domingo, 20 de fevereiro de 2011

SEM ACORDO ENTRE PROFESSORES E O PREFEITO DE CERRO CORÁ/RN

Não houve acordo entre professores e o prefeito de Cerro Corá/RN








Uma discussão que durou horas, de um lado a equipe da prefeitura composta pelo prefeito Raimundo Marcelino, o Novinho, Fátima Melo(Secretária de Educação),Dr.João Gustavo(advogado) e Bernardo(assessor contábil) do outro os professores e a equipe do Sinte composta por Mariana Leonira(presidente) e Edilberto(diretor) e mais os vereadores Ronaldo Vilar, Edivaldo, Aldo Maciel, Manoel de Claudio e a vereadora Graça Medeiros.

Mariana Leonira abriu a
reunião e passou a palavra para os representantes do município, quem
inicio as discussões foi secretária de Educação Fátima Melo, que mais
uma vez apresentou a parte técnica das discussões e em seguida o
responsável contábil da prefeitura que fez suas colocações também de
forma técnica, já que havia entregue ao Sinte uma documentação contendo
números, depois foi a vez do advogado que falou a respeito das Leis e
mencionou que o município havia recebido uma notificação do TCE devido a
gastos excessivos, o prefeito Raimundo Marcelino, o Novinho falou por
ultimo apresentou algumas informações e dificuldades, disse que se
pagasse a classe o valor estipulado o dinheiro só daria para pagar os
professores, e os outros gasto; como transporte e material, e outras
atribuições que a prefeitura é comprometida.


Edilberto representante do
Sinte rebateu todas as informações de forma questionável tanto as
jurídicas, quanto as contábeis e relatou que a categoria abriu mão no
ano de 2010 de benefícios que por Lei eram para serem pagos, perdas que
causaram mau estar entre o sindicato e os associados e que não
aceitariam mais continuar perdendo.





Ouve novamente interferência
do prefeito que sugeriu a categoria procurar o tribunal de contas e se o
tribunal afirmasse que é permitido ele sugeria 6.45,52% isso sem o
quinquênio. O prefeito ainda orientou ao Sinte que entrasse na justiça
para requererem seus direitos.




Os vereadores presentes
fizeram uso da palavra Ronaldo relembrou da Lei que foi sancionada para o
reajuste e que em anos anteriores sempre ouve reajuste e relatou que o
município embora notificado anteriormente pelo TCE não deixou de receber
benefícios. os demais vereadores apenas afirmaram apoio aos professores
de forma que não prejudique o município.




Nenhuma proposta foi
apresentada pelo prefeito, apenas a suposição de que se o TCE aprovasse
os 6.45,52% o município acataria, no entender do Sinte não era uma
proposta e sim uma suposição, por isso não foi debatido já que esse
numero não dava para discutir.

maiores detalhes www.janeayresouto.com
fonte Jane Souto