terça-feira, 6 de dezembro de 2011

A VOZ POÉTICA DE CIRO JOSÉ TAVARES - BRASILIA/DF


A paz regressará
nos sons das cantatas,
na arquitetura
ondulante das colinas,
no verde dos vales e nos rios
murmurantes das planícies.

A paz advirá na pureza
das mãos festejadas de rosas,
na suavidade das manhãs
descobertas de pássaros
e nos plenilúnios sobre os tetos.

A paz retornará na forma humana,
mulher mesclada, anjo ou deusa,
transitando de finitos a infinitos.

A paz esteve ausente.
Contudo, regressará um dia,
viajando na mesma antiga voz
do meu poema sem vazios.

Ciro José Tavares in Voz Antiga