quarta-feira, 21 de novembro de 2012

CARTA NATALINA AOS ESCRITORES DA UBE/RN

                                                “quem faz aquilo que pode, faz o que deve” (Miguel Torga)

                                                                     Prezado (a) Confrade ou Confreira:

                                                           É com imensa alegria que me dirijo a Vossa Senhoria para avivar alguns fatos relacionados à história de representação  do órgão de classe dos escritores – UBE – que no dia 14 de agosto deste ano completou 53 anos de vida e ao final agradecer-lhe pela confiança em mim depositada.
                                                        O escritor Francisco Martins, pesquisando na biblioteca da Academia Norte- Rio-Grandense de Letras do RN, descobriu uma pasta com importantes documentos: ofícios, recortes de jornal, estatuto e um extrato de ata confirmando a data de 14 de agosto de 1959, às 20h50, no Instituto Histórico e Geográfico do RN  como a data oficial de fundação da União Brasileira de Escritores, secção do Rio grande do Norte. Portanto, há cinqüenta e três anos e não conforme livro de atas (segunda fase) que indicava 16 de novembro de 1984  no Salão dos Grandes Atos da Fundação José Augusto com a presença de Fagundes de Menezes. Assim, a UBE/RN  tem três fases:  1ª fase (14.08.1959), 2ª fase (16.11.1984) e 3ª fase (23.03.2006).
                                                     1ª fase. A idéia partiu do jornalista, escritor e magistrado Edgar Barbosa durante a Semana de Estudos Euclidianos, promovida em Natal/RN, com o apoio de diversas instituições. Na histórica reunião de 14 de agosto  de 1959, às 20h50, no IHGRN com a presença do escritor Umberto Peregrino,  Aldo Fernandes, Edgar Barbosa,  Alvamar Furtado, Grimaldi Ribeiro, Dióscoro Vale, Raimundo Nonato e Manoel  Rodrigues. A diretoria aclamada para a organização da UBE – Secção do  Rio Grande do Norte – ficou assim constituída: Raimundo Nonato – Presidente; Manoel Rodrigues de Melo, Vice-Presidente e Afonso Laurentino - Secretário . Essa Diretoria Provisória preparou o Estatuto e organizou o processo eleitoral em  14.11.1959, três meses depois, sendo eleitos os seguintes escritores para o biênio 1960/1961:
                                       (1ª Diretoria)

 Raimundo  Nonato da Silva, Presidente;  Paulo Viveiros, 1º Vice-Presidente; Manoel Rodrigues de Melo, 2º Vice-Presidente; José Saturnino de Paiva, 3º Vice-PresidenteAfonso Laurentino Ramos, Secretário  Geral; Berilo Wanderley, 1º Secretário; Leonardo Bezerra, 2º Secretário; Antídio de  Azevedo, 1º Tesoureiro; Jaime dos G. Wanderley, 2º Tesoureiro.
Conselho Fiscal:  Câmara Cascudo,Edgar Barbosa , Alvamar Furtado, Esmeraldo Siqueira e Américo de Oliveira Costa.
Vogais: Antônio Soares Filho, Vingt-un-Rosado,  Jurandir Barroso , Zila Mamede e Veríssimo de Melo.
               Através de um Comunicado endereçado ao Presidente da UBE nacional , escritor Peregrino  Júnior, datado de 19.11.1959, o presidente da UBE/RN, escritor Raimundo Nonato da Silva  comunica da eleição da 1ª diretoria da entidade, bem como solicita a filiação da UBE/RN à UBE, com sede no Rio de Janeiro.
                       Em 21.01.1960 foi fundada uma sub-seção da UBE/RN em Mossoró/RN: Jaime Hipólito Dantas, João Batista Rodrigues, Vingt-un Rosado e Manoel  Leonardo Nogueira.
                      Outra curiosidade: o Estatuto tinha 3 tipos de sócios:1. Sócios Efetivos (fundadores e efetivos). 2. Sócios Honorários e 3.  Sócios Beneméritos.

                                      2º fase. Inicia-se com a vinda de Fagundes de Menezes em 16.11.1984,   no Salão dos Grandes Atos da Fundação José Augusto, na presença de  18 intelectuais. Curioso notar que a escritora Zila Mamede  participou das duas fases, sendo inclusive  Vogal da 1ª Diretoria da UBE (1960/1961) e sócia fundadora na segunda fase. Outra curiosidade: Dom Nivaldo Monte também participou das duas fases.

                                       3ª fase. Inicia-se em 23 de março de 2006 com uma reunião de reorganização, na sede da Academia Norte -rio-grandense de Letras, contando com a presença de sete escritores e mais um na reunião seguinte; e vem até os dias atuais: Anna Maria Cascudo Barreto, Eduardo Antonio Gosson, Lívio Oliveira, Pedro Vicente da  Costa Sobrinho, Nelson Patriota,  Manoel  Onofre de Souza Júnior,  Racine Santos e Carlos Roberto de Miranda Gomes. Lívio ficou exatamente um  ano e nove meses até que, por motivos particulares, renunciou ao cargo de presidente. Nesse pequeno  tempo fez coisas relevantes, destacando-se o encaminhamento aos deputados José Dias e Fernando Mineiro de uma minuta da Lei do Livro (Lei nº 9.105/2008 - Henrique Castriciano) e que o governo passado e o atual  não implementaram. Em seguida, a direção passou para mim que, com valorosos companheiros, venho    navegando em mar revolto, sem ter medo de chegar.
                                                      Nesses cinco anos (2008/2009 - Diretoria Provisória; 2010/2011- Diretoria Eleita); 2012-2013- Diretoria Releita, reconstruí tijolo por tijolo a UBE/RN: 1. Legalização completa (registro cartorial, CNPJ, conta bancária, utilidade pública Municipal, Estadual e, em breve, Federal); 2. Realização do I, II, III,  IV e V Encontro Potiguar de Escritores;  3. Participação na elaboração da lei nº 9.169/2009 (lei das leituras literárias nas escolas públicas; 4. Campanha de Valorização da Literatura Potiguar (2010) em parceria com o Tribunal de Justiça do RN; 5. Criação do Prêmio Literário Escritor Eulício Faria de Lacerda 2011 (1ª edição) que premiou um jovem escritor Paulo Caldas Neto (1º) e  um escritor veterano Racine Santos(2º); 6. Criação do Plano Editorial 2012 que  previu a publicação de 12 obras durante o ano e a edição completa da obra do escritor Eulício  Faria de Lacerda, inclusive acrescentando o romance  A Terceira Manhã  que se encontrava perdido (dos 12 previstos publicamos 09) . 7. Realização da transferência do domínio do jornal O Galo da FJA para a UBE (aprovado na lei Djalma Maranhão está em fase de captação de recursos);  8. Criação do selo editorial Nave da Palavra; 9. criação de um site: www.ubern.org.br;  10. criação de um blog: blogubern.blogspot.com.br

                                                           Pode parecer pouco...  Mais não é: sobretudo num país onde a Cultura é um produto de elite e se luta por coisas básicas como a implantação do Plano Nacional de Cultura e por uma Proposta de Emenda Constitucional – PEC 150 – desde 2003.  O Fundo de Cultura, embutido nesta emenda,  define os recursos nas três esferas de governo (federal,2%; estadual,1,5% e municipal,1%). Para agilizar a sua tramitação foi criada a Frente Parlamentar da Cultura, que tem na presidência a deputada federal Fátima Bezerra.
                                            Chegar até aqui  para mim não foi fácil: perdi um filho tragicamente em maio deste ano,  agravamento da minha saúde (Mal de Parkinson), falta freqüente de medicamentos na UNICAT, dificuldades financeiras geradas por medicamentos caríssimos (os três medicamentos que tomo custam R$  1.400,00 ). Apesar das pedras no caminho, julgo um ano vitorioso: a UBE cresceu (130 sócios), a UBE publicou 9 livros dos 12 projetados, realizei o V Encontro Potiguar de Escritores – V EPE (o melhor dos cinco em organização e freqüência) e agora na reta final de novembro haverá três lançamentos de livros: 27(Patronos Escolares), 28 (Memórias de uma Tríplice Jornada) e 29 (Cotidianas).
                                Por último, no dia 06 de Dezembro ainda realizarei um Ciclo de Estudos Bartolomeu Correia de Melo seguido de dois  lançamentos: 01.A Onça Braba e o Cachorro Velho - livro infantil de Bartolomeu ; e 2. Louvor de Bartolomeu Correia de Melo (fortuna crítica) organizado pelos escritores Nelson Patriota e Manoel Marques Filho. E como ninguém é de ferro, no dia 13, às 18horas, no restaurante Mangai, farei a  CONFRATERNIZAÇAO NATALINA da UBE no sistema cada um paga o seu. Espero contar com o confrade e a confreira, para juntos, celebrarmos a vida! 

Um grande abraço do  Eduardo Gosson