domingo, 12 de junho de 2011

HOJE 12/06 ANIVERSÁRIO DA SOCIEDADE DOS POETAS VIVOS E AFINS/SPVA

berço de poetas,lugar de muita luz

encanto e magia, alegria, festividades,
uma sociedade de poetas singulares
de rimas mais diversas, de canto
de amor e luz! Parabéns SPVA
parabéns poetas que a compõem.



12/06/2011 - DIA DOS NAMORADOS - PRINCIPIA COMEMORAÇÕES 14 ANOS DE SPVA/RN

P A R A B É N S, SPVA/RN!!!!




POEMA COLETIVO marca início das comemorações dos 14 anos da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do Rio Grande do Norte - SPVA/RN na Ciranda Poética, nesse sábado, 11 de junho de 2011, na Escola Estadual Winston Churchill no Centro de Natal/RN, das 17 às 19h.




Em clima intimista, foram lidos poemas autorais e de outros autores pelos presentes, que escrevaram coletivamente poema para a SPVA/RN, falando de seus sentimentos, suas emoções, suas relações, suas afinidades com a entidade cultural que congrega poetas, escritores, músicos e admiradores das artes, divulgando-os e difundindo-os em solo potiguar e além fronteiras, levando a palavra nascida no seio da terra papa-jerimum.




A leitura da obra foi acompanhada pelos belíssimos acordes de "Noturno" da autoria de Chopin. Melodia dedilhada com maestria pelo músico, compositor e poeta Mário Lúcio. Brinde máximo à gentil entidade cultural. Em seguida, os presentes cantaram parabéns festivamente com acompanhamento ao violão, encerrando o encontro semanal da dinâmica associação que falou suas primeiras palavras em 12 de junho de 1997.




POEMA COLETIVO


SPVARN


Celeiro do espírito poético

da língua potiguar (Jania Souza)

Um canto de encanto onde o

momento te faz flutuar

com sorriso e poesia hoje é

dia de sonhar. (Arlete Santos)

Ao iniciar, SPVA

não adormeceu,

agora na adolescência

Poesia vai ferver

e melhor acontecer. (Fátima Bezerra)

Ó grande e suntuosissímo palácio das artes

frequentado por grandiosos poetas

que retratam com maestria nossa realidade

assim como suas alegrias e tristezas secretas! (Roberto Noir)

Mais um aninho de vida

quatorze anos SPVA querida

de rimas versos e poesias

a poesia vem sorrindo.

Poetas estão te aplaudindo

com muito amor e alegria. (Hilda Furacão)

A poesia é água pura

límpida, diáfana, clara

que somente é encontrada

em fonte preciosa e rara

tanto tempo tive sede

de poesia, até encontrar

a água desta cacimba

que é a SPVA. (Mário Lúcio)





O Primeiro Secretário, poeta e escritor Roberto Noir, conduziu os trabalhos com desenvoltura e carisma. Apresentou do poeta consagrado Augusto dos Anjos os poemas "Ao Luar" e "A Idéia" e de sua autoria: "A Catedral" e "Hipnose Noturna".

A poeta Hilda Furacão leu de sua autoria "O Ancião", "Espelho do Tempo", "Prazer de Viver".

Jania Souza leu do livro Fantasias, coletânea gaúcha, da Editora Alternativa em parceria com a ALPAS XXI, em homenagem à poeta Sirdatha, o poema autoral "Fantasias", da Antologia Literária "Cidade", L&A Editora do Pará, os poemas autorais "Meu Amor ao Carnaval" e "Prazeres do Carnaval", da Agenda Literária 2011 da Oficina Editores do Rio de Janeiro, o poema autoral "Receituarium". Os livros foram sorteados entre os presentes, contemplando Roberto Noir, Fátima Bezerra e Mário Lúcio.

A poeta Arlete Santos declamou os poemas autorais "Por Favor Motorista", "Noite", "E agora Maria?", "O Mundo está Pertubado".

A poeta Fátima Bezerra declamou de sua autoria: "Poesia", "Lua dos Amores", "A Dor Passou!", "Missão do Poeta".

O poeta Mário Lúcio declamou suas obras: "Canoeiro do Mangue" e "Cúmplice Fiel" (homenagem ao violão) e tocou com maestria "Noturno" de Frédéric Chopin.

Foi imperdível!
fonte: janiasouza