terça-feira, 19 de agosto de 2014

RIBEIRA DA MINHA LEMBRANÇA






Ribeira
Do cais do porto,
Do canto do mangue
Coirmã do rio Potengi
Do mar, doce mar
Do Atlântico.

Ribeira
De ruelas estreitas
De becos escuros
De nomes esquisitos
Pois de quarentena
Via-se por lá.

Ribeira boemia
Ribeira de bares
Ribeira antiga
De amores esquecidos
E homenagens lembradas.

Ribeira
Da Rua Chile
Da Casa da Ribeira,
De Câmara Cascudo
De Ciro Tavares
E de muitos que sonham
Vê-la ressurgindo das cinzas
Como fênix, voltando
A possuir o brilho que
Já teve outrora.


Geralda Efigênia