sexta-feira, 13 de setembro de 2013

MEC DARÁ BOLSA PARA ALUNO DO ENSINO MÉDIO ESTUDAR EXATAS E BIOLÓGICAS

republico na íntegra

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou nesta terça-feira (10/09) um programa para incentivar estudantes do ensino médio a seguirem carreira nas áreas de exatas e biológicas. Batizado com o nome “Quero ser cientista, quero ser professor”, o programa vai dar bolsa de R$ 150 aos alunos de escola pública que demonstrem interesse nas áreas e que participem de uma jornada de trabalho e pesquisa, nos moldes da iniciação científica.
O professor do ensino médio também deve receber uma bolsa para supervisionar o aluno no programa, que terá ainda a participação de professores universitários como tutores.
Em nota, o ministério da Educação afirmou que o ministro pretende, com a iniciativa, “despertar o interesse que já existe em alguns estudantes, que têm excelentes desempenhos. Se você não estimular, se ele não tiver motivação, ele pode depois perder esse interesse. O Brasil precisa de mais profissionais nessas áreas”.
O anúncio do ministro foi feito na abertura do 2º Congresso do Movimento Todos pela Educação, que teve início nesta terça em Brasília. Mercadante afirmou que 30 mil alunos devem ser beneficiados na primeira etapa do programa. Em sua fala, segundo o MEC, o ministro explicou que a demanda por vagas em cursos nessas áreas é “muito baixa, em torno de 3% de matrículas apenas” e que, enquanto tem crescido para engenharia, ela segue igual para matemática, física e química.
(G1, 10/09/13)
Segundo o Ministério da Educação, ainda não há detalhes específicos sobre o “Quero ser cientista, quero ser professor”, como a partir de que ano do ensino médio os estudantes poderão participar. O objetivo é estimular que mais jovens cursem a licenciatura em física, química, matemática e biologia, áreas consideradas pelo governo como prioritárias nos investimentos educacionais.
O MEC afirmou que a portaria que especificará as regras da primeira edição do programa deve ser publicada no “Diário Oficial da União” até a próxima semana. Então, o programa abrirá um prazo para que os governos estaduais e municipais que ofereçam vagas no ensino médio se inscrevam para participar do programa.
“Temos de fazer bolsa de assistência”, defendeu o ministro, afirmando que muitos dos alunos de escolas públicas são pobres e precisam de tutoria e acompanhamento pedagógico. “O topo da escola pública é de excelente qualidade e concorre com o setor privado”, disse ele.
Além de incentivo financeiro, o governo também pretende preparar materiais didáticos que estimulem o interesse dos alunos por matemática, física, química, biologia e astronomia. Chamado de Aventuras na Ciência, o material, segundo o MEC, será produzido por cientistas brasileiros.

 fonte:educação pública eu apoio -CNTE/CUT