sábado, 7 de março de 2015

A HOMENAGEM DO CORDELISTA FRANCISCO DE BETÂNIA NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER!



DIA INTERNACIONAL DA MULHER


Sou mais uma das Amélias
Que gerou e deu a cria
Que procura e não encontra
Os motivos pra alegria
De barriga no fogão
Passando o pano no chão
E largada numa pia.

Explorada e não amada
Com tarefa e obrigação
Exigida e ignorada
Não me prestam atenção
Sou tratada como escrava
E trancada numa casa
De mim querem produção.

Sem limites, sem razão,
Sem direito a opinar
Quem devia agradecer
Só consegue me explorar
Desconhece minhas lutas
Nem tão pouco se preocupa
Se eu quero partilhar.

O meu chão alguém tirou
Como é que vou andar
Meus momentos resumidos
É sombrio o meu lar
Esse pouco ainda é roubado
O meu sonho é ofuscado
Sou obrigada a me calar.

Trancafiada numa cela
Que eu chamo de cozinha
Oprimida aos caprichos
Sou uma pobre andorinha
E quem tenta me defender
Pouco consegue fazer
Tem vida pior que a minha

Diferente de outras mais
Minha caneta é uma vassoura,
Roupa suja pra lavar,
Ser a própria secadora,
Mais tarefa pra cumprir
A vontade é desistir
Triste vida opressora.

Muitas calam e prendem o choro
Igual a mim, estão caladas
Nas redomas escondidas
No desprezo mau amadas
Presas em muitos calabouços
Acompanhando seus moços
Numa vida encenada.

E eu sofrida na mesmice
De um agiota da razão
Me sugando sem piedade
Os centavos e os tostão
Me cobrando o que não tem
Pensando só no seu bem
De mim não tem compaixão.

O amor que me oferece
E machista e faz doer
Falta minha liberdade
Pra sorrir e pra viver
Com um gesto opressor
E um jeito dominador
Esse só me faz sofrer

Quero ar pra respirar
Diversão, me divertir.
A corrente que me prender
Me sufoca e faz ferir
Vou sair do precipício
E fazer um sacrifício
Eu sou gente e estou aqui.

Esse é mais um desabafo,
É uma forma de alerta
Todo mundo, sem exceção
Pra se conscientizar
Que mulher não é produto
Ela é o mais belo fruto
Que Deus fez pra amar

Parabéns para os seus dias
Das felizes e para as sofridas
Que apesar das diferenças
Nem uma é esquecida
Pela própria igualdade
E a sonhada liberdade
Que procuram nessa vida

Parabéns para as mulheres
Sem ou  as de profissão
Nos setores que exercem
O poder de decisão
As que lutam por direito
Com amor procuraram um jeito
Pra ajudar as que não são.











Poeta e Cordelista
Francisco de Betânia
07/03/2014
Guamaré, RN