domingo, 30 de novembro de 2014

A VOZ POÉTICA DE GIL RIBEIRO - SERRA DE SÃO BENTO/RN

Na casinha do Sítio onde morei
Esqueci uma foto amarelada
Nas costelas da aba duma serra
Num recanto do solo potiguar,
Eu nasci, e por isso vou lembrar
Divulgando e mostrando minha Terra,
Sou daqueles que lutam contra a guerra
Relembrando a terra esfarelada
Fui rever minha casa abandonada
Vi a foto de pai e abracei,
Na casinha do sítio onde morei
esqueci uma foto amarelada...

Mãe zelava o retrato na parede,
Com um pano tirava a poeira,
Era um quadro de vidro com madeira,
Encostado ao "cantim" da minha rede,
Mãe chamava a sobrinha Marileide
Pra mostrar sua joia mais amada,
A família já era acostumada,
A amar o que sempre amarei
Na casinha do sítio onde morei
Esqueci uma foto amarelada.
As lembranças do tempo de criança
Se misturam ao presente e ao futuro,
Fui em busca de ideais seguro,
Resgatando a minha confiança,
Numa espécie de vida e de herança,
Minha mente já estava preparada,
Fui buscar minha foto empoeirada
Me sentei no batente e chorei
Na casinha do sítio onde morei
Esqueci uma foto amarelada...