segunda-feira, 30 de novembro de 2015

MIRANDO O MAR






Mirando o mar, admirando paisagens rememorando emoções...
tentando jogar fora de mim o que já me cansa a alma...
Nesse jogo de seduzir, esquecer e apagar lembranças,
fatos e concordâncias relaxou o meu espírito que esta estava calvo, esquelético e patético.
Assim mirando o mar... Alimentei o meu ego, bem como o superego, aumentei energias estabeleci sinfonias.
Virei à página do livro ora posto em minha frente.

Lancei ao mar o que embalou meu sono e sonhos
Nos últimos dias,
Numa sequencia de agonias,
Em que sentia o cérebro queimar
Como se estivesse com uma coroa de espinhos.


Agora tudo passou...
Apaguei da minha mente
o que tanto machucou afastou do meu coração
o que em muito assustou,
e, assim mirando o mar.
senti o animo voltar.

Um fôlego de alma nova
Sentir no peito bater
sem dor e aliviada
Numa paz já esperada
E o encontro com Cristo
E a alma suavizada.

Assim sentir-me
mirando o mar...

Geralda Efigênia

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

SINTRAF LAGOA NOVA/RN - CONVITE


terça-feira, 17 de novembro de 2015

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO RIO GRANDE DO NORTE DIVULGA CALENDÁRIO ESCOLAR PARA 2016.

 *republico na íntegra


           A Secretaria da Educação do RN divulga calendário oficial do ano letivo da rede estadual de ensino para o final de 2015 e ano letivo de 2016. O cronograma marca para 2 e 3 de dezembro deste ano a realização de  jornada pedagógica com a participação da Secretaria da Educação e da Cultura  e das Diretorias Regionais de Educação e da Cultura (Direcs).
          Para o ano de 2016, o calendário registra as realizações de quatro jornadas pedagógicas de avaliação e planejamento nas escolas da rede estadual de ensino. 
A  primeira jornada vai ser realizada no período de 3 a 5 de fevereiro envolvendo todas as escolas da rede estadual. A segunda está marcada para 30 de abril do próximo ano. A terceira está prevista para o dia 30 de julho e a última jornada acontecerá no dia 8 de outubro. 
         O início do primeiro bimestre e respectivo começo do ano letivo na rede estadual de ensino começa no dia 15 de fevereiro e prossegue até 27 de abril. O segundo bimestre inicia no dia 28 de abril seguindo até 21 de julho. 
           O recesso escolar de meio do ano acontece entre os dias 20 de junho e 04 de julho. O dia 18 de junho, sábado,  está reservado para a realização de festas juninas nas escolas. A prova final do segundo bimestre e a matrícula para alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) acontece no dia 22 de julho.
         O terceiro bimestre será iniciado em 22 de julho terminando no dia 29 de setembro. O quarto bimestre começa no dia 4 de outubro e termina em 20 de dezembro de 2016. Os exames finais para alunos da rede estadual de ensino foram marcados para 21 e 22 de dezembro com o resultado final no dia seguinte, 23 de dezembro.
          Ao longo do próximo ano, as escolas da rede estadual terão de cumprir o  calendário de 200 dias letivos. O cronograma é resultado de acordo firmado entre a Secretaria de Educação e da Cultura, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e a Secretaria Municipal de Natal.

fonte: Assecom seec
 
A Secretaria da Educação do RN divulga calendário oficial do ano letivo da rede estadual de ensino para o final de 2015 e ano letivo de 2016. O cronograma marca para 2 e 3 de dezembro deste ano a realização de  jornada pedagógica com a participação da Secretaria da Educação e da Cultura  e das Diretorias Regionais de Educação e da Cultura (Direcs).
Para o ano de 2016, o calendário registra as realizações de quatro jornadas pedagógicas de avaliação e planejamento nas escolas da rede estadual de ensino. 
A  primeira jornada vai ser realizada no período de 3 a 5 de fevereiro envolvendo todas as escolas da rede estadual. A segunda está marcada para 30 de abril do próximo ano. A terceira está prevista para o dia 30 de julho e a última jornada acontecerá no dia 8 de outubro. 
O início do primeiro bimestre e respectivo começo do ano letivo na rede estadual de ensino começa no dia 15 de fevereiro e prossegue até 27 de abril. O segundo bimestre inicia no dia 28 de abril seguindo até 21 de julho. 
O recesso escolar de meio do ano acontece entre os dias 20 de junho e 04 de julho. O dia 18 de junho, sábado,  está reservado para a realização de festas juninas nas escolas. A prova final do segundo bimestre e a matrícula para alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) acontece no dia 22 de julho.
O terceiro bimestre será iniciado em 22 de julho terminando no dia 29 de setembro. O quarto bimestre começa no dia 4 de outubro e termina em 20 de dezembro de 2016. Os exames finais para alunos da rede estadual de ensino foram marcados para 21 e 22 de dezembro com o resultado final no dia seguinte, 23 de dezembro.
Ao longo do próximo ano, as escolas da rede estadual terão de cumprir o  calendário de 200 dias letivos. O cronograma é resultado de acordo firmado entre a Secretaria de Educação e da Cultura, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e a Secretaria Municipal de Natal.
- See more at: http://www.educacao.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=96507&ACT=&PAGE=&PARM=&LBL=MAT%C9RIA#sthash.gX4J9bQn.dpuf

domingo, 15 de novembro de 2015

DO SHOW DE ALCEU VALENÇA NO TEATRO RIACHUELO EM NATAL/RN




         Rememorando fatos, episódios e lembranças de uma época que todos passamos, a juventude. Foi nesse clima e sentimento que, sentada numa cadeira no teatro Riachuelo me pus a pensar, recordar e viajar diante do esfuziante Alceu Valença, navegando na sua nau rumo ao resgate da boa música brasileira.
         O passaporte para a viagem foi presente de uma irmã muito querida, a viagem foi iniciada com a presença dele que embalou uma época da minha vida que era ladeada de sofrimentos, uma fase difícil por qual passara, casamento desfeito vida desajeitada, e um filho com deficiências múltiplas que me acompanhava.
          Como um filme passando a minha frente, viajava no ritmo frenético e na melodia desse, que eu considero o maior cantor do Brasil, Alceu Valença, pra mim o inimitável o único, o poeta mais puro, da poesia mais doce, da melodia mais suave, das rimas e métricas perfeitas e, da voz desse menestrel da música popular brasileira.
       Ah! Alceu como foi bom para a minha alma poder ouvi-lo, vê-lo ali pertinho de mim, cantar contigo as músicas que embalaram a minha juventude, que fizeram parte dos meus sonhos e anseios próprios de todo jovem. Sentir-me em puro êxtase no seu show, recordar os tempos idos e vividos, viajar no seu barco e o convite aceito para entrar na sua religião. Parabéns o show como sempre perfeito e eu, como sempre sua fã.

A ENTREVISTA QUE NÃO FOI - TOMISLAV R. FEMENICK






   Da esquerda para a direita: Presidente Costa e Silva, Dr. João Batista         Cascudo Rodrigues e o jornalista Tomislav R. Femenick.

Verificando os meus alfarrábios, deparo-me com uma reportagem que distribui para vários órgãos da imprensa nacional, mas que somente tenho recortes do “Diário de Pernambuco”, do Recife, e “O Povo”, de Fortaleza. Trata-se de matéria sobre a visita que o presidente Costa e Silva fez a Mossoró-RN, no final de 1967. A reportagem foi distribuída pela Agência Nacional (órgão encarregado de divulgar as notícias de interesse do governo federal) como se fosse de sua autoria, porém ela teve como base a matéria escrita por mim e remetida, via telegráfica para as redações dos jornais que publicavam os meus textos. Não sei como a agência de notícias do governo federal teve acesso à reportagem original e incorporou parte dela (com alguns acréscimos laudatórios) ao noticiário que distribuiu à imprensa nacional. Na época se vivia tempo difícil e não havia a quem reclamar.

A reportagem descrevia as inaugurações que o presidente fez na cidade, e dela apresento aqui uma versão compacta:

“O Avro presidencial aterrissou no aeroporto de Mossoró às 12:40 horas, do dia 22 de dezembro de 1967. Ao descer da aeronave, o presidente Arthur da Costa e Silva foi cumprimentado pelo governador do RN, pelo comandante do IV Exército e pelo presidente do INDA, Dr. Dix-Huit Rosado. Após passar em revista as tropas, foi cumprimentado pelos governadores de Pernambuco e Ceará, pelo prefeito de Mossoró, sr. Raimundo Soares, e outras autoridades. Em seguida o presidente deslocou-se para o triângulo ferroviário, a fim de inaugurar o “Poço Costa e Silva”, cuja água se assemelha – de acordo com análises – às águas minerais de melhor qualidade. Depois a comitiva presidencial foi para o edifício Epílogo de Campos, nova sede da Faculdade de Ciências Econômicas, onde o chefe da nação descerrou uma fita inaugural. Encerrado este ato, o presidente da República dirigiu-se à ESAM-Escola Superior de Agricultura de Mossoró, dando-a por inaugurada, ao cortar a fita simbólica. No mesmo local, deu por inauguradas as linhas de transmissão da CHESF, ligando Paulo Afonso à Mossoró. Mais tarde, houve um almoço na ACDP”, cujo prato principal foi a celebre Carne Assada do Lira, levada de Natal para Mossoró por aviões da FAB”.

Generalizando e correndo o risco de errar, podemos dizer que nós mossoroenses só relacionamos o governo do marechal Artur da Costa e Silva com essa sua passagem pela cidade e com a inauguração desses quatro inegáveis benefícios. Por outro lado, é comum nos esquecermos de que foi no seu governo que a ditadura começou a mostrar a sua cara mais cruel.

A história política do marechal presidente teve origem – como a maioria dos seus colegas – nos movimentos tenentistas dos anos 20. Em 1922 tomou parte na tentativa de levante do 1º Regimento de Infantaria da Vila Militar do Rio de Janeiro, dois anos depois participou de novo levante tenentista e planejava aderir à Coluna Prestes. Já no governo João Goulart, quando comandava o IV Exército, reprimiu violentamente as manifestações estudantis no Nordeste, motivo pelo qual foi afastado do cargo.

Após a derrubada do presidente João Goulart, Costa e Silva chefiava o Comando Supremo da revolução quando fui editado o Ato Institucional Nº 1, que suspendeu a vigência da constituição, alterou o processo de elaboração legislativa e autorizava o comando da revolução a aplicar punições sumárias, ao longo de três meses. Em março de 1967 foi eleito presidente da República e, no ano seguinte, editou um novo Ato Institucional, o terrível AI-5, que deu poderes discricionários ao regime, inclusive os de fechar o Congresso, cassar mandatos, censurar os meios de comunicação, suspender direitos políticos, a aplicação do habeas-corpus e anular direitos individuais, bem como previa medidas que incluíram a pena de morte e prisão perpétua para crimes políticos, o fim das imunidades parlamentares e a transferência de funções do Legislativo para o Executivo.

Quando de sua vinda à Mossoró, por intercessão de Dix-huit Rosado, consegui marcar uma entrevista com o presidente Costa e Silva. Quando me preparava para fazer as perguntas, um assessor entregou-me umas folhas de papel com as perguntas e as respostas já prontas. Disse que poderia fazer mais uma por conta própria. Fiz:

– Presidente, quando vão se iniciar as obras de recuperação da Estrada de Ferro Mossoró-Souza?

A resposta foi curta e grossa:

– Logo.

Depois apertou a minha mão e foi embora. Como as perguntas não eram minhas e as respostas não diziam nada, não mandei a entrevista para os jornais.

Nota – No começo de 1968, quando fui convocado a comparecer ao IV Exército, em Recife, tive que explicar por que não publiquei a entrevista que, na verdade, nunca foi entrevista. 

fonte: por e-mail