domingo, 20 de janeiro de 2013

AS MENSAGENS POÉTICAS DO ADEMAR MACEDO IN MEMORIAM

Imagem inline 1
<<< Uma Trova de Ademar >>>
Meu santo sempre se vinga,
Pois cana não lhe ofereço;
e, sempre que eu bebo pinga,
“Ele” me dá um tropeço.
Ademar Macedo/RN
<<< Uma Trova Nacional >>>
Tem o bebum certa graça
quando ele diz pela rua:
- Sou do planeta cachaça,
mas tô no mundo da lua!
Campos Sales/SP
<<< Uma Trova Potiguar >>>
Nosso mundo anda e desanda
não é como a gente quer;
na guerra, o homem é quem manda,
em casa, manda a mulher.
Hilton da Cruz Gouveia/RN
<<< Uma Trova Premiada >>>
20OO > Nova Friburgo/RJ
Tema > CALOR > 4º Lugar
Vim devolver seu marido
Que nada mais me oferece:
- No frio fica encolhido,
e no calor... amolece !!
Neide Rocha Portugal/PR
<<< ...E Suas Trovas Ficaram >>>
Sendo traída, de graça,
pelo esposo, capitão,
a Maria, por pirraça,
o traiu com o “batalhão”.
Célio Grunewald/MG
<<<  U m a    P o e s i a  >>>
Ir a aula sem lápis e papel
e voltar sem saber do professor,
implorar paciência de doutor
conviver com pessoa infiel,
dois salários e meio de aluguel
numa casa pequena pra morar,
pagar um objeto sem comprar
e assumir um processo sem dever;
do que a vida me impõe para fazer
são as coisas que faço sem gostar.
Zé Viola/PI
<<< Soneto do Dia >>>
DILEMA FILHO DA MÃE!
                                          –José Ouverney/SP
Existe mãe sem filho?  É o que pergunto.
Tudo porque uma dúvida peralta,
com poses libertinas chega e assalta
os mananciais deste cristão bestunto.
A religião é aquele eterno assunto
que recoloca em baixa estima a alta;
sim, pois o excesso também leva à falta,
desfigurando a essência do conjunto.
Mas, reportando ao inicial dilema,
por isso eu não discuto religião:
minha ousadia não se presta a tanto;
o acento foge à “ideia” e engole o trema:
se o santo, em alguns centros, é invenção,
em outros, quem dá carta é a “mãe de santo”!

-------------------------------------------------------------------------------------------
Obs: Diariamente recebia as mensagens do Ademar Macedo, pontualmente as 6 horas da manha elas estavam no meu e-mail e, nos dos vários amigos dele. Essa foi a dos sábados, que ele intitulava "para descontrair" - recebi no dia 12 de janeiro de 2013, as 6.02. Quem ficará agora nos alimentando com trovas e poesias como tão bem ele, o Poeta do Amanhecer fazia. Saudades. Meus Pesames Estrela Dalva sua fiel escudeira e seu único amor de uma vida inteira.