz à saudade.
Renato Alves/RJ
 
<<< ...E Suas Trovas Ficaram >>>
Presença é luz, sol que arde,
no firmamento incendido.
Saudade é sombra da tarde,
pungente como um gemido.
Pe. Celso de Carvalho/MG
 
<<<  U m a    P o e s i a  >>>
Casinha à beira da estrada
com chão de terra batida,
fiz do teu portão de entrada
o meu portão de saída,
parti morto de saudade
tangendo os sonhos da idade
pelas estradas da vida!
Prof. Garcia/RN
 
<<< Soneto do Dia >>>
    CONTRADIÇÃO.

                           –Maria Nascimento/RJ

Hoje, mais uma vez, desesperada
por ser injustamente preterida,
vejo que já nasci predestinada
a amar sem nunca ser correspondida...
 
Mas o que me dói mais, na despedida,
é saber que fui sempre desprezada
porque foste o anjo bom da minha vida
e eu, da tua, jamais pude ser nada.
 
Se me pudesse ver da eternidade,
chorando de tristeza e de saudade
pelo amor que no tempo se perdeu,
 
Carlos Drummond de Andrade me diria:
"E agora", como vais viver Maria
sem o José que achavas que era teu?!

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO DA INFÂNCIA/NEI - UFRN ESTÃO COM INSCRIÇÕES ABERTAS



A Universidade Federal do Rio Grade do Norte (UFRN), por meio do Edital nº 01/2012 do Conselho do Centro de Educação (CONSEC-CE), informa que no período de 10 a 12 de setembro acontecem as inscrições para seleção de crianças visando o preenchimento de vagas do período letivo 2013, do Núcleo de Educação da Infância (NEI-CAp).

De acordo com o edital, estão sendo ofertadas 60 vagas para duas turmas nomeadas Turma 1 e Turma 2, respectivamente. Turma 1 (matutino ou vespertino – 40 vagas) visa atender crianças que nasceram de 1º de abril de 2010 a 30 de março de 2011, sendo duas vagas reservadas para crianças com necessidade educacional especial.

A Turma 2 (matutino – 20 vagas) visa atender crianças que nasceram de 1º de abril de 2009 a 30 de março de 2010, sendo que uma dessas vagas está reservada para crianças com necessidade educacional especial.

Os pais ou responsáveis devem se dirigir ao auditório do NEPI (prédio anexo ao NEI) no período de 10 a 12 de setembro, das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h, portando a seguinte documentação para realizar a inscrição: ficha de inscrição devidamente preenchida, disponível no site: www.nei.ufrn.br; certidão de nascimento da criança (original e cópia); cópia do comprovante de residência; cópia da identidade dos pais e o laudo médico comprovando a necessidade educacional especial da criança.

Seleção

A seleção das crianças acontece, exclusivamente, por meio de sorteio público que será realizado no dia 19 de setembro, no auditório do NEPI (anexo do NEI), das 8h às 9h para crianças inscritas nas 40 vagas das turmas 1, e das 10h às 11h para crianças inscritas das 20 vagas da turma 2.

Mais informações sobre o sorteio e as matrículas podem ser obtidas no seguinte endereço eletrônico: www.nei.ufrn.br/wp-content/uploads/2012/08/NEI-EDITAL-2013-AGECOM.pdf
fonte: boletim diário da UFRN - por e-mail.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

PPGAS/UFRN REALIZA JORNADAS EM ANTROPOLOGIA JURÍDICA NOS DIAS 29 E 30 DE AGOSTO



O Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS), do Departamento de Antropologia (DAN) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), promove o evento: “Jornadas em Antropologia Jurídica: justiça e criminalidade em perspectiva”, nos dias 29 e 30 de agosto, na sala F1 do Setor de Aulas I.
O evento tem como objetivo promover um debate multidisciplinar sobre a relação entre Antropologia e Direito. E pretende discutir também a relação entre igualdade, justiça e criminalidade do contexto nacional.
A jornada tem como público os alunos dos programas de Pós-graduação em Antropologia e em Ciências Sociais. A capacidade é para 100 participantes e 72 já se encontram inscritos. O evento é gratuito e tem a coordenação da professora Juliana Melo, do DAN/PPGAS.
Confira abaixo a programação do evento:
29/08 -14h às 17h (sala 1F1, Setor I)
Mesa Redonda I - Educação, direitos humanos e sistema prisional.
Fábio Meirelles (SECADI/MEC)
Adailson T. Macedo (CRDH /UFRN)
Debatedora: Guiomar Veras (Novos Rumos na Execução Penal - TJ/RN)
29/08 – 19h às 22h (sala 1F1, Setor I)
Mesa Redonda II - Justiça, cidadania, diversidade e sistema prisional.
Luís Roberto Cardoso de Oliveira (PPGAS/UnB)
Stephen Baines (PPGAS/UnB)
Fábio Ataíde (Faculdade de Direito/UFRN)
Debatedora: Juliana Melo (PPGAS/UFRN)
30/08 – 19h às 22h (sala 1F1, Setor I)
Mesa Redonda III- Justiça e sistema prisional: diferentes perspectivas, vozes e experiências.
Guiomar Veras (Novos Rumos na Execução Penal - TJ/RN)
Conchita Combiani (Egressa / Projeto “Transforme-se”)
Debatedora: Rozeli Porto (PPGAS/UFRN)

As inscrições podem ser feitas através do endereço: www.sigaa.ufrn.br (extensão/inscrições online). Informações: 3342-2240 (Coordenação do evento)
fonte: sigaa

BOA PEDIDA - ORQUESTRA SINFÔNICA DO RN - CONVITE


domingo, 26 de agosto de 2012

MEC PLANEJA MODERNIZAÇÃO DO CURRICULO DE ENSINO MÉDIO, INSPIRADO NO ENEM

81mrqk05wk8rs5k17a

O debate não é novo: no ano passado, o Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou as novas diretrizes curriculares do Ensino Médio que propõem uma flexibilização do formato atual

Após a divulgação dos resultados insuficientes das escolas de ensino médio na última edição do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o Ministério da Educação (MEC) planeja uma modernização do currículo, propondo a integração das diversas disciplinas em grandes áreas. A inspiração deverá vir do próprio Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que organiza as matrizes curriculares em quatro grandes grupos: linguagens, matemática, ciências humanas e da natureza. Essa é a divisão que segue a prova, diferentemente do modelo tradicional por disciplinas como química, português, matemática e biologia.
O debate não é novo: no ano passado, o Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou as novas diretrizes curriculares do ensino médio que propõem uma flexibilização do formato atual. O diagnóstico é que o currículo do ensino médio é muito inchado – em média são 13 disciplinas – o que, na avaliação do secretário de Educação Básica do MEC, César Callegari, prejudica a aprendizagem. “O Enem é uma referência importante, mas não é o currículo, ele avalia o currículo. Mas ele traz novidades que têm sido bem assimiladas pelas escolas”, diz o secretário.
De acordo com Callegari, a ideia é propor uma complementação às diretrizes aprovadas pelo CNE, organizando as diferentes disciplinas em grandes áreas. “O que tem que ficar claro é que não estamos propondo a eliminação de disciplinas, mas a integração articulada dos componentes curriculares do ensino médio nas quatro áreas do conhecimento em vez do fracionamento que ocorre hoje”, explica.
Na próxima semana, o ministro Aloizio Mercadante se reúne com os secretários de Educação com o objetivo de discutir os caminhos para articular a mudança. Uma providência já foi tomada para induzir essa modernização dos currículos. Segundo Callegari, a próxima compra de livros didáticos para o ensino médio dará prioridade a obras que estejam organizadas nesse formato. O edital já está sendo preparado. O MEC tem um programa que distribui os livros para todas as escolas e a próxima remessa será para o ano letivo de 2015 – as obras são renovadas a cada três anos.
Para o secretário de Educação do Espírito Santo, Klinger Barbosa Alves, uma das explicações para os maus resultados da etapa em diferentes indicadores, além do Ideb, está na própria estrutura organizacional do ensino médio que se baseia na preparação para o vestibular e tem pouca atratividade para o projeto de vida do adolescente.
“A visão de que o ensino médio serve para formar pessoas para ingressar na universidade não se aplica à realidade de muitos. Os jovens têm necessidades econômicas e sociais diferentes. Existe uma pressão para que parte dos jovens ingresse no mercado de trabalho e aí o curso superior entra como uma segunda possibilidade” explica Alves, que é vice-presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed).
O secretário do Espírito Santo, um dos estados em que a nota do Ideb caiu de 2009 para 2011, defende um modelo de ensino médio que dialogue com as diferentes necessidades dos estudantes e inclua também a preparação para o mundo do trabalho, já que para muitos o ingresso na universidade pode não estar na lista de prioridades.
Para que a escola possa abranger essa formação diversificada – que inclua a aprendizagem dos componentes curriculares, a articulação com o mundo do trabalho e a formação cidadã –, Callegari defende que é indispensável a ampliação do número de horas que o estudante permanece na escola, caminhando para o modelo de tempo integral.
“Temos consciência de que os conteúdos e as habilidades que os estudantes precisam desenvolver não cabem mais em um formato estreito de três ou quatro horas de aula por dia. É assim [com ensino em tempo integral] que os países com um bom nível de qualidade do ensino fazem”, diz.

Fonte: Agência Brasil

sábado, 25 de agosto de 2012

CHICO ELION AGRADECE HOMENAGEM AO SEU FILHO NAZARENO DOUGLAS NOBRE , NOME DA CORDELTECA DO INSTITUTO PADRE MIGUELINHO - NATAL/RN

Miguelinho Centenário

Chico Elion 


Escola de muita luta e tradição
Quantos passaram pelos teus bancos
Aprendendo do bom viver a lição
Meninas e meninos em revoada
Entrando nos portões da casa-escola
Para receber a instrução de cada dia

Completando a verdadeira educação
Professores segundos pais a conviver
Dia após dia fazendo o ensino valer
Padre Miguelinho que seu nome escreveu
Pelo valor que tinha e o amor a Deus
Deixou pras gerações seu exemplo de vida
Ainda hoje existe na escola essa lembrança
Pois a educação é o bem maior do cidadão
Para crescer, para viver e para vencer.
Não poderia deixar de registrar
O nome de Nazareno Dowglas Nobre
Meu filho querido que tão cedo partiu
Mas fica seu nome gravado na lembrança
Na CORDELTECA dos poetas daqui e do Brasil.
Natal, 14/08/2012.

A EXPRESSÃO LITERÁRIA DE EDUARDO GOSSON - NATAL/RN

A TORRE AZUL
Por Eduardo Gosson (*)

Com este livro –A   Torre Azul –  o poeta  Horácio Paiva atinge a sua maturidade  literária para,   com  Walflan de Queiróz e Sanderson Negreiros, formarem o Trio Sagrado da Poética Potiguar.
Horácio Paiva quebra o abismo que há na Literatura entre o criador (maravilhoso!) e a criatura (miserável!)   e nos conduz a novos horizontes, convidando-nos para subirmos a sua Torre Azul, encravada na sua mítica Macau, e contemplarmos as paisagens, “as praias longínquas, os cais vistos de  longe,/E  depois as praias próximas, os cais vistos de perto/ O mistério de cada  ida e de cada chegada”(Fernando Pessoa).

Poeta com fome de Deus, Horácio  cultiva a mística do Silêncio pois sabe que o caminho é longo: “Para chegar até Vós/juntei palavras/que depressa se agrupa/em ciclos/Delas porém não preciso/satisfeito de estar convosco/ em silêncio absoluto”. Porém, nós que ainda não atingimos este estágio, precisamos  muito das palavras deste grande Poeta, para podermos continuar a nossa jornada. Afinal, a Palavra é o alimento da alma e  só os grandes poetas, como meu Amigo Horácio, podem ofertá-las gratuitamente. 

A  Torre Azul é fruto de um Poeta maduro no ofício da Poesia. Tive o privilégio de ver nascer  muitos dos poemas deste livro, que Horácio sempre me mandava em primeira mão via e-mail. Todos os poemas são ótimos, não se perde nenhum. Contudo, destacamos os Poemas Devocionais como ponto alto do seu fazer poético. Nestes poemas, constatamos que Horácio filia-se aos Grandes Místicos da América Latina, como Thomas Merton, Ernesto Cardenal, Pedro Casadálica e Hélder Câmara, artífices de um cristianismo que  está nos Atos dos Apostólos, e que a maioria das igrejas abandonou: um novo homem, uma nova criatura. Revolucionário.

Para  nós da União Brasileira de Escritores - UBE/RN, em regime de co-edição com a Imperial Casqueira Edições, é uma honra  editá-lo dentro do Plano Editorial- 2012 da entidade, vol. 03 da Coleção Antonio Pinto de Medeiros (Poesia)   e vol. 06 na cronologia geral das nossas edições. “Com o olhar/acima da montanha/com os pés supondo estar no caminho certo”.

(*) Poeta, presidente da União Brasileira de Escritores –  UBE/RN (2010-2011) e reeleito para outro biênio (2012-2013).

HISTÓRIA DO RN: JOSÉ TAVARES - PARTE II

VELHO TAVARES - PARTE II - Por Dr. Ciro Tavares

ONOFRE LOPES

As credenciais da velha estima, a fraternal intimidade, o conhecimento do homem no seu valor humano e na sua intensidade de espírito são a chave que esta Academia depôs em minhas mãos para abrir as suas portas na saudação da imortalidade e que hoje se investe o cirurgião, o professor universitário José Tava\res da silva, o meu velho Tavares. Mas será que o José Tavares é um literato? Escreveu livros, fez crítica, ensaios e romances? Onde estão as suas obras? Respondemos: Sim! José Tavares é homem de letras! A sua obra está esculpida em 40 anos de arte. Está gravada nas salas de cirurgia, nas enfermarias, nos lares, no coração e na memória da cidade. Está na ajuda que deu aos colegas, está no ensino que ministrou aos seus alunos, está no exemplo de dignidade profissional, na austeridade e na beleza do gesto que faz da Medicina arte divina. Em tudo se vê uma poesia, um ritmo, uma eloquência. E a sua cultura humanística e a atualidade dos seus conhecimentos científicos? Não é ele um mestre da técnica cirúrgica, no manejo dos métodos terapêuticos e das sutilezas dos movimentos hidrossalinos? Não é ele o conhecedor dos grandes centros cirúrgicos da América e do Velho mundo? Não é ele um cultor da língua que define a nossa raça e fixa as nossas tradições? Não é ele que, sem preocupações literárias, sabe dar beleza e dignidade à linguagem, por seu estilo, fidelidade e clareza? Na época em que vivemos, no império dos números, da massa, da força, da máquina, quando as artes enlouqueceram e o Parnaso morreu, aquele que disciplina emoções e preserva firmeza espiritual é um esteta.nos seus escritos, nos seus discursos, não há parábolas nem alegorias; não há requintes nem retórica; não há vaidades nem esnobismos. Há o exato, o necessário para exprimir a verdade do seu pensamento.na sintática ou na linguagem; n produção literária e nos voos da imaginação, talvez não seja um estilista; mas a conduta do pensamento, a singeleza da forma, o zelo gramatical levam o médico, o cirurgião, o professor catedrático, o homem de cultura às raias de outra missão: um servidor das letras. Os valores humanos se medem pela soma de todas as ações que imprimem no tempo o esforço criador da espécie. As letras são um instrumento a mais da ação do pensamento. Nem sempre a obra da arte da literatura é um livro. Revela-se, também, na coisa criada, pela sua profundidade e conteúdo. Imortalizamos o espírito criador. Fixemos na história a perfeição das coisas que inspiram a beleza da vida. Um bisturi tem também a sua linguagem nobre. Tem arte e ciência, tem sensibilidade e emoção. Faz as mais belas preces e suporta os maiores sacrifícios para acalmar os ventos das ruidosas tempestades da vida.
A Tavares nunca se lhe escasseou a emoção poética, a inspiração artística ou a eloquência para o bem. não escreveu livros, mas espalhou cultura. As vitrines não ostentam volumes seus, mas uma cidade inteira aplaude sua figura humana frente ao templo da imortalidade. O marechal de Saxe e o Duque de Richelieu, os médicos Francisco de Castro e Miguel Couto, na Academia Francesa e na Academia Brasileira, não eram profissionais das letras, mas se imortalizaram na memória do tempo que Molière, Descartes Pascal, Diderot, Balzac não pertenceram às Academias. Nem se tem a esperança de ver repetida a fase áurea da geração de Olavo Bilac, Paula Nei, Arthur de Azevedo, Sílvio Romero, Machado de Assis, Coelho Neto, Joaquim Nabuco, José do Patrocínio. Muito menos a ressurreição da livraria Francisco Alves, da Garnier, da Lapa, da Rua do ouvidor, da Gazeta de Notícias, do jornal do Brasil, das polêmicas e das boêmias. Estamos em face de uma tumultuosa revolução da vida literária, de uma depressão o sentimento literário, como atividade exclusiva. Aqui e em toda parte. Vemos ruínas d velhos tesouros, e ao mesmo tempo experimentamos o sortilégio de um espírito novo, na vertigem dos espaços, desligados do passado e da história. A literatura e as artes, como ornamentos das ideias estão de nova roupagem. Mas, estilo, beleza, fidelidade definem o espírito, o caráter, a origem e o gênio da raça, na marcha do tempo. É preciso manter e avivar a chama do bom gosto, como instrumento de afirmação de um povo. O homem de letras é o guardião, aquele que esculpe e perpetua a vida na sua beleza, na sua eternidade.
Tavares, velho Tavares: A Academia o elegeu. Reconheceu que você fez obra imorredoura e realizou o ideal de cultura do seu tempo. Você fez outra obra literária. Esta é uma festa do espírito. É um reconhecimento. É uma justiça. É um aplauso. Estamos, por isso, de coração aberto, assim alegres e fraternos. Receba desta Casa, que bem soube alargar as portas para recebê-lo. Os que aqui chegam pelo que fizerem, poderão dizer, como Horácio, que não morrerão de todo. Venha, pois, para a imortalidade.
 

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

ESCRITOR CUBANO PROFERE PALESTRA NA ACADEMIA DE LETRAS DO RN - CONVITE

O PRESIDENTE DA UBE/RN E DA ANL CONVIDAM PARA A PALESTRA A SER PROFERIDA PELO ESCRITOR CUBANO - FÉLIX CONTRERAS


 
UBE - RN
 
EDUARDO ANTONIO GOSSON
 
DIÓGENES DA CUNHA LIMA
 
FÉLIX CONTRERAS
 

C  O  N  V  I  T  E

O presidente da União Brasileira de Escritores UBE/RN e o presidente da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras - ANL convidam Vossa Senhoria e família para assistirem a palestra do poeta cubano Félix Contreras, intitulada: Poesia Cubana ontem e hoje.

Data: 28.08.2012 (Terça-feira)
Hora: 19h
Local: Academia Norte-Rio-Grandense de Letras
Rua Mipibu, 443 - Petrópolis

União Brasileira de Escritores - UBE
Eduardo Antonio Gosson
Presidente

Academia Norte-Rio-Grandense de Letras - ANL
Diógenes da Cunha Lima
Presidente

HISTÓRIA DO RN: TRAJETÓRIA DE VIDA DE JOSÉ TAVARES - PARTE 1


  • VELHO TAVARES PARTE I

    Onofre Lopes
    Faz já algum tempo... as cenas me chegam à memória apenas em retalhos, resto de passado que faz história. Sei que, como adolescente ambicioso, fiquei cheio de inveja: Viram? Hoje houve um exame de francês que assombrou! É só no que se fala!... Foi um estudante, José Tavares, que fez exame todo tempo falando em francês! Cabra danado de inteligente!...Formidável, todo o exame em francês!
    Não andava eu ainda fazendo preparatórios. Nunca havia entrado no Ateneu. Chegara recentemente do interior. Estava ainda bem brabo. Mas,gravei o interessante comentário e recolhi o nome de José Tavares, como se faz com as moedas de valor. Foi no tempo em que, menino empregado no comércio, primeiro na Casa de Ferragem de Francisco R. Viana, na Rua Dr. Barata, e, depois, no Armazém de Estivas de M. Rocha, na Rua Chile eu procurava caminho na nebulosa, e, nos tropeços, meio ambição, meio confiança, todo esperança, vagueava pelas salas de aula noturna do Dr. João Batista, do Mestre Ivo Filho, do Prof. João Tibúrcio depois, bem mais tarde, nas bancas de exame do Ateneu.ouvia falar das vitórias dos que estudavam, dos anéis vistosos de quem se formava, da importância social, da elegância no vestir daqueles que vinham das Faculdades. Era, também, o tempo em que outros estímulos me excitavam: pessoas humildes, puras, boas, habituais das “vendas” dos meus irmãos João e Pedro Lopes, onde eu vivia e sonhava, contavam com exagero os milagres da inteligência de Rui Barbosa, recitavam Fagundes Varela, Olavo Bilac, Álvares de Azevedo, Castro Alves.
    E, para maior motivação, via o jovem Bacharel kerginaldo Cavalcanti, inteligente, bem trajado, de passos largos e resolutos, espargindo vitórias, fazendo discursos floridos de estrelas...
    Não ouvia mais falar em José Tavares. Estava longe, cursando a Faculdade de medicina do Rio de Janeiro.Reapareceu em meados de 1927, agora médico. Médico sem aquela velha austeridade. Era magro, de algum, bigode, calças largas, folgazão, comunicativo e humano. Chegou de bisturi na mão sabendo falar melhor o Francês e, já agora, também o Alemão e o Espanhol. Em Natal, não se fazia ainda cirurgia, como especialidade exclusiva. Somente o saudoso Januário Cicco, sempre capaz, hábil e culto, operava excepcionalmente os casos de urgência e os acessíveis à sua técnica.
    José Tavares e Luís Antônio, formados juntos, amigos inseparáveis, o cirurgião moderno e o clínico geral seguro da medicina do tempo. Duas inteligências agudas na cidade provinciana e bucólica. Cidade de pouco ruído, de pouca gente, de ruas arenosas, de pregões de tabuleiro na cabeça.mas, nela também existiam as adormecidas canções e alma que Goethe via em todas as coisas. De pouca eletricidade, mas de céus iluminados e escampos, podia-se escutar o silêncio e ouvir estrelas, na rimas dos poetas e na plangência das doces serenatas. Tudo na cidade era pequeno, ou era pouco. De médicos, além de Januário Cicco e Varela Santiago, como figuras centrais, havia Otávio Varela, Ernesto Fonseca e, mais tarde, Aderbal de Figueiredo, todos do melhor conceito e respeitabilidade.
    José Tavares e Luís Antônio chegaram plenos de novas energia. Fizeram uma revolução. Revolução na Medicina. Revolução no antigo hospital Juvino Barreto. Solteiros, fizeram também revolução no belo sexo. Alegres e traquinas eram os donos de tudo e de todas... Quem sabe se, por aí, ainda não há restos de ilusões que pedaços de alma recordam com ternura? Dois grandes profissionais vivendo a técnica e o progresso da Medicina contemporânea, sempre com grandeza d’alma, sempre sarcedotais. Em 1933, quando chegava do Rio de janeiro, também formado em Medicina, é que vim conhecer José Tavares, é que retomei a moeda guardada. Senti que devia tratá-lo de doutor. Era um grande nome e eu mais jovem. Mas, a sua simplicidade, a sua jovialidade e o coleguismo franco e largo eram tais que a intimidade veio depressa e espontânea. Passei a chamá-lo de Tavares. Hoje, chamo-o de velho Tavares, modo que uso para dizer querido e velho amigo. Amigo de todas as horas. Sempre solícito e leal desprendido e bom. Na minha condição de aprendiz de cirurgia, nunca me faltou a sua palavra de encorajamento, nunca me faltaram os seus ensinamentos, nunca me faltou sua orientação sensata e segura na conduta operatória. Eu dizia que ele era o meu Lejars, pelo estímulo que sabia dar, por sua presença constante e incansável em apoio das intranquilas sessões cirúrgicas, como fazia esse incomparável autor de A Cirurgia de Urgência.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

A VOZ POÉTICA DE ED SANTOS - SÃO PEDRO/RN

Eu

Quando inspirado me vejo
Vem de Deus a inspiração
Quando eu faço meus versos
Creias vem do coração
Da cuca sai coisas lindas
Que admira uma nação

Quando inspirado me vejo

É força do criador
Na rima sou astronauta
Pra teus versos sou doutor
Para provar o que digo
Sou poeta cantador

Quando inspirado me vejo
Eu salto no mar fervendo
Não tem chumbo derretido
Não rolo espremendo
Poeta com o teu porte
Quando me ver sai correndo

EdSantos

ESCRITOR EDUARDO GOSSON E A QUESTÃO DOS REMÉDIOS DE ALTO CUSTO NO GOVERNO ROSALBA - DEM/RN


Por Eduardo Gosson(*)

O governo da doutora Rosalba Ciarline ficará conhecido   como um governo anêmico: não dialoga com a sociedade e os movimentos sociais, colocando a culpa nos antecessores. Assumir   responsabilidade   é a coisa mais difícil que existe:  -“fui  eu, foi o meu governo. Foram os governos que me antecederam.” É mais fácil.
Por ser portador do Mal de Parkinson há sete anos, tenho direito por lei a receber os medicamentos de alto custo, no entanto fui  obrigado a entrar com uma ação judicial para fazer valer os meus direitos: a justicialização da saúde existe  porque o governo não respeita o ser humano. Cumpra com as suas obrigações e as questões judiciais  cessarão! E mesmo assim não os recebi  integralmente. Explico melhor: no início de janeiro deste ano recebi  dois dos três medicamentos para o semestre (Sifrol  3mg +Prolopa 200/50mg) e aos recebê-los dei entrada num outro  processo para o segundo semestre uma vez que passa seis meses pela burocracia da SESAP. Desde o dia 30 de junho que os remédios acabaram e semanalmente vou a UNICAT e a Secretaria de Saúde em vão... jamais  vi tamanho descaso! Por estar com muitos problemas financeiros em virtude da morte de um filho  recentemente, fui obrigado a pedir publicamente aos amigos via INTERNET e jornais (O Jornal de HoJe, na coluna de Dani  Pacheco  publicou um apelo,que resultou numa imediata solidariedade) é que pude comprar os três medicamentos que custam em torno de R$  1.600,00 (Um mil e seiscentos Reais). Em agosto recebi-os em forma não correta: lá no setor demanda  judicial  recebi o sifrol numa dosagem de1mg o que me obriga a tomar mais comprimidos ao dia, padecendo o fígado. Os outros medicamentos recebi-os  da UNICAT porque um paciente teve a conduta médica mudada e os seus remédios sobraram, segundo informações de funcionários.
Como sou homem de  lutas estou preparando uma ação de danos  morais contra o Governo do Estado, cujo dinheiro que venha a ser ganho, será revertido integralmente para  o FUNDO DA SAÚDE  para fazer cessar a vergonha que nós, cidadãos, estamos  passando.
É uma vergonha termos uma médica no Governo do Estado e a Saúde na UTI . Acorda, Rosalba!
(*) Cidadão, preside a UNIÃO BRASILEIRA DE ESCRITORES – UBE/RN

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

ENSINO MÉDIO INOVADOR - EMI CHEGA A 2 MIL ESCOLAS


Ocimara Balmant e Paulo Sandaña
Quase 2 mil escolas do País já aderiram ao programa Ensino Médio Inovador, do Ministério da Educação (MEC), que prevê investimentos federais, ampliação da jornada e reestruturação dos currículos. A estimativa de investimento para 2012 é de R$ 105 milhões nessas escolas.
De acordo com a legislação, são os Estados os responsáveis por essa etapa da educação na rede pública. Por isso, o programa nasceu com o objetivo de induzir a reestruturação dos curriculares de acordo com as novas Diretrizes Curriculares Nacionais do ensino médio. Na época, o texto já estava sendo debatido no Conselho Nacional de Educação e viria a ser aprovado pelos conselheiros em maio de 2011
.
Em 2009, o projeto piloto foi iniciado em 355 escolas. O programa foi ampliado este ano para mais 1.641 escolas, chegando a 1.996 unidades em 24 Estados, mais o Distrito Federal. Ao todo, são 1,7 milhão de alunos.
O programa também prevê a ampliação do tempo dos estudantes na escola. A proposta incentiva que a direção das unidades busque alternativas próprias de melhoria. A previsão é atender mais 4 mil escolas em 2013.
Em seis Estados
Pará, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí e São Paulo -, o programa está sendo implementado a partir deste ano em parceria com o Jovem do Futuro, projeto do Instituto Unibanco. Neles, a previsão é de que haja 100% de adesão das escolas até 2014. "Nossa parceria pressupõe um compromisso do Estado de perseguir um crescimento considerável no Ideb", explica Wanda Engel, superintendente-executiva do instituto. "Não dá para continuar estagnado", afirma.
O empurrão para essa melhoria no aprendizado será consequência, diz Wanda, de uma escola mais atrativa. "Isso só acontecerá se tivermos um currículo flexível, com disciplinas optativas que contemplem interesses diversos." Os resultados são esperados no próximo Ideb, em 2013.
Na Escola Estadual Renato de Arruda Penteado, da zona norte de São Paulo, a primeira visita da equipe técnica já animou os estudantes. Eles foram convidados a falar das disciplinas prediletas, do que os motiva, de problemas e sonhos "A partir dessa conversa até o comportamento dos alunos mudou. Eles já fazem planos de como será mais estimulante o tempo de estudo", diz Edson de Novaes, coordenador de ensino médio da escola, que tem mais de 800 alunos no ensino médio.
Autonomia
Segundo o presidente do Conselho Nacional de Educação, José Fernandes de Lima, o programa vai de encontro aos princípios da nova diretriz, principalmente ao apostar na autonomia da escola. "O programa está sendo discutido em vários Estados e provocando um bom debate, principalmente em torno da ampliação da carga horária. Ajuda o fato de ter recursos."
Lima foi relator da novas diretrizes, que dividem o ensino em quatro grandes áreas: Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Matemática e Linguagens. "Dentro das áreas estão as disciplinas, mas não falamos em disciplinas, tem de ter flexibilidade. Acreditamos no projeto pedagógico das escolas."
A Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que norteia todo o sistema de ensino, também não define disciplinas obrigatórias - com exceção de língua estrangeira. Leis ordinária de 2008 incluiu Filosofia e Sociologia como obrigatórias. "Se tiver de fazer discussão de mudanças nessas obrigatoriedades, não é com o Conselho ou MEC, é com o Congresso." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo
Copyright © 2012 Agência Estado. Todos os direitos reservados.
 
fonte:

sábado, 18 de agosto de 2012

ESCRITORA SUZANA JÁCOME LANÇA LIVRO - CONVITE


O EDITOR JAÉCIO CARLOS CONVIDA PARA OS AUTÓGRAFOS DE SUZANA GALVÃO, NO PRÓXIMO DIA 18-08-201, ÀS 18 HORAS, NA LIVRARIA NOBEL DA SALGADO FILHO.

COQUETEL DE NICK BUFFET
Fonte
http://www.versosediversos.blogspot.com.br/
www.divulgadoraliterocultural.blogspot.com

MANÉ BERADEIRO - E SEU HUMOR POÉTICO


O PAI NOSSO DE DONA COSMA

Dona Cosma foi uma senhora que viveu na cidade de Campo Grande/RN, nos idos de 1888. Muito católica fazia suas orações diárias, porém,muito distraída, com os seus afazeres domésticos e com os serviçais. Segundo Câmara Cascudo, Dona Cosma rezava  "O PAI NOSSO" desta maneira:
-PAI NOSSO QUE ESTAIS... Fenelom? Fecha a boca, negro!
-NOS CÉUS. SANTIFICADO SEJA... Te aquieta, moleca!
-O TEU NOME. VENHA À NÓS O VOSSO REINO ...Bote a língua prá dentro Bastião!
-SEJA FEITA A VOSSA ...Que balançado é esse, Catarina?
-VONTADE....Vicente? Você fechou o chiqueiro?
-ASSIM NA TERRA...Vá arrotar na cozinha, nega!
-COMO NO CÉU...Fechou bem fechado Vicente?:
-O PÃO NOSSO...Parece que a cabra está solta!
-DE CADA DIA...Severino tire as mãos dos pés!
-NOS DAI HOJE ...Deixe de abrimento de boca, Zefa!
-PERDOAI AS NOSSAS DÍVIDAS...Severino, acabe com essa coceira!
-ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS...Inácio? Bote esse gato prá fora!
-OS NOSSOS DEVEDORES ...Não disse que a cabra tá solta!
-NÃO NOS DEIXEI CAIR...Bote o gato logo, está surdo!
-EM TENTAÇÃO...Zeferina? O lugar de dormir é na rede!
-MAS LIVRAI-NOS, SENHOR... Pare com esse roncado, Jeremias!
-DO MAL...Solte os pés, negro sujo!
-AMÉM...Vocês não deixam a gente rezar direito!

Fonte: Religião do Povo, Câmara Cascudo, página 106, 1974. Imprensa Universitária-PB.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

A MENSAGEM DE LIA CRUZ PARA SEU PAI - PROSA POÉTICA


(Homenagem a um pai Afonso Bezerrense)
Essa publicação do NotíciasRN foi escrita por uma correspondente natalense, com o intuito de homenagear seu pai, nascido em Afonso Bezerra e, hoje, residente nessa cidade.
“Quero falar sobre o meu pai, um homem-menino muito especial que eu não pude abraçar (fisicamente), como tantos filhos puderam fazer nesse Dia dos Pais. Desde pequena, ouvi inúmeras histórias e peripécias sobre esse homem, muitas das quais imprimiram nele o apelido de “Cão”. Colocar sapo na gaveta da professora, esconder pedra de paralelepípedo na bolsa de pano da colega de classe, jogar areia na merenda da escola, jogar tênis no quadro enquanto a professora escrevia, entre tantas outras travessuras que levaram uma professora enfurecida a gritar: 
“ESSE MENINO, PRA SER O CÃO, SÓ FALTA O RABO!”
Falando assim, até fica engraçado,
Mas fico imaginando quanta raiva ele deve ter provocado
E quanta cinturãozada deve ter levado.
Esse danado era “Bonzinho que só dinheiro achado!”
Você, leitor, que tem mais tempo de vida em Afonso Bezerra já sabe de quem me refiro: um tal Luciano Cruz, conhece?
 Essa história vai continuar
E me perdoe se eu tornar a rimar
Porque quando começo, não consigo mais parar
Paciência eu peço, pois tentarei me controlar.
controlar.
Esse lado “Cão” de meu pai já é bem conhecido, mas tem um lado que eu faço questão de exaltar, que muita gente já deve ter usufruído ou presenciado: o lado de melhor amigo. Brincalhão, presepeiro, comunicativo, por tudo isso que o chamo de homem-menino.


Menino ele também é no que tange ao coração,
capaz de tirar a roupa do corpo pra atender alguém com precisão*
De vez em quando, tem jeito de homem bruto e durão, mas só quem convive sabe o quão gente boa e amiga ele é. Papai é pra nós (Lucianinho e eu) uma espécie de herói sem capa, rei sem coroa, criança de cabelos grisalhos. É aquele cábra que gosta de receber ligação do filho, só pra se sentir lembrado. Que às vezes liga só pra perguntar “Aí ta chovendo?”. É aquele medroso que o filho tem que arrastar pro hospital pra tomar soro e, na primeira chance que tem, ele escapar escondido. É o homem que me deu uma merecida surra por eu ter chamado uma mulher de “negra suja”, quando era pequena, me ensinando na prática o que realmente é sujo: o preconceito e a falta de respeito. Foi com ele que aprendi a lidar com as pessoas, recebê-las bem, “fazer sala”, diverti-las, conversar, brincar, seja ela de qualquer posição social: rica ou pobre, importante ou esquecida. Por aí se tira o quanto uma homenagem é merecida.

Hoje, esse homem assiste nossas vitórias de camarote e sai contando os nossos feitos pra todo mundo. A gente morre de vergonha, mas entende que é só porque ele se orgulha dos filhos que tem. Hoje, a gente só quer cuidar dele (mesmo à distância). Hoje, eu quero dizer pra você que esse homem de nome Luciano Cruz não é só “o Cão” que vocês conhecem. Que ele é aquele homem que é criança todo dia e que faz você todo dia virar criança. E, como todo bom cão é o melhor amigo do homem, esse pai que Deus nos deu é o nosso melhor amigo.
Papai, como filha peço a Deus todo dia que cuide de sua saúde e que te permita uma vida digna e suficiente. Peço desculpas por nem sempre poder aparecer em Afonso pra ficar contigo e por não telefonar com tanta frequência quanto você gostaria. Mas espero que você tenha certeza de que eu amo muito você”.
Lidiane Cruz (Lia)
P.S.: Quero justificar a minha escolha por fazer uma homenagem pública: Não gosto de me expor, nem de chamar atenção, mas aprendi que atitudes honrosas, elogios e pedidos de desculpa a gente faz publicamente – por isso escolhi o blog pra homenagear meu pai diante desse público, majoritariamente afonsobezerrense.
Agradeço a todos que tiveram paciência de ler essa publicação; ao nobre professor Klayton pela grande gentileza em permitir que eu usufruísse desse espaço do blog pra homenagear meu tão querido pai; e a Deus pela inspiração.

UBT DE PORTO ALEGRE/RN COMUNICA



Com muito pesar, a UBT comunica que faleceu em Porto Alegre , no dia 10.08.12, o poeta e trovador ARLETTE SACRAMENTO, aos oitenta e dois anos de idade, associado da UBT da Capital gaúcha. Nascido em Valença, RJ, Arlette viveu a maior parte de sua vida em Porto Alegre , onde era funcionário do Banco do Brasil. Em 1978, foi considerado o trovador revelação do ano, tendo recebido o troféu “César Torraca”. Entre outros, é autor dos livros “POEMAS EM SELEÇÃO” e “DEPOIS...AS ESTRELAS”. Usava o cognome “O poeta da rosa Vermelha”.

Trova de Arlette:
A minha doce ilusão
é ter a longa esperança,
mantendo no coração
teu rosto, grata lembrança.

Flávio Stefani - Presidente
 

(Pede-se divulgar)
--
"Amigo que foi, não era" (Pedro Ornellas)
fonte: por e-mail.


 

A SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DA CULTURA POR MEIO DA SUEM INFORMA...

  A Subcoordenadoria de Ensino Médio- SUEM, responsável por divulgar, orientar e selecionar os Projetos de Lei como critério de seleção para a Nona Edição do Programa Parlamento Jovem Brasileiro-2012 informa que seguindo os critérios de Tema (âmbito nacional, relevância ,originalidade),Justificativa, Técnica Legislativa (obediência ao modelo de um projeto de lei) ,Redação ( clareza,pontuação, gramática, vicio de linguagem,erro manifesto,) Iniciativa,Constitucionalidade, Legalidade, Regimentalidade, o Centro de Formação (CEFOR) em parceria com a Câmara de Deputados analisou e selecionou o projeto de lei cujo estudante representará em Brasília, durante uma semana, o estado do Rio Grande do Norte.   
Assim, parabenizamos as Diretorias Regionais de Educação na dedicação à divulgação e orientação aos estudantes das suas circunscrições, e em especial  à 4ª DIRED pela seleção de seu estudante:

                          Jovem Parlamentar 2012  Andson Robson Cardoso de Farias da Escola Estadual Maurício Freire - São Paulo do Potengi/RN
                                                                       

                                                                               Aliete Bormann
                                                                 Subcoordenadora de Ensino Médio
Visite Rede de Experiências Inovadoras em: http://redeemiexperienciasinovadoras.ning.com/?xg_source=msg_mes_network
fonte: Rede de Experiências Inovadoras da SUEM/SEEC
 

domingo, 12 de agosto de 2012

O MAIOR LIVRO DO MUNDO - COMUNICADO



FELIZ DIA DOS PAIS, MESMO PARA QUEM JÁ TEM O SEU NO CÉU COMO O MEU.

 MEU PAI, JOSÉ MILANEZ - IN MEMORIAN


Parece que foi ontem,
Entretanto não foi.
Já faz mais de vinte anos
que fiquei sem o meu pai.
.
Muitos anos que fiquei,
sem acalanto, sentindo muita tristeza,
sofrendo a orfandade
nunca esqueci tanta dor, tanto pranto.
.
Mas hoje, dia dos pais
Eu fico ainda mais sofrida
e as lembranças mais doloridas.
.
Pois eras um pai presente
que em muito me ensinou, muito me ajudou
porisso até hoje choro de saudades e de dor.

DIA DOS PAIS: AS MENSAGENS POÉTICAS DE ADEMAR MACEDO - SANTANA DO MATOS/RN

  
<<< Uma Trova de Ademar >>>
Com minha alma enternecida,
confesso com todo ardor;
Deus me deu dois dons na vida:
ser “Pai” e ser “Trovador”!...
Ademar Macedo/RN
 
<<< Uma Trova Nacional >>>
De meu pai, em mim gravada,
guardo a imagem, rotineira,
de uma camisa suada
sobre as costas da cadeira...
Arlindo Tadeu Hagen/MG

<<< Uma Trova Potiguar >>>
Adotando os bons conselhos
das faculdades morais,
os filhos serão espelhos
da retidão de seus Pais.
Djalma Mota/RN

<<< Uma Trova Premiada >>>
2001 > Pouso Alegre/MG
Tema > PAI > 3º Lugar
É de dor a sensação:
meu pai... arrastando os passos;
e eu... puxando pela mão
quem já me levou nos braços!

Antônio Carlos T. Pinto/DF 
 
<<< ...E Suas Trovas Ficaram >>>
Disse Deus à humanidade:
“Crescei e multiplicai” ...
É nesta cumplicidade,        
que o homem torna-se pai.
Francisco Macedo/RN
 
<<<  U m a    P o e s i a  >>>
Neste domingo de agosto
os sinos bem mais, badalam,
os passarinhos se calam
do sol nascente ao sol posto,
e o sorriso no meu rosto
descreve uma frase assim
cheia de amor, pois, enfim,
do meu peito um clamor sai:
eu quisera ser um pai
tal qual o meu é pra mim.
Francisco José Pessoa/CE
 
<<< Soneto do Dia >>>
         O LAMPIÃO.    
 
                               Pedro Ornelas/SP
 
Meu velho lampião a querosene,
relíquia que conservo com cuidado,
herdei de quem também legou-me o gene
de homem de bem, guerreiro, honesto e honrado!

Sinto-lhe a falta e a dor castiga, infrene,
quando te olhando lembro inconformado
quanta festança e quanto ato solene
nós três compartilhamos no passado!

A casa então se torna o antigo rancho,
no canto o esteio, e nele o velho gancho...
e o pranto de saudade aflora e cai...

e ao transmutar-se assim todo o ambiente
– magia da lembrança – em minha frente
não vejo o lampião, vejo meu pai!
 
fonte: por e-email.

DIA DOS PAIS - SONETO DE GILMAR LEITE - POETA PERNAMBUCANO

                 Dia dos Pais

Faz tempo que meu pai partiu da terra
E deixou aqui o círio da saudade,
A lembrança o meu coração invade
E arrebenta o sentir que não encerra.

No meu peito, a sua visão desterra,
Que germina a flor da paternidade;
E na minha alma o ocaso da orfandade
Se faz como o sol quando deixa a serra.

A presença carnal não existe mais,
O seu semblante no meu peito faz
Retornar ao meu mundo de criança.

Hoje, nesse mensal, doze de agosto,
A saudade desperta e invade o rosto,
E derrama os orvalhos da lembrança.

                                         Gilmar Leite, hoje reside em Natal/RN

UNIÃO BRASILEIRA DE ESCRITORES - COMPLETA 53 ANOS DE ATIVIDADES NO RN



Texto: Eduardo Gosson*

Nesta terça-feira, dia 14 de agosto de 2012  faz 53 anos de fundação da UBE/RN. Cronologicamente, somos a 3ª entidade mais antiga (1ª – IHGRN;2ª -ANL e 3ª - UBE)  Vejamos um pouco desta história:
1ª fase. A  idéia partiu do jornalista, escritor e magistrado Edgar Barbosa durante a Semana de Estudos Euclidianos, promovida em Natal/RN, com o apoio de diversas instituições. Na histórica reunião de 14 de agosto  de 1959, às 20h50, no IHGRN com a presença do escritor Umberto Peregrino,  Aldo Fernandes, Edgar Barbosa,  Alvamar Furtado, Grimaldi Ribeiro, Dióscoro Vale, Raimundo Nonato e Manoel  Rodrigues. A diretoria aclamada para a organização da UBE – Secção do  Rio Grande do Norte – ficou assim constituída: Raimundo Nonato – Presidente; Manoel Rodrigues de Melo, Vice-Presidente e Afonso Laurentino – Secretário . Essa Diretoria Provisória preparou o Estatuto e organizou o processo eleitoral em  14.11.1959, três meses depois, sendo eleitos os seguintes escritores para o biênio 1960/1961:
(1ª Diretoria)
Raimundo  Nonato da Silva, Presidente;  Paulo Viveiros, 1º Vice-Presidente; Manoel Rodrigues de Melo, 2º Vice-Presidente; José Saturnino de Brito, 3º Vice-PresidenteAfonso Laurentino Ramos, Secretário  Geral; Berilo Wanderle, 1º Secretário; Leonardo Bezerra, 2º Secretário; Antídio de  Azevedo, 1º Tesoureiro; Jaime dos G. Wanderley, 2º Tesoureiro.
Conselho Fiscal: Câmara Cascudo,Edgar Barbosa , Alvamar Furtado, Esmeraldo Siqueira e Américo de Oliveira Costa.
Vogais: Antônio Soares Filho, Vingt-un-Rosado,  Jurandir Barroso , Zila Mamede e Veríssimo de Melo.
Através de um Comunicado endereçado ao Presidente da UBE nacional , escritor Peregrino  Júnior, datado de 19.11.1959, o presidente da UBE/RN, escritor Raimundo Nonato da Silva  comunica da eleição da 1ª diretoria da entidade, bem como solicita a filiação da UBE/RN à UBE, com sede no Rio de Janeiro.
Em  21.01.1960 foi fundada uma sub-seção da UBE/RN: Jaime Hipólito Dantas, João Batista Rodrigues, Vingt-um Rosado e Manoel  Leonardo Nougueira.
Outra curiosidade: o Estatuto tinha 3 tipos de sócios:1. Sócios Efetivos (fundadores e efetivos). 2. Sócios Honorários e 3.  Sócios Beneméritos.
2º fase. Inicia-se com a vinda de Fagundes de Menezes em 16.11.1984,   no Salão dos Grandes Atos da Fundação José Augusto, na presença de  18 intelectuais. Curioso notar que a escritora Zila Mamede  participou das duas fases, sendo inclusive  Vogal da 1ª Diretoria da UBE (1960/1961) e sócia fundadora na segunda fase. Outra curiosidade: Dom Nivaldo Monte também participou das duas fases.
3ª fase. Inicia-se em 23 de março de 2006 com uma reunião de reorganização, na sede da Academia Norte -Rio-Grandense de Letras, contando com a presença de 8 escritores:   Anna Maria Cascudo Barreto,Carlos Roberto de Miranda Gomes. Eduardo Antonio Gosson, Lívio Oliveira, Pedro Vicente da  Costa Sobrinho, Nelson Patriota,  Manoel  Onofre de Souza Júnior e Racine Santos
Lívio Oliveira (2006-2007) ficou à frente da entidade por um ano e oito meses quando, por motivo particular, renunciou ao cargo. Por aclamação Eduardo Gosson assumiu a Presidência da Diretoria Provisória consolidando a entidade em definitivo (2008-2009). Após o registro da entidade, foi eleito para presidir a UBE no biênio (2010-2011) e reeleito para o biênio 2012-2013.

(*)Poeta, preside a UBE/RN.
 fonte:por e-mail