domingo, 18 de janeiro de 2015

A CRONICA DE EDUARDO GOSSON - UBE/RN




Por Eduardo Gosson (*)

As relações  entre  as famílias Gosson e a  Cascudo datam, pelo menos, de cinquenta anos e tem diversas nuances. A amizade começou com o lado da moda: as tias Hulimase e Jamyles tinham um atelier de costura onde Anna ia  buscar atualizações em moda. Veja o que diz a nossa amiga:
                                               Hulimase e Jamyles foram pioneiras em métodos até então desconhecidos dentre as elegantes da província. Tinham máquinas, mas abusavam da essência estilosa. (...) Anos se passaram, fiz vestibular,  tornei-me acadêmica de Direito .A moda girou, surgiram modelos diferentes. Mas  quando verifiquei  a velha bata que usaria no fórum da Ulisses Caldas voltei a procurar Hulimase (...) Lavagem  a seco, novas pregas, um laço displicente, a jovem  defensora da sociedade se sentiu a altura dos fotógrafos, das cidades vizinhas que documentaram a primeira mulher  atuando em Natal como Promotora de Justiça”.
Por ser uma pessoa múltipla, Anna Maria não ficou centrada apenas na sisudez do Direito; incursionou pelo Jornalismo  impresso (A República) e o audiovisual (TV-Universitária), mantendo uma coluna de variedades. Espírito jovial, estava sempre aberta  ao novo; gostava de estar perto da juventude.
 Após o término do seu Curso Superior, foi designada para a Comarca de São Gonçalo do Amarante/RN e lá chegando encontrou José Gosson como Juiz (ambos instalaram a Comarca). Veja o que diz Anna Maria:

“Fui profundamente feliz como a primeira Promotora de São Gonçalo do Amarante. Lá encontrei, como Juiz, JOSÉ GOSSON, irmão  de Hulimase. Fomos  companheiros de trabalho numa jovem Comarca. Recebemos  os primeiros títulos de cidadania e honra especiais. Poti, Iraci e  seus filhos me proporcionaram uma vida em família pela primeira vez longe de casa”.
Outra vez o destino promove mais um encontro entre nós; trata-se de  sua participação na reorganização da União Brasileira de Escritores – UBE-RN, em 2006, participando de todas as reuniões da entidade, e sempre dando boas ideias. Assim expressou-se Anna Maria:
                                              “hoje participo já como escritora e acadêmica da União Brasileira de Escritores na sua diretoria (foi a 2ª Vice-presidente- biênio 2012-2013). Encontro Eduardo Gosson, poeta  e escritor, um batalhador cultural. Vejo-o  como a síntese  da família, naquilo que eles possuem de mais sólido. Seu sobrenome  significa  árvore frondosa em árabe. Ele é o somatório das virtudes adquiridas em terras brasileira”.
Quando  se  deu o processo sucessório dentro da UBE-RN para me suceder, após  seis anos (2008-2013) de intensas atividades,  ofereci o cargo de Presidente a ela. Com muita elegância declinou do convite uma vez que estava à frente de  outro projeto – a criação do Instituto Ludovicus, órgão para gerenciar e preservar a história  do maior escritor do Brasil – LUÍS DA CÂMARA CASCUDO.
Por último uma constatação positiva em sua  personalidade: Anna Maria Cascudo Barreto era muito  sincera e dizia o que pensava. Com certeza está no Céu porque Deus abomina a mentira e ama a Verdade. No livro do Apocalipse, capítulo  22,   versículo 15: “Ficarão de fora  os cães e os feiticeiros, e os que  se prostituem, e os homicidas, e os  idólatras, e qualquer um que ama e comete a mentira”.