domingo, 15 de janeiro de 2012

UMA ODE A MANOEL TORRES - MARISE CASTRO




protegido deste mundo onde torres

desabam e ondas enfurecidas

alteiam-se

o bravo homem está quase pronto

acena-me na noite quente

(ele ainda me reconhece)

ouso pensar:

é chegada a hora da passagem

para a nova pele


. Por e-mail - recordações da neta escritora Leticia Torres Ortega.