domingo, 28 de setembro de 2014

A VOZ POÉTICA DE ROBERTO PINHEIRO DE ACRUCHE - RIO DE JANEIRO/RJ

TORMENTO

Ah!... Solidão
por que me invade o peito
nesta hora e desse jeito
estraçalhando o meu coração
já amargurado, sofrido, cansado
e sem esperanças?


São madrugadas e madrugadas
que vivo acordado
nesse quarto, isolado,
que assiste calado
o meu tormento,
o meu sofrimento,
num padecimento sem fim!


Ah!...Solidão
esse meu pobre coração
apaixonado chora,
embora, aquela que me adora
esteja tão próximo.

O que posso fazer em fim?
Se quem eu quero perto
deixa-me nesse deserto,
sonhando... sonhando...
com um amor abrasador
excessivo, ardente,
que invade totalmente
esse meu ser que agora vive
esse sentimento de dor.

Ah!...Solidão...
Aonde está o meu amor?

Roberto Pinheiro Acruche