segunda-feira, 7 de novembro de 2011

ASSOCIAÇÃO POTIGUAR DE ESTUDANTES SECUNDARISTAS - APES/RN TEM NOVO PRESIDENTE.

Novembro começou trazendo ares renovados para o movimento estudantil secundarista do Rio Grande do Norte. Neste final de semana, dias 5 e 6 de novembro, a cidade de Montanhas recebeu os dois principais encontros dos estudantes de ensino fundamental, médio, técnico e pré-vestibular do Estado, a Etapa Potiguar do 39º Congresso da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e o 14º Congresso da Associação Potiguar dos Estudantes Secundaristas (APES).


Se no primeiro dia, debates sobre o Plano Nacional de Educação e os Grupos de Discussão (GDs) mostraram que as lideranças estudantis estão com discurso afiado e propositivo para defenderem novos rumos para a escola brasileira, o 2º dia, logo cedo, corou essa impressão. A mesa do debate sobre o PRONATEC envolveu as lideranças juvenis das mais diferentes concepções e comprovou que os estudantes estão atentos e com posicionamento crítico para avançar sobre as propostas do governo para a educação. Um dos debatedores, Whanderley Costa, presidente da UMES/Natal, destacou a importância de se expandir o ensino técnico e tecnológico para atender às necessidades do desenvolvimento do país.


Pedro Sérgio presidente da APES


Foram credenciados, ao todo, 74 delegados para eleição da nova diretoria da Associação Potiguar dos Estudantes Secundaristas que tiveram direito a voto durante a Plenária Final. Duas chapas foram inscritas, a de número 1 – Compartilhar (Kizomba/PT) e a de número 2 – Unificar para Avançar (UJS e Mudança/PT). A chapa 2 obteve 68 votos (92%) e elegeu o estudante de ensino médio da Escola Estadual Winston Churchill, Pedro Sérgio, novo presidente da APES. A chapa 1, Compartilhar, recebeu o voto de 6 estudantes.


O novo presidente da APES agradeceu a confiança e demonstrou entusiasmo para fazer uma grande gestão. “A APES é um patrimônio não apenas dos estudantes, mas da própria sociedade potiguar, que viu surgir, a partir dela, grandes referências intelectuais e progressistas. Quero fazer uma gestão marcada pela pluralidade, pelo respeito às diferenças e pela combatividade. Vamos às escolas, visitar os municípios e construir muitas entidades municipais. Nosso grande desafio é marcar a história dessa entidade que tem 83 anos de vida”, disse Pedro Sérgio.


Perfil do novo presidente da APES


Com rápida ascensão no movimento secundarista do RN, Pedro Sérgio, aos 17 anos, terá a responsabilidade de estar à frente da entidade estudantil mais antiga do país. Estudante da Escola Estadual Winston Churchill, em Natal, ele é atualmente o tesoureiro-geral do Grêmio Estudantil José Praxedes, de sua escola.


Ele conta que o interesse pelo movimento estudantil começou desde muito cedo, mas que o Congresso da UMES Natal foi uma oportunidade de aumentar a participação nas atividades estudantis. “O movimento estudantil é apaixonante e vibrante. A dedicação, a vontade de mudar e fazer melhor são coisas que se percebe com muita facilidade nos olhos de quem participa. Eu tenho orgulho de poder dar minha contribuição para a história da APES”.


Sobre a participação no Grêmio Estudantil, ele conta que a experiência foi fundamental para o seu crescimento durante o Congresso da APES. “No Grêmio, temos um espaço muito rico de debate de opiniões, de aprofundamento da nossa capacidade de respeitar as divergências e construir unidade. Penso que a gestão da APES deve valorizar a presença das diferentes opiniões, mas deve resguardar a nossa capacidade de lutar juntos, pois assim somos mais fortes”.


Para Pedro Sérgio, a APES deve lutar pelo fortalecimento da meia-entrada. “No Congresso da APES, denunciamos os empresários de carteiras estudantis e nos posicionamos a favor da carteira de estudante gratuita até a extinção dos empresários travestidos de estudantes. Esse é um gesto que nós fazemos para afirmar a nossa defesa pela moralidade do documento que nos identifica como estudantes. Não pode a meia-entrada ser usada como mercadoria por quem quer lucrar através do nosso direito”.


Com muita vontade, opinião e carisma, Pedro Sérgio é a prova de que o movimento secundarista do Rio Grande do Norte dá grande prova de sua vitalidade e capacidade. “Não sossegaremos um segundo em nossos objetivos de levar a APES para todo o Estado”, finalizou ele.


Fonte: Portal Estudante RN