terça-feira, 10 de setembro de 2013

A VOZ POÉTICA DO CIRO JOSÉ TAVARES -BRASILIA/DF




                                            VESTÍGIOS
                                           

            É esse semblante cansado que aflige.
            São teus bruxuleantes olhos que não veem,
             teus lábios pálidos decorados de estrias
            sem o  fulgor  do fogo e a doçura
            do néctar dos deuses
São as mãos ás peras e trêmulas que me ferem
e o  trôpego andar buscando  inalcançável, que dá pena.
São as marcas senis maculando a pele alva que se esgarça,
o castanho claro dos cabelos agitados nos brancos esvoaçantes.
Olha-te no largo e retangular espelho do teu quarto.
Acredita, és tu ou o que te resta, entardecida e só.