terça-feira, 29 de setembro de 2015

A HORA E A VEZ DE CONHECER E PARTICIPAR DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR


AGRADEÇO A GENTILEZA DESSE GRANDE ESCRITOR INTERNACIONAL, MEU AMIGO QUERIDO DR. CARLOS MORAIS

  • Carlos Morais Dos Santos  Carlos Morais Dos Santos
     Querida Amiga Geralda Geralda Efigênia, daqui de Lisboa, embora com algum atraso, Selma e eu endereçamos "PARABÉNS A VOCÊ, MUITAS FELICIDADES E MUITOS ANOS DE VIDA". Amiga vc é uma pessoa muito especial para nós que te queremos todo o bem do mundo, pela amizade recíproca que comungamos, pelo SER HUMANO maravilhoso, de coração grande, aberto, sincero e generoso, e pela humildade com que esconde a sua inteligencia, cultura, muitos outros dotes, entre eles o de ser uma brilhante poetisa, que escolheu o registo popular para Professar a educação e intervenção cívica, mais junto ao grande povo, em especial aos jovens. A todas essas qualidades suas, eu sintetizaria: GRANDEZA DA HUMILDADE DE UMA RARA CIDADÃ, EMPENHADA EM CULTIVAR UMA SEARA DE CIDADANIA HUMANISTA, ONDE SEMEIA AMOR E ARTE, COMO "PÃO DA VIDA" DOS QUE DE MAIS FOME PADECEM.!

domingo, 27 de setembro de 2015

GOVERNO DO RN QUER REDUZIR FOLHA EM R$ 40 MILHÕES POR MÊS


O Governo do Estado quer reduzir os gastos com folha de pessoal 10%. Em números atualizados – levando em conta a proposta orçamentária de 2016, que estima a despesa com pessoal em R$ 6,6 bilhões – a economia ficará em torno de R$ 60 milhões por mês ou na casa dos R$ 600 milhões ano. Para conseguir isso, o governo aposta na auditoria da folha, que já foi concluída; e no censo geral para servidores, medida já autorizada pelo governador Robinson Faria.
A informação foi dada por ele próprio em entrevista ao NOVO; conversa na qual ele também adiantou outra informação importante: a redução no preço do querosene de aviação poderá chegar a até 10% menos que o valor cobrado no Ceará e em Pernambuco. Isso já foi dito pela Petrobras e poderá ser o golpe final para garantir a conquista do hub da Latam, que garantirá até 24 mil empregos para o RN. No último encontro com a presidente da Latam, Cláudia Sender, Robinson faria inclusive entregou a ela cartão da diretora da Petrobras para que a informação fosse confirmada.
Na entrevista a seguir, o governador detalha essas questões e fala ainda sobre como avalia o governo e seus planos para promover mudanças na forma de governar o Estado. Uma delas: promover sistemas de cogestão em áreas como segurança e infraestrutura, envolvendo o poder público e a iniciativa privada para promover soluções e conquistar investimentos.      

O que fazer com relação aos presídios, a crise atual?
É. Infelizmente isso caiu no meu colo. Uma demanda reprimida de muitos anos. Mais uma. É um déficit de 4 a 5 mil vagas, hoje maior porque aumentaram os presos. Essa situação é delicada porque além disso houve uma rebelião na qual eles destruíram 80% dos presídios. Estamos recuperando quase todos eles. Mas isso afetou nosso tesouro estadual. Não tivemos nenhum tipo de socorro pelo Governo Federal. Agora vamos ter um alento. O Governo vai começar a ser parceiro dos Estados. Já recuperamos 80% do que foi destruído. Sendo que alguns foram novamente destruídos. Ao invés de fazer novas vagas. Estou recuperando as vagas destruídas. Isso atrasou e independe da vontade do governador. Foram as fatalidades. A parte prisional requer recursos. E nesse momento temos que discutir para onde vão os poucos recursos que temos. Vai para construir presídios, para combater a seca, para pagar carro-pipa, para medicamentos em hospitais, para estradas... Então, veja a dificuldade do Governo. Porque todos são assuntos emergenciais. E requerem um governo com muita cautela e lucidez para otimizar esses recursos. Até porque a prioridade 001 é o pagamento do servidor público. Mesmo com toda dificuldade mantemos a folha em dia. Se fala em uso do Fundo (Previdenciário), mas eu acho importante discutir o seguinte: é mais importante o uso do fundo ou manter o salário do servidor que trabalhou o mês inteiro? O médico, o enfermeiro, o professor, no final do mês, eles têm colégio para pagar, energia, plano de saúde... Não é justo ele não receber! Nós temos que trabalhar a favor do servidor.

O Governo avalia realizar parcerias público-privadas no sistema penitenciário?
Eu não chamaria PPP. Seria cogestão. Eu avalio que precisamos quebrar paradigmas em gestão pública. Em muitas áreas. E uma delas é a segurança pública. Se fizer um levantamento vai descobrir que no Brasil inteiro há PPP ou cogestão em 80% dos estados brasileiros. O único estado resistente a isso é o Rio Grande do Norte.

Como seria esse modelo de cogestão?
É o mix de público e privado. O presídio é do Estado, mas a gestão é privatizada. Tem a colaboração e a supervisão do Estado, os agentes penitenciários também colaboram, mas a gestão é de uma empresa privada. Ainda não temos uma decisão tomada. Estamos estudando com a nossa equipe.

Que outras áreas esse modelo poderá ser aplicado?   
Eu acho que isso pode ser aplicado em muitas áreas. Por exemplo: no turismo, na saúde, nas estradas. O novo hospital de trauma que pretendemos construir, já pode ser feito no modelo de cogestão. No Ceará, o governo é do PT. E lá, os maiores hospitais do Ceará estão entregues a OSs. Mas isso é um estudo que ainda não está pronto. O que interessa para a população é eficiência. E pela eficiência eu vou ser um governador que vai quebrar paradigmas. Eu acho que não cabe mais governar com discurso ideológico. O discurso ideológico está vencido. O que o povo quer é modernidade na gestão, eficiência na saúde, na educação, na segurança, nas estradas, no fomento ao emprego. O povo quer isso: uma gestão de modernidade e de planejamento. E isso só vai acontecer se quebrarmos paradigmas.

Para quando o senhor planeja essa quebra de paradigmas?
Não é algo para curto prazo. O meu desejo é o que eu prometi à população: devolver a eficiência da máquina pública. Essa eficiência é um guarda-chuva de muitas medidas inovadoras. Eu disse que seria um governo de muita inovação, de ousadia, de coragem e de ouvir a sociedade. A sociedade quer hoje que o governador tome medidas corajosas. E essas medidas corajosas passam por quebras de paradigmas.

Qual a medida mais corajosa que o senhor planeja tomar?
Essa do uso do Fundo (previdenciário) foi uma. Que tomei para valorizar o pagamento do servidor.  Outra – dentro do pensamento do fomento ao emprego – foi a lei da carcinicultura. Que teve uma pressão muito forte, ideológico. Eu pensei no desenvolvimento. Consultei a parte legal, o consultor do Estado; e fiquei do lado do desenvolvimento.

Além da correção de taxas – anunciada na semana – o que mais o Governo fará para melhorar a situação financeira do Estado?
Pela primeira vez na história do Rio Grande do Norte foi feita uma auditoria na folha de pagamento. Já está pronta. Ontem (22) eu dei a ordem para a realização de um censo. Esse censo vai se somar à auditoria. Essa auditoria vai identificar as anomalias, as irregularidades que existem hoje na folha dos ativos e dos inativos. Essa auditoria mais o censo deve promover – estimam nossos consultores –uma redução de 10% na folha de pagamento dos servidores, um pouco mais, um pouco menos. Uma economia estimada em R$ 40 milhões por mês (referente à situação atual). Imagine - sem demitir ninguém – apenas corrigindo irregularidades, você obter uma economia dessas. Isso sim é que é reforma. O importante é reduzir em números. Para que o estado tenha um ajuste fiscal definitivo.

Como está a questão do decreto para uso dos depósitos judiciais?
Eu fiz um apelo ao presidente do TJ, que disponibilize essa opção para o Rio Grande do Norte manter sua folha em dia. Já houve essa boa vontade em boa parte do Brasil. Em Sergipe, o judiciário de lá disponibilizou R$ 430 milhões em depósitos judiciais. Na Bahia, mais de R$ 1 bilhão. Nós somos um dos poucos estados que não usou. Em todos foi por meio de decreto. Nenhum precisou de aprovação da Assembleia. São Paulo também fez assim.

Mas se aqui persistir a cobrança pelo projeto de lei, o senhor mandará?
Se for necessário, mandarei projeto. Mas gostaria que tivesse a boa vontade do Poder Judiciário, de dar agilidade ao Governo do estado. Se há essa compreensão em todo Brasil, por que só o Rio Grande do Norte será obrigado a mandar projeto?

O que o Governo tem feito para assegurar o hub da Latam?
O turismo, até eu chegar ao cargo de governador, era tratado como uma área que não era estratégica. Tanto que era terceirizada para partidos políticos. O que eu fiz: fui buscar técnicos para cuidar do turismo. Pessoas com visões estratégicas na área do turismo. Esse foi o primeiro sinal forte para reascender o turismo no Estado. Outra mostra disso foi que – como governador – comecei a visitar feiras de turismo, visitei o dono da CVC duas vezes, que é a maior operadora de turismo do Brasil. E a CVC quando viu o pensamento do governador voltou a investir no nosso estado. Concomitante a isso anunciei a redução do querosene de aviação, que fez Natal aumentar o número de voos e candidatei Natal para o hub da Latam.

Como assim?
Natal estava fora. Tenho testemunhas que o Rio Grande do Norte estava fora dos estados que poderiam receber o hub da Latam. Até então era somente Ceará e Pernambuco. Quando visitei a presidente da Latam, no primeiro mês de meu mandato, eu disse a ela que estava ali para discutir medidas para fortalecer o turismo e queria candidatar o meu estado ao hub da Latam. Ela perguntou que medidas seriam. Eu disse. E por conta dessas medidas que eu tomei, de ousadas, de quase zero para alguns itens... Como por exemplo a que eu estou tomando agora: estou discutindo com a Petrobras, reivindicando uma redução justa de QAV para o RN. Por quê? Porque nós temos uma planta de querosene aqui; porque a matéria prima está aqui e nós damos à Petrobras também uma política tributária de incentivo. Nesse momento, a Petrobras tem de ter a reciprocidades com o nosso governo. Essa conversa está bastante adiantada e diria que isso é o fator mais determinante para o hub ser nosso.

É o trunfo da disputa?
Nós temos vários trunfos. O aeroporto, o melhor é o nosso. A área de expansão. A melhor rede hoteleira. A melhor geografia, tanto que na 2ª Guerra o hub foi aqui. Temos o menor custo. E agora essa condição de oferecer o querosene mais barato.

É verdade que o senhor entregou um cartão para Cláudia Sender já confirmando a redução...?
Entreguei um cartão da diretora da Petrobras que esteve na audiência comigo, há uns 15 dias; e com o secretário Flavio Azevedo e o presidente da Potigás. Com ela, o diretor de Refino e Produção, acompanhado da BR Distribuidora e de outra diretora da Petrobras, eu perguntei se essa parceria histórica do RN com a Petrobras, resultaria no QAV mais barato. A diretora disse que poderia chegar até 10% a menos que Ceará e Pernambuco. Estou apenas repetindo. Se mudar não fui eu que mudou. Eu entreguei o cartão dessa diretora para ela reafirmar o que disse a mim duas vezes.

FONTE: Novo Jornal, 27/09/2015

terça-feira, 22 de setembro de 2015

MENSAGEM DE PARABÉNS PELO MEU ANIVERSÁRIO!

Gê, sei que aniversariou e não pude te parabenizar no dia, mas para pessoas como vc, sempre há tempo.
Parabéns pelo aniversário,
Pela superação que sempre foi sua vida (e digo isso por que durante anos, acompanhei de perto),
Pela vida transformada em poesia (ou seria o contrário?),
Por ser guerreira, firme mas delicada, mãe exemplar...uma mulher de fibra.
Um grande abraço.


RN: GOVERNO REALIZA CENSO CADASTRAL PREVIDENCIÁRIO DOS SEGURADOS E DEPENDENTES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES


Você que é Servidor da ativa, aposentado e pensionista vinculados aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, suas autarquias, fundações públicas, Tribunal de Contas e Ministério Público Estadual, leia tudo aqui.


Regulamenta a realização do Censo Cadastral Previdenciário dos segurados e dependentes do Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores do Estado do Rio Grande do Norte (RPPS/RN).

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 64, III e VII, da Constituição Estadual,

Para continuar lendo clique aqui.


segunda-feira, 7 de setembro de 2015

HINO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

Resultado de imagem para hino da independencia
Já podeis, da Pátria filhos,
Ver contente a mãe gentil;
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil...
Houve mão mais poderosa:
Zombou deles o Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Não temais ímpias falanges,
Que apresentam face hostil;
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Parabéns, ó brasileiro,
Já, com garbo varonil,
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.



(fonte: Portal do Governo Brasileiro)

07 DE SETEMBRO - DIA DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

 Por  Claudio Fernandes

Resultado de imagem para hino da independencia              O Dia da Independência do Brasil é celebrado em 07 de setembro, dado que foi nesse dia em que, às margens do rio Ipiranga, D. Pedro tornou o país independência.
A Independência do Brasil é celebrada em todo dia 07 de setembro. Essa comemoração acontece desde a época do Primeiro Império, que, a cada ano, rememorava a ocasião em que o país se tornou independente de Portugal no ano de 1822. O processo de independência do Brasil teve como principais atores históricos, além do príncipe regente D. Pedro (que se tornou o imperador D. Pedro I), alguns representantes da elite interessada na ruptura entre Brasil e Portugal. Entre esses representantes, encontrava-se aquele que também se tornou um dos maiores articuladores do Império, José Bonifácio de Andrada e Silva.
            De certa forma, a possibilidade de um “Brasil independente” remonta à época da vinda da família real para o Brasil em 1808, acontecimento que inaugurou em nosso país o chamado Período Joanino. D. João VI veio com sua corte para o Brasil por ter se recusado a ser conivente com a política do Bloqueio Continental, imposta por Napoleão Bonaparte contra o Reino Unido. Como Portugal possuía importantes acordos econômicos com os ingleses, D. João VI achou por bem desobedecer às ordens do imperador francês e abandonar a Península Ibérica, sendo escoltado por navios ingleses até a costa brasileira.
          Nessa época, o Brasil foi alçado à condição de Reino Unido, junto a Portugal e Algarves, deixando assim a condição de ser colônia. Muitas das ações empreendidas por D. João VI no Brasil durante o período em que aqui esteve (1808-1821) colaboraram para que o país ganhasse uma relevância que ainda não possuía. Essa relevância tinha dimensões econômicas, políticas e culturais. Entretanto, nos anos que seguiram após o fim da Era Napoleônica (1799-1815), Portugal passou por intensas turbulências políticas. Essa situação exigiu a volta do rei D. João VI com sua corte em 1821.
        O rei português deixou no Brasil como seu representante D. Pedro, seu filho, que recebeu o título de príncipe regente. Durante o ano de 1821 e até os primeiros dias do mês de setembro de 1822, as turbulências políticas de Portugal fizeram-se refletir também no Brasil. As assembleias que ocorriam em Lisboa (que contavam também com representantes brasileiros) ganhavam pautas que defendiam o retorno de Portugal como o centro político do referido Reino Unido e, por consequência, a submissão do Brasil à sua posição.
       Ao mesmo tempo, em terras brasileiras, o príncipe regente, orientado por representantes das elites políticas locais, promovia uma série de reformas que desagradavam as elites lusitanas. As ações de de D. Pedro mobilizaram a corte portuguesa a pedir a sua volta imediata para Portugal no início de 1822. D. Pedro recusou-se a abandonar o Brasil e, em 09 de janeiro, optou pela sua permanência no país. Esse dia ficou conhecido como Dia do Fico.
      As indisposições entre Portugal e Brasil continuaram ao longo do primeiro semestre de 1822. Esse período de intensas discussões e propostas direcionadas à efetivação da independência foi exaustivamente estudado por muitos historiadores, tanto portugueses quanto brasileiros. No Brasil, destacam-se os nomes de Oliveira Lima e Nelson Werneck Sodré. No mês de setembro, as cortes portuguesas deram um ultimato para D. Pedro voltar para Portugal, sob ameaça de ataque militar. O príncipe que estava em viagem ao estado de São Paulo recebeu a notícia e, antecipando uma decisão que já estava quase nas “vias de fato”, declarou o país independente às marges do rio Ipiranga, no dia 07. Esse gesto implicaria a futura organização do país enquanto nação e enquanto império, um projeto que não era fácil de ser conduzido, como acentua o historiador Boris Fausto:
Alcançado em 7 de setembro de 1822, às margens do riacho Ipiranga, dom Pedro proferiu o chamado Grito do Ipiranga, formalizando a Independência do Brasil. Em 1° de dezembro, como apenas 24 anos, o príncipe, regente era coroado Imperador, recebendo o título de dom Pedro I. O Brasil se tornava independente, com a manutenção da forma monárquica de governo. Mais ainda, o novo país teria no trono um rei português. Este último fato criava uma situação estranha, porque uma figura originária da Metrópole assumia o comando do país. Em todo de dom Pedro I e da questão de sua permanência no trono muitas disputas iriam ocorrer, nos anos seguintes.” [1]
NOTAS
[1] FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2013. p 116.

Por Me. Cláudio Fernandes
Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:
FERNANDES, Cláudio. "07 de Setembro – Dia da Independência do Brasil"; Brasil Escola. Disponível em <http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/7-setembro-dia-independencia-brasil.htm>. Acesso em 07 de novembro de 2015.

HINO NACIONAL BRASILEIRO

Resultado de imagem para hino da independencia


Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heroico o brado retumbante,
E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da Pátria nesse instante.

Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó Liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.

Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza

Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!


II

Deitado eternamente em berço esplêndido,
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Do que a terra mais garrida
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
"Nossos bosques têm mais vida",
"Nossa vida" no teu seio "mais amores".

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro desta flâmula
- Paz no futuro e glória no passado.

Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.

Terra adorada
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!




domingo, 6 de setembro de 2015

RN: VEJA AQUI SE SUA APOSENTADORIA SAIU...

Confira aqui tudo sobre a publicação da sua aposentadoria


SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DOS RECURSOS HUMANOS

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 1904, DE 29 DE JULHO DE 2015.

O SECRETÁRIO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DOS RECURSOS HUMANOS, no uso da atribuição que lhe é conferida pelo artigo 1º,

Para continuar lendo clique nas Resoluções Administrativas abaixo:

Resolução Administrativa
Resolução Administrativa
Resolução Administrativa
Resolução Administrativa
Resolução Administrativa

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

ATENÇÃO ESCOLAS PÚBLICAS DO RIO GRANDE DO NORTE !



2ª edição do Prêmio Respostas para o Amanhã
 
O que estamos fazendo hoje para um mundo mais sustentável?
Quais as respostas que as ciências nos trazem para as questões contemporâneas?



 
 
Como as escolas podem contribuir para um mundo sustentável?
O que estamos fazendo hoje para um mundo melhor amanhã?
Estas são algumas das perguntas que a 2ª edição do Prêmio Respostas para o Amanhã traz como desafios para professores e alunos do Ensino Médio da rede pública de todo país. As inscrições estão abertas!
Iniciativa da Samsung com coordenação geral do Cenpec - Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária, o Prêmio é uma oportunidade para as escolas desenvolverem projetos relacionados às Ciências da Natureza e da Matemática, estimulando os alunos a aplicarem seus conhecimentos na busca de soluções simples para melhorar o lugar onde vivem. Todos os inscritos, estudantes e professores, terão acesso a orientações formativas.
As escolas que desenvolverem os 20 melhores projetos ganharão um notebook e uma câmera. Destes, os cinco vencedores nacionais receberão ainda smartphones para os alunos e tablets para o professor orientador e o diretor. Além disso, a escola do projeto que se destacar entre os cinco vencedores nacionais receberá 40 notebooks.
As inscrições estão abertas! Esta é uma oportunidade para as escolas mostrarem como a educação pode contribuir para um mundo melhor!
Inscrições até 20 de setembro
Para saber mais informações sobre o Prêmio, acesse o site inscreva-se
Central de Atendimento 0800 777 4567,
de segunda à sexta das 9h às 18h
 
 
 
 

SETEMBRO CIDADÃO EM CORDEL - PROBEC EM AÇÃO



CORDEL PROBEC EM AÇÃO


Para os caros leitores
Sobre o que eu vou falar
É de suma importância
Que pode lhes ajudar
Foi um programa criado
Para bem nos informar

É uma grande tarefa
Nenhum chá de hortelã
Vou falar para vocês
De um projeto que sou fã
É o programa brasileiro
De educação cidadã

Intitulado probec
Fala de cidadania
Distingue de A a Z
Mostrando com maestria
Como devemos fazermos
Pra vivermos em harmonia

Lançou-se duas cartilhas
Para melhor explicar
Leitura e ilustrações
Fácil de manusear
Com isso facilitando
Para quem a estudar

Primeiro tem dois garotos
Que vem para apresentar
Os direitos e deveres
Querendo enfatizar
Como deve um cidadão
No país se comportar

Jarbas Bezerra autor
E também Ligia Limeira
Cidadania A-Z
Que uso como primeira
A família cidadã
A segunda e derradeira

A família cidadã
Falando das eleições
Analisando políticos
E também suas ações
Nas escolas e conselhos
Tem que haver reuniões

Começo pela primeira
Com Edu e a Cidinha
Trata-se de um garoto
E de uma menininha
Explica tudo pra nós
Sem errar, sempre na linha

Fala do advogado
Da alfabetização
Água e também do amor
E da alimentação
Alimento na barriga
O amor no coração

Logo em seguida a arte
Assistência social
Das armas nacionais
E do preferencial
Com o aterro sanitário
Aquecimento global

A atividade física
Abandono e acidentes
Os dois últimos com as armas
Não nos é convenientes
Mesmo em nosso dia a dia
Estando sempre presentes

A bandeira do Brasil
E também o bem estar
Os bens públicos e privados
Não esquecam de lembrar
Tem a biodiversidade
Que devemos preservar

Bons costumes são condutas
De educação e respeito
As regras de criação
Causando um grande efeito
De bem estar coletivo
Derrubando preconceito

Depois vem brasilidade
Sentimento brasileiro
Pelos símbolos e bandeiras
Isso no país inteiro
Raças, costumes e hino
O nosso é muito maneiro

O bulliying e um conjunto
De atos de violência
Física ou psicológica
Acontece com frequência
Quanto a isso autoridades
Tem que tomar providencias

La vem à burocracia
Sempre com dificuldade
Presentes em órgãos públicos
É uma realidade
Garante a hierarquia
Mas, não a necessidade

Também fala de caráter
Diz o que e cidadão
De coleta seletiva
E de comunicação
Fala de comunidade
Presente em qualquer nação

Conselhos comunitários
E o conselho tutelar
Conservação de energia
Convívio familiar
Fala do consumidor
Pois não devia faltar

Cita a corrupção
Também criminalidade
Duas coisas que existe
Mas, não a necessidade
Hoje em dia no Brasil
É uma realidade

Deveres dignidade
Direitos e diversão
Fala em desenvolvimento
Desemprego e doação
Outra bem desnecessária
A tal da depredação

Fala de ecossistema
Também de ecologia
Educação, eleições
Emprego e energia
Sustentável que faz parte
Da nossa economia

É da segunda cartilha
Que agora vou falar
Vem falando da família
Pois não podia faltar
São o Edu e a Cidinha
Que vem nos apresentar

A família dos meninos
Tem nomes bem sugestivos
Que trazem animação
E também tem bons motivos
Transmitir muito alegria
Conseguir objetivos

Apresenta os avós
Os pais e tios também
Irmãos e outros parentes
A professora que vem
Dizer o que e eleição
E as regras que ela tem

Cidinha, lembra cidadania
Edu, de educação
O Ig de igualdade
E Cid, de cidadão
O Ju justiça com Paz
E a alfa da alfabetização.

Depois como o pai do Edu
Fala, quem pode votar é
Seu Brás, o nome do mesmo
Que vem com a explicação
Entre dezoito e setenta
Votar e acertar a nação.

O idoso acima de 70
Não tem mais obrigação
De votar, mas, acompanha
De perto a eleição
Se resolver ir votar
O fará de coração

Também os deficientes
Tem direito a votar
É feito adaptações
Podendo facilitar
Até leitura em braile
Pra quem não pode enxergar
Ainda tem a mulher
Que o direito não tinha
De votar e ser votada
Acha que tudo é picuinha?
Pois aos homens do poder
Tal voto não lhes convinha

Mas, uma mulher guerreira
De pulso firme, bem forte
Se fosse isso preciso
Lutaria até a morte
Foi Celina Guimarães
Do Rio Grande do Norte.

No ano de vinte e oito
Do século que sucumbiu
Acontece o grande feito
Que a mulher conseguiu
Depois do primeiro voto
Nova porta se abriu

Falar sobre esse projeto
Pra mim foi especial
Porem o seu conteúdo
É grande material
As duas cartilhas findam
Com o Hino Nacional.


Para com seus fundadores
Respeito devemos ter
Obrigado, eu agradeço
Bastante pelo prazer
Estimável que eu tive
Crescendo em meu saber.

Ed Santos
Poeta Cordelista
Membro da Academia
Potengiense de Letras e Artes - APLA



FLORÂNIA/RN: LEITORES E POETAS É SUCESSO NA E.E. TEONIA AMARAL


É por meio da leitura que se tem oportunidades de adquirir conhecimentos e cultura. Ler não é somente um ato de decodificar signos linguísticos; uma boa leitura pode proporcionar além de informações, aprendizado para a vida, gosto por ler, diversão, entretenimento, reflexões sobre assuntos importantes, crescimento pessoal, entre outros. A leitura pode possibilitar ao indivíduo que busque sua autonomia, adquirindo cultura e informações que possibilitam a ampliação de conhecimento de mundo.
O Projeto " Descobrindo Novos Leitores e Poetas , está aguçando o gosto pela leitura e produções poéticas na E. E. Teônia Amaral, localizada na cidade de Florânia/RN.
Os professores envolvidos neste grande projeto, estão felizes com os objetivos sendo alcançados, quando um grande nº de alunos estão indo a Biblioteca da referida entidade escolar pegar livros de poesias para lerem em suas casas, também trazendo suas produções poéticas, que em breve estarão em exposição para toda a comunidade escolar.
A clientela atendida é oriunda em grande parte da Serra do Cajueiro, comunidade rural do município.
O referido projeto atende a clientela de alunos do Turno noturno :Ensino Médio Diferenciado.
Professoras idealizadoras do projeto: Juraci Araújo, Rita Deusa e Divonete Pereira.