quinta-feira, 18 de outubro de 2012

PARA DELEITE DOS LEITORES, AS MENSAGENS POÉTICAS DO ADEMAR MACEDO - SANTANA DO MATOS/RN

Imagem inline 1
<<< Uma Trova de Ademar >>>
Saudade... dor cruciante
que nos maltrata demais;
palavra sempre constante
nas Trovas que a gente faz!
Ademar Macedo/RN
 
<<< Uma Trova Nacional >>>
Passa a brisa e satisfeito
sentindo-a relembro quando
tu repousada em meu peito
fechava os olhos sonhando...
Gilvan Carneiro da Silva/RJ
 
<<< Uma Trova Potiguar >>>
Geme, ao pelourinho, aflito,
um pobre velho africano,
de olhar preso no infinito,
num plantão de desengano!
Sebastião Soares/RN
 
<<< Uma Trova Premiada >>>
1998 > Ribeirão Preto/SP
Tema > SONHO > 2º Lugar
Meus pobres sonhos, tão fracos,
a vida em escombro os fez,
mas, teimosa, eu junto os cacos...
e eis-me a sonhar outra vez!
Dorothy Jansson Moretti/SP
 
<<< ...E Suas Trovas Ficaram >>>
Morte!... No termo das provas,
Senhor, agradeço a luz
Com que adornaste de trovas
As trevas de minha cruz!
Adelmar Tavares/PE
 
<<<  U m a    P o e s i a  >>>
Quem entra nela pressente
um sopro de nostalgia,
na casa velha que um dia
já abrigou tanta gente,
ao passar do teu batente
se escuta logo a zoada
de um morcego em disparada
querendo dela escapar;
tem muito o que se contar
de uma casa abandonada.
Júnior Adelino/PB
 
<<< Soneto do Dia >>>
EU E O GALO DE CAMPINA.

                        –Vinícios Gregório/PE

Triste sina de um Galo-de-Campina
Que era alegre bem antes da prisão,
Mas foi preso nas grades do alçapão
E hoje chora no canto a triste sina.

Eu também tive a sina repentina,
Pois um dia fui livre e hoje não.
Na tristeza, esse Galo é meu irmão:
Minha sina da dele é copia fina.

Hoje a casa do Galo é a gaiola.
Notas tristes no canto é que ele sola.
A saudade do Galo - a vastidão.

O meu canto é um canto de lamento.
A gaiola é o meu apartamento.
E a saudade que eu sinto é do sertão.