segunda-feira, 28 de julho de 2014

O CORDEL DE ROSA REGIS - NATAL/RN

OS PERIGOS ESCONDIDOS
NA AUTOMEDICAÇÃO

Quem não se automedicou
Pelo menos uma vez?
Responda-me, se puder!
Porque nisso eu sou freguês
Aspirina?! Sempre, sempre,
Eu tomo dois de uma vez!

Porém, eu dou-lhe um conselho,
Você toma se quiser:
Nunca se automedique,
Se for homem ou for mulher,
Existem médicos pra isso!
Não pode ser um qualquer.

Medicamentos usados
De uma forma não correta
Pode provocar distúrbios
Onde o que seria a meta,
A cura do mal, reverte,
E outro mal acarreta.

Pode ocorrer alergia,
Dependência e muito mais,
Quando há uso e mais uso
De injetáveis..., orais...
Com dosagem incorreta.
E isto ocorre demais!

Mais de cinquenta por cento
Em todo mundo, se sabe,
Medica-se sem consulta.
Toma o que pensa que cabe
Para lhe curar do mal
Pois só quer que a dor acabe.

A EDUCANVISA lançou
Os jogos para educar,
Um material didático
Com a intenção de apoiar,
No ensino/aprendizagem
De como se medicar.

A população precisa
Receber informações
Dos riscos relacionados
Às automedicações.
E o Governo necessita
Caprichar nas restrições

Medicamentos comprados
Por indicação de amigos
Sem o menor dos cuidados
É um verdadeiro perigo,
Mas isso ocorre amiúde.
Estou certa do que digo.

A automedicação
Vai do “graúdo” ao “miúdo”!
Pessoas se automedicam
Parecendo saber tudo
No que respeita às doenças.
Pense um povo cabeçudo!

Paracelso, que viveu
No século XV, dizia:
“Entre o veneno e o remédio
O que os diferencia
É a dosagem correta”.
E isso serve hoje em dia.

E quanto aos fitoterápicos,
São perigosos ou não?
E, por serem naturais,
Não há contraindicação?
Fale sempre com seu médico,
Ele é quem diz sim ou não.

Não esqueça: Não devemos,
Sem ser médico, medicar
A outrem ou a nós mesmos,
Porque pode acarretar
Um sofrimento maior,
Um mal maior provocar.

Rosa Regis*
Natal/RN – abril de 2014
E Presidente da Academia de Cordel do RN.