quinta-feira, 29 de março de 2012

PAI, FILHO E ESPIRITO DO CONTO DE LINO SAPO - CACHOEIRA DO SAPO/RN


O RIO GRANDE DO NORTE - NO OLHAR POÉTICO E CONTO MATUTO DO POETA
LINO SAPO


> CONHECENDO AS CIDADES DO RIO GRANDE DO NORTE EM UM CONTO
>
> Cumpade PEDRO VELHO me diga como você anda? Inda ta trabaiando muito?
> E como anda cumade NÍSIA FLORESTA? Caba veio tou puraqui meio perdido,
> é uma histórameia adoidaiada mai se o senhor me ouçar desbatarei sem
> arrudei. Eu vinhe pra essas bandas buscar um TOURO chamado GUAMARÉ,
> pra levar lá pru ALTO DO RODRIGUES. Meu patrão seu ANTÔNIO MARTINS
> comprou o bichinho a seu MESSIAS TARGINO, meu patrão é abastado, é um
> homem bom e influente, foi amigo de infânça de RUY BARBOSA. Ele vive
> muito bem, agora eu cumpade, é que ando com uma maruzia e uma azalação
> da mulinga.


> cumpade ultimamente eu ando meio os imboléus, já fiz inté prumessa e
> já rezei pra SÃO PEDRO, SÃO FERNANDO e inté para SÃO VICENTE, pru mode
> eles falar com meu BOM JESUS pra eu ter BOA SAÚDE. Asto dia eu fui ao
> DOUTOR SEVERIANO e ele me arreceitou um lambedor de JAÇANÃ. Inda disse
> mai, que era bom pra eu viajar, ir pra outros lugares, ele inté me
> idicou BARCELONA, MACAU, EQUADOR ou se não quisesse sair do Brasil
> fosse pra PORTALEGRE ou pru ESPÍRITO SANTO. Sabe o que eu fiz? Eu fui
> foi pro PARANÁ, mas pense cumpade cumaé pequeno, é um PARAZINHO!!. Mai
> purlá tem um TABOLEIRO GRANDE com uma AREIA BRANCA, bem pru lado tem
> uma SERRA NEGRA DO NORTE, na verdade é uma SERRINHA!, Só que lá enriba
> cumpade tem uma PEDRA GRANDE e é uma PEDRA PRETA e purriba dela tem
> uma NOVA CRUZ feita de ANGICOS. Mai lá cumpade é tão quente, tão
> quente que parece o ceará, um CEARÁ-MIRIM, claro.

> Cumpade prosiando e atencionando as coisas purcá mai que BAÍA FORMOSA,
> é muita bunita. Me alembrei de seu LUIZ GOMES, ele inda mora pru trai
> daquelas MONTANHAS? E seu PEDRO AVELINO, ainda é morador de seu AFONSO
> BEZERRA? São um povo muito prestativo. Cumpade! Tou me alembrando que
> tenho uma conta a acertar,é umas PENDÊNCIAS com seu SEVERIANO MELO,
> tou só esperano baixar a IPUEIRA pra ir cobrar meus GALINHOS que ele
> trouxe lá da SERRINHA DOS PINTOS. ITAJÁ na hora de a gente acabar com
> esse quelelé esse EXTREMOZ, esses CARNAUBAIS de desavenças,acabar de
> vez com essa picuinha.
> Cumpade, cortei esse chãozão de uma ponta a outra, em todo canto ta
> uma caristia danada, as coisas tá pelo oio da cara. Cumpade vou te
> dizer uma sabença, do jeito que a coisa tá rumando só vai piorar,
> prumode de que ultimamente passei uma fome danada. O senhor me imagina
> que nessa sumana só comie uns peixinhos, Uns ACARI pequeno que parecia
> um BODÓ. PATU ver JAPI di inté a SANTO ANTÔNIO e a SÃO MIGUEL uma boa
> forragem pru bucho, pidi com tanta esperança que chega fechei os oios
> e imaginei o rango, e falei arto e GROSSOS, SÃO MIGUEL DO
> GOSTOSO!!!!!Mudando o prosiado o cumpade se alembra da fazenda siridó?
> Pois bem, tá bunita,lá fizero CURRAIS NOVOS, só de PAU DOS FERROS duro
> feito ASSÚ e de CARNAÚBA DOS DANTAS, lá daquela LAGOA DANTA. Cumpade
> foi trabaiada danada os morão foram tudim cortado pur seu FRANCISCO
> DANTAS e o empregado dele seu JOSÉ DA PENHA.
> Cumpade ficou de primera, lá tem o mai bunito JARDIM DO SERIDÓ. O
> padroeiro da fazenda é um santo de casa, é SÃO JOSÉ DO SERIDÓ, e a
> padroeira não pudia ser de outro lugar e esculhero SANTANA DO SERIDÓ,
> mai dizem as más línguas, Cá pra nós,que ela num tá fazendo nenhum
> milagre não, tão inté quereno jogá lá no mato. Já tem inté gente
> chamando, ver se pode, de SANTANA DO MATO. Desse jeito tá rim já
> pensou cumpade, se o padroeiro não fizer milagre, e quiserem jogalo
> naquele CAMPO REDONDO, imagine só cumpade aquele CAMPO GRANDE, vão bem
> apilidar de SÃO JOSÉ DE CAMPESTRE. Magina só? Mai cumpade cum toda
> buniteza o lugar tá sem um pé de vida, logo adispois que seu BENTO
> FERNANDES bateu as botas, os filhos RAFAEL FERNANDES e RODOLFO
> FERNANDES quisero vender as terras, inda chegaro a vender uma parte
> para ALMINO AFONSO, que fez um SÍTIO NOVO, que vai do RIACHO DA CRUZ
> inté o MONTE DAS GAMELEIRAS. Cumpade num vendero todinha pruque seu
> MARCELINO VIEIRA e seu FERNANDO PEDROSA cuma era os moradores mai an
> tigo se intrumeteram. Tavam brabos e eles diziam: o resto vocês não
> vendem, o pai de vocês era um santo já esqueceram? Vocês deveriam era
> fazer uma igreja para o pai de vocês, pra noise as terras inda são
> daquele santo. E a SERRA DE SÃO BENTO ninguém toca, e do jeito que eu
> tou me agarru cum cobra piso inté em cascavel e CERRO CORÁ.Cumpade a
> confusão foi grande demai, era tanta da fofoqueira na fazenda, pisano
> purriba das plantas e se rindo, que parecia um JARDIM DE PIRANHAS. O
> qui qui foi maior quando FRUTUOSO GOMES falou que as TIMBAÚBA DOS
> BATISTAS tava sendo irrigado do OLHO DÁGUA DOS BORGES. Minina cumpade,
> quando MARTINS oiçou foi logo dizeno: quero ver irrigar lá do meu
> MONTE ALEGRE, pruque lá é uma LAGOA SALGADA! Nisso cumpade, chega
> RAFAEL GODEIRO trazendo o CORONEL EZEQUIEL e o TENENTE ANANIAS.
> Cumpade quando os homi chegaru, inté a CRUZETA, feita de OURO BRANCO,
> fincada na entrada da fazenda, num pé de BARAÚNA, ficou sem ENCANTO. O
> estrelado foi lo go falando: e essas mueres VIÇOSA não têm nada que
> VENHA VER aqui. Nesse momento cumpade, ele espiou pra eu, que me
> tremie todinho, logo ele cumpade que me achava caipira e só me chamava
> de CAIÇARA DO NORTE. Ai Ele preguntou o que é que eu fazia ali. A voz
> ficou entalada mai eu resmunguei tempodispois: vim rezar pra SÃO BENTO
> DO NORTE. Ele chega muchou e com um olhar macriado disse: aqui só tem
> rezatório só se for pra SÃO BENTO DO TRAIRI, vá simbora percurar outro
> santo. Arribe para o oeste lá tem muitos, talvez você encontre um SÃO
> FRANCISCO DO OESTE. Não precisou nem terminar a pronunciada, sai em t
> oda disparada, parecia inté que agora eu nadava e vuava que nem um
> CAIÇARA DO RIO DOS VENTOS.Cumpade! Cumpade! Fui muito azilado, na
> carreira bati num palanque que tava o GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO, o
> SENADOR ELOI DE SOUSA e mesmo na horinha que o SENADOR GEORGINO
> AVELINO tava se pronunciando. Quando os povos me viro nacarreira em
> direção ao palanque, pensava que eu ia matar os chefes políticos.
> Nisso o CORONEL JOÃO PESSOA me viu, no aperreio que eu tava eu nem
> pensava,daquele jeito eu merguiaria inté no RIO DO FOGO. Cumpade
> quando eu espio pru lado o MAJOR SALES e o TENENTE LAURENTINO já vinha
> nos meus carcanhar pega num pega.
> Ai foi que eu corri, inda mai com o tiro zunindo no peduvido, pulei
> por riba de uns PILÕES e sai com a gota serena. Escutei na carreira
> quando dona LUCRÉCIA disse, é guerra, FELIPE GUERRA! Felipe venha pra
> casa meu fio, SÃO JOÃO DO SABUGÍ pruteja meu fio. Não parei cumpade de
> correr, se eles me pegam eles iam JUNDIÁ de eu. Dei um pitú nos homi e
> sai meio escundido pru trai de uma LAJES PINTADA, peguei um RIACHUELO
> e sai sem deixar ra sto. Vie de longe uma VÁRZEA e ai eu fui em busca
> do PORTO DO MANGUE que era menos perigoso. Quando cheguei purlá só
> tinha PASSAGEM na canoa TIBAU DO SUL. A TIBAU já havia saído, elas
> chegam em PARELHAS mas uma sai meia hora antes. Ai cumpade eu pensei
> desse jeito num dá, sou nortista, no sul num vou agüentar.
> Então cumpade eu sai por um BREJINHO e vi um filete dágua conhecido,
> era do RIACHO DE SANTANA uma ÁGUA NOVA e tumei logo umas goipada.
> Adispois cheguei a uma BAIXA VERDE e vi muita arvures agrandaada fui
> andando pra lá, cumpade pense num lugar bem sombraiado paricia um
> JARDIM DE ANGICOS. Pensei ter escapado dos homi mai a armadia foi
> pior. Sai bem no meio de uma aldea dos índios JANDUIS e MOSSORÓ,
> continuei andano como se num tivesse percebido nada. Foi quando ouvi o
> pajé MAXARANGUAPE dizer pra dois índios assim: IPANGUAÇU, PARNAMIRIM
> corram atrás e PARAÚ e tragam para mim, eles realmente me pararu, me
> amarraru e me colocaru em uma LAGOA DE PEDRAS e adispois em um POÇO
> BRANCO. Cumpade o corpo todo tremia, a voz já não saia, os cabelu nem
> sentava no casco. Foi quando eu a lembrei de SANTA MARIA e do meu anjo
> da guarda, SÃO RAFAEL, e cumecei a rezar,nisso o pajé me olhou da
> cabeça aos pés e disse: UMARIZAL, TAIPÚ vá buscar CANGUARETAMA.
> Cumpade pense numa agonia danada enquanto eles saia eu me borrava todo
> nas calças. Quando vortaru o pajé falou: veja filha se esse serve?
> Enquanto eu espiava aqueles cabelus e oios pretu feito a casca de uma
> CARAÚBAS, ela tapava o nariz e balançava a cabeça em negação. Entonce
> JUCURUTU me soltou e APODI disse aqui é PASSA E FICA mai você num vai
> ficar. O pajé com um oiar dar uma ordem e ARÊS trai um jumento, ITAÚ
> inda diz: o nome dele é nema. Aí me ajuda a muntar no burro, e espanca
> o animal que sae em toda carreira, enquanto eles gritam aqui num é
> lugar pra covardes.
> Cumpade o burro curria e eu agradecia pru céu, o meu estoque de santo
> já tinha acabado, mai inda restava alguns, então comecei a agradicer,
> a SÃO PAULO DO POTENGI, SÃO GONÇALO DO AMARANTE e SÃO JOSÉ DO MIPIBÚ.
> Fiz o sinal da SANTA CRUZ e sai me escurregando nos espinhaço do
> burro, que começa a desembestar e a pular devido a catinga, e eu
> gritano aperriado upa, upa, UPANEMA, pare meu bichinho. Nisso só ouvir
> a burduada cai estatelado no tronco de um pé de MACAÍBA, e ali mesmo
> adormecie todo duido. Acordei com o canto dum CAICÓ e dum
> TANGARÁ.despertei adispois de uma madorna boa e sai andano a pé com o
> bucho roncando que parecia um trovão, a vista já tava escura de sede,
> num via mai nada. Só sei que cheguei numa LAJES e caminhei até achar
> uma LAGOA NOVA pra me banhar, e bem na frente encontrei uma LAGOA DE
> VELHOS.

> Pedi cumida e me derum umas GOIANINHAS, preguntei onde estava, e eles
> disserum na SERRA DO MEL, então sai por entre umas plantaiada que
> formava uma FLORÂNIA e que parecia uma VILA FLOR. Segui as abeias e
> achei uma JANDAIRA, e que mé, foi um SÃO TOMÉ. Rumei para o oeste e
> dicie a SERRA CAIADA na noite de NATAL. Foi lá que vi a beleza e a
> PUREZA de ALEXANDRIA, chamei um menino pru nome de IELMO MARINHO e
> pedi um favor. Só pra dar um recado aquela donzela que meu coração
> amou. Mas o minino olhou e disse: Deus que me livre meu sinhor, aquela
> muier bunita é fia de seu JOÃO DIAS e ele é o lampiã da regiã.

> Te juro cumpade, em nome da VERA CRUZ, aquela muier inté os anjos
> seduz. Tudo que hoje eu mai quiria era com ela casar, e se isso um dia
> vier a acontecer,pode ter certeza, pra eu será o trofé do meu TRIUNFO
> POTIGUAR.
>
>
Conto Poético de Lino sapo ( Andrelino da Silva) em homenagem e
respeito a todas as Cidades que pertence ao estado do Rio Grande do Norte.
Cachoeira do sapo/RN
05/03/2012