domingo, 10 de agosto de 2014

A VOZ POÉTICA DO RENOMADO ESCRITOR CIRO JOSÉ TAVARES - BRASILIA/DF



          CAMINHOS APALACHIANOS


“Pafos é seu destino, onde sua rainha
Deseja enclausurar-se e nunca mais ser vista.”
William Shakespeare, in Vênus e Adônis.


Estou sendo catapultado para o outro lado do dia
e dou os primeiros passos na subida esperando-te.
Vem, confia, deixa-me enlaçar tua cintura e não ferirás
os pés nas estreitas veredas pedregosas, nas prolongadas
 depressões que nos atemorizam depois de superadas.
Vem contemplar no vértice da estrela nascente tua face,
a coreografia no bailado dos cabelos agitados pelos ventos.
Vem. No alto, ao descobrirmos nossas almas inconfessáveis
saberemos que as vidas, entre nós dois, serão  silenciosas.
Agora que chegaste ao teto do mundo repara. E pergunta:
Quem realmente sou submetido à grandeza desse céu escampo?
Vem, aurora sangra ao sol e entre nós dois sangram tardes sem fim.
Vamos, lado a lado, regressar.  Aqui nada nos consola. Na planície espero
o adeus sem lágrimas e faço a promessa de esquecer-te na saudade.