sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

JULIANA SARMENTO - ARTIGO

Escravidão em pleno século XXI?


Falar de escravidão nos remete aos tempos de escola, as aulas de história em que aprendemos sobre a escravidão africana, as revoltas, quilombos, navios negreiros e tantos outros aspectos que caracterizaram o período no século XVI, especificando o Brasil.

Os escravos sofreram por trabalharem sol a sol, acorrentados para não fugirem, impedidos de seguirem suas crenças, alimentação de péssima qualidade... Poucos conseguiam juntar dinheiro para se livrar desta situação tão desumana, compravam sua carta de alforria, o que lhe garantia liberdade, embora fossem discriminados pela sociedade.

Foi somente no século XIX, com a Lei Áurea, assinada pela Princesa Isabel, em 13 de maio de 1888, que a escravidão foi proibida.

Mas minha intenção não é remetê-los aos bancos de sala de aula, muito pelo contrário, ainda mais para falar de algo que todos já ouviram falar num momento da vida, então você me pergunta: o que ela pretende falando de escravidão?

Dividir com vocês uma notícia que ouvi no rádio, o Ministério do Trabalho e Emprego (TEM), através do Grupo Especial de Fiscalização Móvel, descobriu uma lista de empresas e empregadores que contrataram trabalhadores em situação de escravidão, o órgão divulgou uma lista com os nomes destes aproveitadores, conhecida como ‘Lista Suja’, atualizada, a lista consta com 220 infratores, pessoas físicas e jurídicas, estes aproveitadores serão penalizados sendo proibidos de conseguir financiamentos na Federação Brasileira de Bancos.

Um meio que Ministério da Integração Nacional encontrou para puni-los, algumas dessas terras serão identificadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) para projetos de reforma agrária.

O objetivo com essa lista também é evitar que grandes empresas evitem a consumir produtos desta prática ilegal, isso é que nós, enquanto cidadãos poderemos fazer, evitar consumir produtos de empresas que não demonstram um pingo de respeito para com seus funcionários, pois infelizmente quando consumimos produtos de empresas ilegais, estamos contribuindo, mesmo que indiretamente, para que a mesma continue exercendo tamanha irresponsabilidade.

Estas empresas não merecem o nosso respeito e muito menos o nosso dinheiro.

Conheça a ‘Lista Suja”: http://www.mte.gov.br/trab_escravo/lista_suja.pdf

E você, o que pensa sobre a escravidão em pleno século XXI?